Dermatologista alerta para cuidados com a pele no verão

Publicada em
 
 
 

Filipe Leonel

Com a chegada do verão, começam também as preocupações em relação às doenças de pele, como miliária (brotoeja), micoses, acnes, queimaduras solares e, principalmente, câncer de pele. Segundo estatísticas do Instituto Nacional do Câncer, divulgadas pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o câncer da pele não melanoma é o mais incidente no Brasil, com 134.170 casos novos previstos para 2012 e 2013. Desse total, 62.680 devem ocorrer em homens e 71.490 e mulheres. Porém, ao mesmo tempo em que alerta para o grande número de casos, a SBD reforça que a maioria dos casos de câncer da pele pode ser evitada com medidas simples de proteção solar.
 
Preocupada em alertar os profissionais ou agentes de saúde, assim como à mídia especializada, aos órgãos governamentais e da sociedade organizada envolvidos com políticas públicas de atenção à saúde e à indústria cosmética e farmacêutica, a SDB desenvolveu o Consenso Brasileiro de Fotoproteção, primeiro documento oficial sobre fotoproteção desenvolvido no país e focado na população Brasileira.
 
Segundo o documento, fotoproteção pode ser entendida como o conjunto de medidas direcionadas a reduzir a exposição ao sol e a prevenir o desenvolvimento do dano actínico agudo e crônico. São consideradas medidas fotoprotetoras: educação em fotoproteção, proteção através de coberturas e vidros, proteção através do uso de roupas e acessórios, fotoprotetores tópicos e fotoprotetores orais. 
 
Para explicar os objetivos da publicação e alertar para os demais cuidados com a pele no verão, o Informe ENSP entrevistou a coordenadora do Serviço de Dermatologia Ocupacional da ENSP, Maria das Graças Mota Melo, que também integra a Coordenação do Departamento de Alergia/imunologia da Sociedade Brasileira de Dermatologia - Regional Rio de Janeiro (SBD-RJ). Segundo ela, o uso de protetor solar de modo adequado, diariamente, mesmo em dias nublados e chuvosos e a adoção do máximo de fotoproteção mecânica, são essenciais para evitar os danos provocados pela radiação solar. Confira a entrevista.
 
Informe ENSP: A Sociedade Brasileira de Dermatologia lançou uma série de recomendações sobre fotoproteção. O que motivou a iniciativa? Quais são as suas principais recomendações?
 
Maria das Graças Mota Melo: A alta incidência de câncer de pele fez com que a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) se preocupasse com essa questão e, em 1999, foi criado o Programa Nacional de Controle do Câncer da Pele. O Consenso é mais uma medida visando melhor esclarecimento e abordagem do problema. Ele representa o pensamento oficial da SBD sobre questões envolvendo a fotoproteção no Brasil, ou seja, considerando as características climáticas do país e da miscigenação da população brasileira. As principais recomendações do consenso são sobre: radiação solar e seus efeitos na pele; medidas fotoprotetoras; orientações sobre fotoproteção e vitamina D.
 
Informe ENSP: Quais são os principais cuidados que a população deve ter com a pele no verão? (Qual o horário recomendado para evitar a exposição ao sol?) Crianças e idosos são mais vulneráveis à exposição solar?

Maria das Graças Mota Melo: No verão, a pele deve ser protegida através de medidas como: evitar exposição solar prolongada, utilização de protetor solar e de fotoproteção mecânica (roupas, chapéus, óculos de sol, coberturas naturais ou artificiais). Deve ser estimulado o uso do maior número possível de estratégias para fotoproteção, uma vez que não há uma medida isolada que garanta a proteção ideal.
 
O horário recomendado para evitar exposição solar é entre 10 e 15 horas, no horário normal. Recomendações mais restritivas foram feitas para o Nordeste, devendo ser iniciada às 9 horas e, no Centro-Oeste ou nos estados com horário de verão, devendo ser estendida até as 16 horas. 
 
As crianças e idosos são mais vulneráveis aos danos solares. As queimaduras solares, na infância propiciam o desenvolvimento de melanoma na idade adulta. O consenso da SBD faz recomendações sobre proteção solar na infância.
 
Informe ENSP: Há diferenças entre protetor, bloqueador e filtro solar? Como informar a população sobre o produto mais adequado para uso?
 
Maria das Graças Mota Melo: São denominados fotoprotetores tópicos, protetores solares ou filtros solares, os produtos utilizados na pele íntegra com a finalidade de interferir nos efeitos danosos da radiação solar incidente na pele.
 
Quanto à formulação, os filtros ultravioleta são as substâncias ativas físicas (inorgânicas) que atuam por mecanismos de reflexão da radiação na pele ou são as substâncias químicas (orgânicas) que agem absorvendo a radiação, que incide na pele. A maioria dos protetores solares existentes combina, em suas formulações, filtros orgânicos e inorgânicos com o objetivo de atingir o nível de eficácia esperado (FPS e proteção UVA) e a cobertura mais uniforme dentro das faixas UVA e UVB.
 
O termo “bloqueador solar” foi abolido por dar a falsa impressão de proteção total, podendo levar o usuário a falsa sensação de segurança absoluta. 
 
Na escolha do produto mais adequado para uso, algumas orientações são importantes:
 
- o Fator de Proteção Solar (FPS) mínimo recomendado pela SBD é 30. Em determinadas situações (maior sensibilidade ao sol, antecedentes pessoais ou familiares de câncer de pele, fotodermatoses, tratamento cosmiátrico, maior exposição à radiação solar no lazer ou trabalho), recomenda-se que produtos com níveis mais altos de FPS devem ser adotados.
 
-Protetores com FPS menores que 30 poderão ser indicados em situações e populações especiais como pacientes de pele étnica.
 
- A SBD recomenda o uso de filtros solares com proteção UVA, apresentando FP-UVA com no mínimo 1/3 do valor de FPS e comprimento de onda crítico igual ou maior que 370 nm. Verificar no rótulo frases como “Proteção UVA” ou “Proteção de amplo espectro”
 
- Produtos com resistência ou muita resistência à água devem ser utilizados em atividades ao ar livre e por banhistas
 
- A forma correta de uso também é fundamental. A primeira aplicação do produto deve ser feita com no mínimo 15 minutos antes da exposição, de preferência sem roupa ou com a menor quantidade possível. Duas formas de aplicação foram recomendadas: aplicação em duas camadas ou a utilização da regra da colher de chá. 
 
- Os protetores solares devem ser reaplicados a cada 2 horas ou após longos períodos de imersão. 



Informe ENSP: Em relação aos trabalhadores que exercem suas funções expostos ao sol, como devem se proteger e quais cuidados devem tomar?

Maria das Graças Mota Melo :
 
1) Usar protetor solar de modo adequado, diariamente. Sugiro que sejam adotadas as mesmas recomendações da SBD para proteção solar no esporte (FPS, se possível acima de 50 e proteção UVA balanceada e proporcional);
 
2) Além do protetor solar, fazem parte da proteção chapéus de abas largas, camisas de mangas compridas, calças e óculos escuros; 
 
3) Procurar lugares com sombra sempre que possível; 
 
4) Se possível, evitar trabalhar exposto ao sol sem proteção adequada, principalmente nos horários mais quentes do dia (entre 10h e 16h); 
 
5) Evitar exposição ao sol quando não estiver trabalhando; 
 
6) Procurar um serviço de dermatologia ao encontrar alterações suspeitas na pele.

Informe ENSP: Comente o trabalho realizado pelo Serviço de Dermatologia do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ ENSP).

Maria das Graças Mota Melo: Além dos cuidados no exame dermatológico dos pacientes atendidos na rotina do Serviço e das orientações fornecidas sobre fotoproteção, conforme cada caso, em 29/11/2013 foram desenvolvidas no Cesteh atividades de sensibilização sobre prevenção contra câncer de pele. Apresentei palestra sobre o tema para os pacientes agendados para consulta médica, nas várias especialidades existentes no Serviço. Além disso, os funcionários da setor de acolhimento do Cesteh desenvolveram atividades como demonstração de produtos para fotoproteção mecânica (chapéus, roupas, óculos de sol), cartazes com técnica de exame da pele, endereços de locais de atendimento na Campanha de Prevenção do Câncer de Pele, que ocorreria no dia seguinte (30/11/2013). Foram distribuídos folders sobre proteção solar e sobre proteção para trabalhadores expostos ao sol. 

1 comentário para "Dermatologista alerta para cuidados com a pele no verão"

Uma pessoa comentou esta matéria. Comente você também!

  1. EDUARDO S. PONCE MARANH?O

    Excelente a entrevista da querida amiga e professora Graça ! Ótima dermatologista e colega. Fui seu aluno no curso de doenças ocupacionais promovido pelo CESTEH. Eduardo S. Ponce Maranhão- médico, clínica médica/medicina interna, medicina social, planejamento em saúde, epidemiologista ,vacinologista, sanitarista-Dpto de epidemiologia e métodos quantitativos em saúde-Ensp-Fiocruz

comente esta matéria

Utilize o formulário abaixo para se logar.