link para a página principal do portal
Tamanho da Letra   menor ou maior
formulário de busca
TRABALHO, GÊNERO E SAÚDE: Instrumentos de pesquisa e formação de trabalhadores(as) a partir da perspectiva da atividade

Departamento: CESTEH - CENTRO DE ESTUDOS DA SAÚDE DO TRABALHADOR E ECOLOGIA HUMANA

Programa de pós-graduação: SAÚDE PÚBLICA

Linha: SAÚDE E TRABALHO

Grupo: PESQUISA E INTERVENÇÃO EM ATIVIDADE DE TRABALHO, SAÚDE E RELAÇÕES DE GÊNERO (PISTAS)

Subárea de Conhecimento: 4.06.00.00-9

Descrição do projeto:
Este projeto pretende contribuir para o desenvolvimento de investigações com foco nas relações entre "trabalho, gênero, saúde e formação" em sua articulação com os Cursos de Pós-graduação das instituições parceiras. Os seus objetivos específicos são:
 Favorecer o intercâmbio de pesquisas sobre a temática em questão, a partir da mobilização de um patrimônio científico que tem na atividade um ponto de vista privilegiado, em sinergia com o saber prático dos trabalhadores, orientando-se pela perspectiva da Ergologia;
 Prosseguir as análises de situações vivenciadas pelos(as) trabalhadores(as) no setor de serviços, que se prestam à análise via paradigma da ‘relação de serviço’ (Zarifian, 2001) – incorporando a questão da divisão sexual do trabalho e focando as relações entre "trabalho, gênero, saúde e formação". Setor em mudança recente e que apresenta configurações diversas nas várias regiões do planeta: por um lado, um campo de atuação tipicamente feminino; por outro os meios profissionais tradicionalmente masculinos. No caso deste projeto contemplaremos as áreas da saúde, educação, telemarketing e prestação de serviços de limpeza, assim como teremos como campos empríricos o transporte público e a segurança pública.
 Dar continuidade às pesquisas relativas ao uso de instrumentos que – permitindo tratamentos estatísticos na análise das condições de trabalho – ambicionam valorizar o diálogo com os protagonistas do trabalho em análise, tendo o Inquérito Saúde e Trabalho (INSAT) e sua vertente brasileira (INSATS) como um mediador numa abordagem à saúde mais compreensiva (Volkoff, 2002). Concretamente, pretende-se avançar na experimentação deste instrumento, que detém uma forte linha de intervenção, associada à exigência de formação de trabalhadores para compreender↔transformar positivamente as relações entre trabalho, gênero e saúde;
 Avaliar a contribuição do INSAT (e do INSATS) como recurso metodológico no âmbito de investigações-ação sobre a questão em foco.

Natureza:

  • Pesquisa

Ano do início do projeto: 2010

Ano do fim do projeto: 2012

Coordenador: JUSSARA CRUZ DE BRITO

Participante Interno:

Participante Externo:

Participante Aluno:

 
Domingo, 21 de Abril de 2019

ENSP NA WEB

facebook twitter Instagram youtube Soundcloud

BAIXE O APP DA ENSP

Google Play Store Apple App Store

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,
que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.


Creative Commons License

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.