link para a página principal do portal
Tamanho da Letra   menor ou maior
formulário de busca
A relação Saúde do Trabalhador e Saúde Coletiva: uma análise a partir da produção científica

Departamento: CESTEH - CENTRO DE ESTUDOS DA SAÚDE DO TRABALHADOR E ECOLOGIA HUMANA

Programa de pós-graduação: SAÚDE PÚBLICA

Linha: SAÚDE E TRABALHO

Grupo: A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO EPIDEMIOLÓGICO E SUA APLICAÇÃO ÀS PRÁTICAS DE SAÚDE

Subárea de Conhecimento: 4.06.00.00-9

Descrição do projeto:
Objetivos:
1 Geral
Analisar a configuração e a dinâmica da Saúde do Trabalhador dentro do campo da Saúde Coletiva, a partir da sua produção científica no período de 1998 a 2010

2 Específicos
1. Analisar a configuração do capital científico entre os agentes engajados no campo Saúde do Trabalhador.
2. Realizar uma pesquisa bibliográfica sobre a produção científica em Saúde do Trabalhador, relacionando-a aos programas de pós-graduação.
3. Especificar, a partir da produção científica em Saúde do Trabalhador, os elementos que configuram o campo de conhecimento da Saúde Coletiva, através da identificação das disciplinas, categorias profissionais, temas e abordagens utilizadas.
4. Identificar os percursos metodológicos e epistemológicos pelos quais seguiram os principais pesquisadores da ST na última década.

Considerações metodológicas
A tese será apresentada em formato de monografia. Trata-se de um estudo do tipo qualitativo, baseado em pesquisa documental e bibliográfica, além de entrevistas.
A primeira etapa discutirá a configuração da área temática Saúde do Trabalhador, utilizando como referencial teórico Pierre Bourdieu, além de estudiosos do campo. Segundo Bourdieu, para se compreender uma produção cultural, no caso a Ciência, não é suficiente referir-se ao conteúdo textual desta produção, nem tampouco ao contexto social, estabelecendo uma relação direta entre texto e contexto. Bourdieu considera o campo científico como o universo em que se inserem os agentes e as instituições que produzem, reproduzem ou difundem a ciência. Desta forma, o campo é definido pela estrutura de distribuição do seu capital (científico) entre seus agentes (pesquisadores, cientistas, professores, administradores, editores, etc).
Para compreender se a área temática Saúde do Trabalhador se configura como um campo científico dentro da Saúde Coletiva será realizada uma pesquisa de documentos que inauguraram esta área de conhecimento no Brasil. Será verificado o papel das instituições de ensino e pesquisa, além das multilaterais (OPAS, OMS) e outras que dão apoio e sustentação à área de conhecimento, como CEBES, ABRASCO, entre outras, na composição da área de conhecimento.
Na segunda etapa serão realizadas entrevistas com agentes históricos da área, dotados de capital simbólico, considerados informantes-chave, como os primeiros pesquisadores da área e os coordenadores dos novos cursos de SC que tratam da relação saúde trabalho e ambiente. O critério de seleção obedecerá ao método bola de neve (snow-ball), onde os primeiros participantes indicam os demais até o ponto de saturação das respostas. As entrevistas complementarão as informações documentais e bibliográficas sobre a formação e evolução do campo. Serão entrevistas semi-estruturadas, com perguntas abertas (roteiro em anexo), onde o entrevistado poderá discorrer a respeito de determinados temas. As entrevistas serão gravadas e seu conteúdo analisado através do método hermenêutico-dialético.
Os locais escolhidos para sua execução serão os mais convenientes para os respondentes, sendo inicialmente escolhido o Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da ENSPSA e durante a realização do 10º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, em Porto Alegre em novembro de 2012. Os respondentes, por serem pessoas dotadas de capital simbólico, serão identificados nas entrevistas, de acordo com a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE).
A terceira etapa consistirá de um estudo bibliográfico, utilizando inicialmente o Caderno de Indicadores da CAPES, disponível em www.capes.gov.br, a fim de identificar os docentes que atuam nas linhas de pesquisa ou sub-áreas de Saúde do Trabalhador por sua vinculação aos programas de pós-graduação em Saúde Coletiva. Após este mapeamento, consultar a Plataforma Lattes, identificando a produção intelectual desses pesquisadores em revistas científicas. A seguir buscar os artigos ou seus resumos nas bases Scielo e Lilacs e verificar a disponibilidade dos artigos completos para a classificação dos mesmos. Será realizado um mapeamento das revistas científicas utilizadas para a divulgação científica do campo e a classificação dos artigos, a fim de identificá-los quanto às categorias profissionais estudas, quando for o caso, os temas e abordagens metodológicas utilizadas. Os artigos serão distribuídos numa série temporal nas categorias que formam o tripé das grandes áreas da saúde coletiva: Epidemiologia, Ciências Sociais em Saúde e Políticas e Planejamento em Saúde, a fim de se verificar qual foi a trajetória e quais são as tendências da Saúde do Trabalhador enquanto área de conhecimento. Também será consultado o Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, a fim de conhecer como a pesquisa em Saúde do Trabalhador se relaciona interinstitucionalmente, bem como sua internacionalização.

Natureza:

  • Pesquisa

Ano do início do projeto: 2012

Ano do fim do projeto: 2014

Coordenador: MARIA CRISTINA STRAUSZ

Participante Interno:

 
Quarta, 24 de Abril de 2019

ENSP NA WEB

facebook twitter Instagram youtube Soundcloud

BAIXE O APP DA ENSP

Google Play Store Apple App Store

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,
que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.


Creative Commons License

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.