1. Pesquisa aborda impacto familiar de mortes violentas de jovens

    "A morte de um jovem por homicídio é sempre um evento trágico e doloroso para a família, independente da trajetória de vida do jovem, despertando sentimentos de raiva, angústia e, principalmente, de inconformismo diante de uma morte considerada prematura, violenta e ‘fora do lugar’. As ressonâncias da perda atingem a dinâmica familiar, impactando os seus membros no âmbito físico, emocional, financeiro e social. A justiça, enquanto mecanismo regulador da convivência coletiva, falha em sua função". Esse é o diagnóstico apresentado pela aluna do mestrado em Saúde Pública da ENSP, Daniella Harth da Costa, em sua dissertação que configura-se como um subprojeto de uma pesquisa mãe intitulada Mortes Violentas de Jovens: um olhar compreensivo para uma tragédia humana e social, desenvolvida pelo Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) entre os anos de 2014 e 2015.

  2. Tuberculose: ações intersetoriais priorizam populações vulneráveis

    Após atingir as metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose com três anos de antecedência, o Ministério da Saúde assumiu compromisso de reduzir em 95% os óbitos e em 90% o coeficiente de incidência da doença até 2035. Para o governo brasileiro, além de agir na implementação de testes rápidos, expandir a produção científica na área e incrementar ações de vigilância, é preciso priorizar as populações mais vulneráveis e estimular a articulação com organizações da sociedade civil. E foi com o objetivo de aprimorar esse último quesito e informar a população e os jovens sobre a tuberculose que o Centro de Referência Professor Hélio Fraga e o Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP direcionaram suas atividades durante a Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose. A Escola, por intermédio do Observatório Tuberculose Brasil, também foi representada na sessão do Congresso Nacional que discutiu o tema.

  1. + MAIS NOTÍCIAS

entrevistas

Especialistas comentam tema do Dia Mundial da Água 2015

Pesquisadores do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP (DSSA) refletem sobre os desafios da gestão hídrica no país e comentam a importância de preservar esse recurso em meio às ações que cercaram o Dia Mundial da Água 2015.

MAIS ENTREVISTAS

  1. Tuberculose: ações intersetoriais priorizam populações vulneráveis
  2. Histórias, crises e novas perspectivas: a gestão dos recursos hídricos no RJ
  3. O bom combate de Marilena Chauí
  4. Historiadora ressalta importância da emancipação da mulher
  5. A maior dor do mundo
  6. Controle social deve gerir políticas hídricas
  1. Assista a palestra de Anita Prestes realizada em 12 de março na ENSP
  2. Doenças raras: pesquisador da ENSP assina artigo sobre o tema
  3. Doenças raras: pesquisador da ENSP assina artigo sobre o tema
  4. Centro Hélio Fraga da ENSP comemora 30 com novo mestrado profissional
  5. Lançamento do DVD 'Nascer no Brasil' emociona plateia
  6. Lançamento do DVD 'Nascer no Brasil' emociona plateia

mais buscadas

abrasco   aids   arouca   besserman   biblioteca   ceensp   cesteh   claves   concurso   csegsf   cursos   daps   demqs   dengue   densp   educação a distancia   endemias   ensp   epidemiologia   epsjv   especialização em saúde pública   especialização   faperj   fiocruz   funasa   giovanella   manguinhos   mestrado profissional   mestrado   opas   plataforma siga   radis   residência   saude do trabalhador   saúde mental   saúde   siga   sinval   terrapia   tuberculose