Artigo que avalia Ambiente Virtual de Aprendizagem recebe prêmio internacional

Publicada em
 
 
 

Com uma estratégia inovadora, o artigo Assessment of the use of online communities to integrate educational processes development teams: an experience in popular health education in Brazil foi premiado na Conferência Internacional e-Learning 2014, em Lisboa, Portugal. Escrito pelos pesquisadores da ENSP Elomar Barilli, Stenio de Freitas Barreto, Carla Moura e Marco Antonio Menezes, ele trata do levantamento e análise quanti-qualitativa do uso de Ambientes Virtuais no Programa de Qualificação em Educação Popular em Saúde - uma iniciativa da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde (Sgep/MS), em parceria com a ENSP e a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).
 
O Curso de Educação Popular em Saúde (EdPopSUS) é a primeira ação implementada pelo programa, cujo destino é sensibilizar os Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias acerca da dimensão educativa inerente à sua prática, constituindo-os como Educadores Populares em Saúde atuantes na Atenção Básica dentro das comunidades brasileiras.
 
Segundo Elomar Barilli, que é coordenadora da área de Divulgação, Informação e Pesquisa da Educação a Distância da ENSP/Fiocruz, o trabalho apresentado na Conferência recebeu o prêmio na categoria Best Mixed Methods Paper. “Ele entrou nesta categoria, pois não realizamos apenas um levantamento. Fizemos um esforço de análise quanti-qualitativa dos dados coletados. A abordagem qualitativa neste projeto é de suma importância, pois o que esperamos alcançar é a transformação dos sujeitos a partir da reflexão sobre sua prática à luz do referencial da Pedagogia Crítica de Paulo Freire. Não queremos nos ater apenas aos números, pois os números por si só não nos dizem nada. Nessa formação conseguimos unir as duas estratégias em uma só”, ressaltou Elomar. 
 
O Programa previu a realização de um protocolo de pesquisa que delineou o perfil destes agentes e sua percepção sobre o seu próprio crescimento resultante da ação educativa. Um outro resultado importante do estudo, foi demonstrar que os Ambientes Virtuais são tecnologias educacionais viáveis para a Educação Popular em Saúde para aproximar os sujeitos, diminuir as distâncias e promover trocas e construção compartilhada para além do tempo e do espaço. No caso do artigo, este ambiente virtual também colaborou para a aproximação de equipes técnicas de gestão e, sobretudo, para viabilizar o suporte pedagógico ao corpo docente.
 
Durante a conferencia, comentou ela, o artigo ganhou visibilidade. Por ter ganho na categoria destinada a métodos científicos, foi publicado na revista Interactive Technology and Smart Education,   (http://www.emeraldinsight.com/doi/full/10.1108/ITSE-09-2014-0029 ) divulgando um tema da saúde coletiva em uma revista internacional de educação. Além disso, uma pesquisadora da Universidade de Lisboa os convidou a assinar um outro texto sobre o tema em uma segunda revista portuguesa a ser publicado no início de 2015. “Isso é um reconhecimento para o nosso trabalho, além de ser uma forma de devolutiva à sociedade”, constatou ela. 
 
Elomar relembrou que na década de 1970 surgiram as primeiras diretrizes da Educação Permanente voltadas para a área da educação. Desde então, a saúde vem se apropriando destes pressupostos e adequando-os à sua realidade e demanda de formação de trabalhadores do setor. 
 
A Política Nacional de Educação Popular em Saúde (PENEPS-SUS), instituída em 2012, veio para dar conta do diálogo com a diversidade cultural das populações brasileiras, aproximando os saberes e práticas populares ao cotidiano dos serviços. Para materializar estes objetivos, o Programa de Qualificação em Educação Popular em Saúde, por meio deste curso livre - o Edpopsus - foi a primeira estratégia para contribuir com a consolidação dessa política. O esperado é que mais trabalhos científicos sejam publicados e capitaneados pelos demais pesquisadores do EdPopSUS,  no sentido de compartilhar esta iniciativa inovadora dentro do campo da Educação Popular em Saúde.
 
 
O EdPopSus
 
A principal meta do programa é que os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e os Agentes de Controle de Endemias (ACE) se reconheçam como educadores populares, apesar de não estarem dentro de um ambiente formal de academia. Segundo Elomar, os agentes são as pessoas que nascem e vivem dentro das comunidades e lidam diariamente com a realidade do seu cotidiano, como violência, alcoolismo, gravidez na adolescência, entre outros. “A estatística é importante, pois define as políticas, mas esse processo de formiguinha dos ACEs e ACSs é de extrema importância para a sociedade”, defendeu ela. 
 
O Edpopsus foi uma oferta de curso composta de três chamadas, que reuniram cerca de 18 mil alunos. Como ele foi oferecido em nove estados diferentes optamos por utilizar o componente da Educação a Distância. Com a descentralização, o curso previu também núcleos técnicos. Sua estrutura é formada por um comitê gestor formado pela direção da ENSP, das Escolas e a Sgep/MS (gestão participativa); e os núcleos regionais (cada estado com o seu coordenador). Para dar suporte e organicidade a esse processo, foram criados ainda três núcleos técnicos: operacional, pedagógico, e o núcleo de pesquisa e avaliação, que está sob a coordenação de Elomar.

1 comentário para "Artigo que avalia Ambiente Virtual de Aprendizagem recebe prêmio internacional"

Uma pessoa comentou esta matéria. Comente você também!

  1. SERGIO SILVA

    Excelente estudo. Se tivéssemos mais algumas dezenas destes, nosso país daria um salto inimaginável de qualidade. Parabéns aos pesquisadores.

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.