Livro de pesquisadores da ENSP ganha Prêmio Jabuti

Publicada em
 
 
 

O livro Fundamentos da paleoparasitologia, organizado pelo médico, pesquisador da ENSP e professor emérito da Fiocruz Luiz Fernando Ferreira, em parceria com o também pesquisador da Escola Adauto José Araújo e Karl Jan Reinhard, da Universidade de Nebraska, foi o vencedor na categoria Ciências Naturais do 54º Prêmio Jabuti, cujo resultado foi divulgado na quinta-feira (18/10). O livro - publicado pela Editora Fiocruz e o primeiro do mundo a traçar um histórico da paleoparasitologia, termo cunhado por Luiz Fernando Ferreira - foi lançado durante as comemorações dos 111 anos da Fiocruz, em maio de 2011. O Prêmio Jabuti é o mais tradicional e prestigiado prêmio literário brasileiro, uma distinção que dá aos vencedores a legitimação da comunidade intelectual brasileira, além do reconhecimento a todos aqueles que trabalham na produção do livro.

O tratado da paleoparasitologia

O livro da Editora Fiocruz que conquistou o 54º Jabuti faz um resgate histórico da paleoparasitologia e apresenta uma síntese de tudo o que foi estudado nos últimos 30 anos. Também engloba questões técnicas e avanços dos estudos com a inclusão da biologia molecular no campo. Essa linha de pesquisa surgiu como ferramenta para auxiliar o estudo de sociedades humanas ancestrais, possibilitando inferências sobre o modo de vida do homem, sua migração através do tempo e os processos saúde-doença por ele vividos.

 

A publicação divide-se em quatro grandes partes: "Os parasitos, hospedeiros humanos e o ambiente"; "Vestígios de parasitos preservados em diversos materiais, técnicas de microscopia e diagnóstico molecular"; "O encontro de parasitos em material antigo: uma visão paleogeográfica"; e "Estudos especiais e perspectivas". Uma iniciativa inédita, o livro é a primeira publicação no mundo a compilar o conhecimento disponível sobre o assunto e a apresentar o estado da arte em paleoparasitologia, cujo conceito, criado há 30 anos na ENSP, deriva dos termos gregos paleo (antigo), para + sito (junto de, ao lado + alimento) e lógos (palavra, estudo).

 

Pesquisadores honrados com a premiação

 

Surpresos com o prêmio, os autores Luiz Fernando Ferreira e Adauto Araújo passaram o dia recebendo os parabéns pela importante conquista. Luiz Fernando, por sua vez, agradece à ENSP/Fiocruz por acreditar em seu trabalho, pois, apesar de estar há seis anos em aposentadoria compulsória, ele continua a trabalhar diariamente no Laboratório de Paleoparasitologia da Escola.

 

“Dou um conselho aos jovens: é fundamental fazer o que se gosta, ser agradável, divertido e lúdico. Assim, é possível fazer um trabalho de excelência e com qualidade. Antes de entrar na faculdade de Medicina, eu já sabia que queria trabalhar com pesquisa. Fui influenciado pelo meu tio-avô Eduardo Marques, que fez uma tese em Manguinhos em 1907 e me trazia aqui quando eu era garoto. Hoje estou aposentado, mas tenho prazer em vir diariamente à Fundação para trabalhar, encontrar colegas, como o Adauto, e os jovens que estão fazendo tese nesta área que aqui criamos. Isso enche minha velhice de felicidade”, afirmou.

Para Adauto Araújo, o prêmio é um reconhecimento para a área, há anos desenvolvida por eles. “Mais cedo, comentei com o Luiz Fernando: desde que começamos a trabalhar com a paleoparasitologia, ficamos frustrados todos os anos por não ganhar o Prêmio Nobel", brincou. "Este ano tivemos uma compensação muito boa, para nosso reconhecimento e da área, ao ganharmos o Prêmio Jabuti”, disse. O pesquisador revela que, por ser o primeiro livro do mundo a tratar do tema, a ideia agora é expandir seu conteúdo por meio da edição em inglês da publicação.

 

Para o diretor da ENSP, Antônio Ivo de Carvalho, é uma honra para a Escola ter dois de seus pesquisadores com vencedores do Jabuti, o maior prêmio literário brasileiro. Isso demonstra a importância e a excelência da pesquisa científica realizada na ENSP e, principalmente, do mérito pessoal dos pesquisadores envolvidos no trabalho com a paleoparasitologia.

 

O terceiro organizador do livro, o pesquisador da University of Nebraska Karl Jan Reinhard, não foi encontrado para comentar a premiação.

 

ENSP já recebeu Prêmio Jabuti em 2011

 

O livro Impactos da violência na escola: um diálogo com professores, organizado pelas pesquisadoras do Centro Latino-Americano de Estudos de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP/Fiocruz) Simone Gonçalves de Assis, Patrícia Constantino e Joviana Quintes Avanci, foi o vencedor na categoria Educação do 53º Prêmio Jabuti, em 2011. O livro também é uma publicação da Editora Fiocruz e busca refletir sobre as formas de violência presentes nas escolas brasileiras, oriundas dos espaços sociais ou nascidas do cotidiano e da vida social dos alunos.

 

Saiba mais sobre as publicações Fundamentos da paleoparasitologia e Impactos da violência na escola: um diálogo com professores.

 

Mais informações da premiação em www.premiojabuti.com.br.

1 comentário para "Livro de pesquisadores da ENSP ganha Prêmio Jabuti"

Uma pessoa comentou esta matéria. Comente você também!

  1. CRISTIANI VIEIRA MACHADO

    Parabéns aos autores e aos seus grupos de pesquisa. É uma alegria para todos da ENSP! Abraços, Cristiani (DAPS/ENSP)

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.