ENSP e UFAC celebram 10 anos do primeiro mestrado em saúde coletiva na região Amazônica

Publicada em
 
 
 

O primeiro mestrado em Saúde Coletiva na Região Amazônica, fruto da parceria entre a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca e a Universidade Federal do Acre, completou 10 anos. Para celebrar a data, em dezembro de 2018, as instituições promoveram o 1º Simpósio em Saúde Coletiva, para relembrar a trajetória de criação do programa e debater a formação na região, que também conta com o curso de doutorado.
 
 
Além de gestores, pesquisadores e representantes da Capes, os organizadores do simpósio convidaram os alunos egressos do mestrado ao longo da última década para apresentar seus respectivos trabalhos. Foram mais de 50 inscrições, com apresentação de todos os resumos no formato de pôster, e a seleção de 14 trabalhos para apresentação nas mesas temáticas.
 
Na abertura da atividade, a reitora Guida Aquino, da UFAC, ressaltou que o mestrado em Saúde Coletiva foi o primeiro da região Amazônica. “A trajetória de dez anos do curso é de uma história belíssima, de luta de todos esses docentes que são guerreiros.” 
 
Segundo o coordenador da área de Saúde Coletiva da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Bernado Lessa Horta, o programa é um exemplo de como, por meio de parcerias, é possível estimular o desenvolvimento da pós-graduação no Brasil. “É um prazer estar de volta a Rio Branco e acompanhar o crescimento desse programa, que sempre acompanhamos à distância, por meio das comissões de avaliação”, afirmou. 
 
Após a abertura do evento, ocorreu a conferência “Desafios e Percursos Históricos da Saúde Coletiva”, coordenada pela professora Suleima Pedroza Vasconcelos e ministrada pelas professoras Rita Barradas Barata e Rosalina Jorge Koifman. 
 
Também participaram da mesa de honra a pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação, Margarida Lima; o diretor do Centro de Ciências da Saúde e do Desporto, Wagner de Jesus Pinto; a docente da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca/Fiocruz, Rosalina Jorge Koifman; e a coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Ufac, Simone Perufo Opitz.
 
Associação Temporária
 
A Associação Temporária é uma modalidade de colaboração reputada pela Capes como uma das mais elevadas formas de solidariedade acadêmica entre programas de pós-graduação. Para a pesquisadora da ENSP Gina Torres Rego Monteiro, ENSP e UFAC cumpriram muito bem seus papéis para a consolidação do Programa de Saúde Coletiva no Acre. 
 
“Os próprios representantes da Capes ficaram impressionados com a qualidade dos trabalhos apresentados. Outro indicativo do sucesso da parceria é que alguns alunos da primeira turma que fizeram doutorado na ENSP já são professores do programa no Acre, e os egressos estão no mercado de trabalho. A viabilização da Capes para parceria termina em 2020, mas estamos tranquilos com o bom andamento do Programa de Saúde Coletiva”, admitiu Gina.
 
Durante o simpósio, o pesquisador Sergio Koifman, falecido em 2014, e primeiro coordenador da parceria foi homenageado pelos presentes. Um mural elaborado pelo professor Gerson Rodrigues de Albuquerque sobre o Coletivo Mahku Movimento dos Artistas Huni Kuin também enriqueceu o evento.
 

Nenhum comentário para "ENSP e UFAC celebram 10 anos do primeiro mestrado em saúde coletiva na região Amazônica"

Ninguém ainda comentou esta matéria. Seja o primeiro!

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.