Portal ENSP - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Portal FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz

DCS - Departamento de Ciências Sociais

Rio, 25/02/2020

Linhas de Pesquisa

Linhas e Grupos de pesquisa ENSP ano 2013 atualizados

Abaixo veja as linhas de pesquisas do departamento

AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS, SISTEMAS E PROGRAMAS DE SAÚDE

Esta linha de pesquisa envolve diferentes abordagens teóricas e metodológicas e tem como objetivo principal a produção de conhecimento que contribua para a melhora da efetividade, eficiência e qualidade de políticas, sistemas e programas de saúde. O desafio consiste em dar conta da complexidade que permeia e media as ações e intervenções no campo da saúde, assim como o alcance dos resultados. As investigações desta linha compreendem as etapas de definição e priorização de problemas, das intervenções e estratégias de abordagem escolhidas, seus determinantes, os recursos envolvidos, os resultados alcançados, esperados e não esperados, bem com a influência do contexto nos rumos de todo o processo, que inclui a formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas e programas de saúde.

Projetos

DESIGUALDADES SOCIAIS, MODELOS DE DESENVOLVIMENTO E SAÚDE - PSP

A linha de pesquisa abrange estudos e pesquisas sobre (1) a epidemiologia dos determinantes sociais de saúde, na qual são investigadas a forma como relações sociais, passadas e presentes, acarretam diferentes exposições e, portanto, diferenças nos desfechos de saúde; (2) sistemas locais de saúde, com ênfase no impacto sobre a reorganização da rede, a reestruturação da oferta e as condições de acesso da população; (3) a organização dos serviços urbanos nas áreas metropolitanas latino-americanas e sistemas locais de informação; (4) a produção e reprodução das desigualdades sociais, em particular os aspectos referentes ao conceito e sua mensuração, estrutura social e reprodução social, e saúde/sobrevivência; e (5) o ambiente e a qualidade de vida, especialmente no que se refere à problemática do desenvolvimento auto-sustentado; (6) a análise das desigualdades sócio-espaciais em problemas de saúde e ambiente relacionadas aos modelos de desenvolvimento, incluindo questões relacionadas à vulnerabilidade social e à justiça ambiental.

Projetos

EPIDEMIOLOGIA DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS

ÉTICA APLICADA E BIOÉTICA

A Bioética é um campo interdisciplinar da Ética Aplicada contemporânea que vem se consolidando, desde os anos 70, como uma das principais reconfigurações da moralidade, em sentido secular e pluralista, num mundo globalizado em que convivem valores absolutos e relativos, universais e locais, e que podem entrar em conflito entre si. Mas que podem também convergir se forem respeitadas determinadas condições de inteligibilidade e de comunicação. No aspecto sociocultural, a bioética nasce da sensibilidade moral crítica dos movimentos sociais dos anos 60, que questionam as normas e valores tradicionais em nome de princípios historicizados e contextualizados, conhecidos tecnicamente como valores prima facie, dependentes das transformações advindas no imaginário social contemporâneo. No aspecto epistemológico-metodológico, constitui-se como "diálogo" entre várias competências disciplinares, capaz de enfrentar criticamente (e resolver pragmaticamente) os conflitos que surgem nas sociedades complexas, entre os processos do saber-fazer técnico-científico (em particular o biomédico) e a sensibilidade ética em processo de transformação. Neste contexto prático-teórico, reconfiguram-se, analiticamente, antigas questões sanitárias, ou de bioética cotidiana, e outras novas, ou de bioética de fronteira. Em particular, as questões, por um lado, das ineqüidades e da (in)justiça social, da saúde reprodutiva e do aborto, dos cuidados no fim da vida e da eutanásia, dentre outros, e, por outro, das biotecnologias, dos direitos das gerações futuras, do meio ambiente, da globalização e da biopolítica.

Projetos

FORMULAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E SAÚDE

Compreende estudos sobre o processo de formulação e implementação de políticas públicas, difusão de orientações normativas em políticas através de agências internacionais, comunidades de especialistas e atores nacionais, relações federativas e entre os poderes e sua interface com a saúde, participação dos diferentes grupos sociais nas políticas de saúde. Analisa a configuração de arranjos institucionais e as condições de condução, implementação e de veto, por atores estatais, grupos de interesse e/ou movimentos sociais, de políticas governamentais que afetam as condições de saúde, o meio ambiente e o acesso a serviços, programas e bens públicos.

Projetos

GÊNERO E SAÚDE

A presente linha de pesquisa estuda as questões de gênero relacionadas ao campo da Saúde Coletiva, utilizando uma abordagem sociológica que abrange questões das esferas da produção e da reprodução.

Projetos

INFORMAÇÃO E SAÚDE

Orienta-se tanto para a análise das características e entraves à melhoria da qualidade das informações em saúde, das relações de poder e produção de saber que consubstanciam a Política Nacional de Informação em Saúde e dos princípios metodológicos e tecnológicos da Gestão da Informação em Saúde; quanto para a produção de informação na formulação, implementação e avaliação de políticas e intervenções na saúde. Estuda o campo da informação em saúde, ancorando-se na teoria da informação e na noção de interdisciplinaridade e transdisciplinaridade. Provê subsídios para priorização de problemas de saúde e alocação de recursos, para análises da distribuição, acesso e uso de tecnologias e serviços de saúde. Faz uso expressivo de bases de dados secundários, incluindo a formulação de bancos de dados específicos. Incorpora conhecimentos da Epistemologia, Computação, Demografia, Epidemiologia e da Clínica, articulados ao Planejamento, Gestão e Avaliação de Sistemas e Serviços de Saúde, utilizando técnicas da Estatística e Pesquisa Operacional.

Projetos

PROMOÇÃO DA SAÚDE

Esta linha de pesquisa constitui-se em um campo interdisciplinar de conhecimentos e práticas que aborda o processo saúde-doença e suas relações com as correspondentes políticas públicas, com o ambiente, com a atenção à saúde e com a participação social. Desenvolve-se em duas dimensões: análise do discurso e das práticas em torno da promoção da saúde; e elaboração de perspectivas próprias que se traduzam em estratégias de estudo de situações de saúde, elaboração de intervenções e construção de metodologias de avaliação.

Projetos

DCS - Departamento de Ciências Sociais
Rua Leopoldo Bulhões, 1480, sala 901. Manguinhos - Rio de Janeiro/RJ. CEP: 21041-210
Tel.: (21) 2598-2644/ 2598-2780 - Fax: (21) 2598-2779 - E-mail: dcs@ensp.fiocruz.br