Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca

Linhas de Pesquisa

  • ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA


    A Política Nacional de Medicamentos (Portaria 3916/98) e a Resolução CNS 338/04 definem os marcos teóricos da Assistência Farmacêutica (AF) no Brasil, apontando-a como campo conceitual e de prática, e definindo-a como grupo de atividades que possuem relação com o medicamento e cuja finalidade é, diante das demandas de usuários, pacientes e comunidades, apoiar as ações de saúde a eles direcionadas. Tem vocação multiprofissional, atuando e interagindo em diversos pontos da assistência à saúde. No que concerne ao seu objeto, esta linha superpõe-se à avaliação de serviços, programas e sistemas de saúde, a avaliação de tecnologias em saúde à farmacoepidemiologia, incluindo estudos de utilização de medicamentos e farmacovigilância, a avaliação econômica de medicamentos, farmácia hospitalar, gestão da assistência farmacêutica, vigilância sanitária de medicamentos e serviços, uso racional e políticas de medicamentos.
    Ver projetos
  • AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS, SISTEMAS E PROGRAMAS DE SAÚDE


    Esta linha de pesquisa envolve diferentes abordagens teóricas e metodológicas e tem como objetivo principal a produção de conhecimento que contribua para a melhora da efetividade, eficiência e qualidade de políticas, sistemas e programas de saúde. O desafio consiste em dar conta da complexidade que permeia e media as ações e intervenções no campo da saúde, assim como o alcance dos resultados. As investigações desta linha compreendem as etapas de definição e priorização de problemas, das intervenções e estratégias de abordagem escolhidas, seus determinantes, os recursos envolvidos, os resultados alcançados, esperados e não esperados, bem com a influência do contexto nos rumos de todo o processo, que inclui a formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas e programas de saúde.
    Ver projetos
  • AVALIAÇÃO DE POLÍTICAS, SISTEMAS E PROGRAMAS DE SAÚDE


    Esta linha de pesquisa envolve diferentes abordagens teóricas e metodológicas e tem como objetivo principal a produção de conhecimento que contribua para a melhora da efetividade, eficiência e qualidade de políticas, sistemas e programas de saúde. O desafio consiste em dar conta da complexidade que permeia e media as ações e intervenções no campo da saúde, assim como o alcance dos resultados. As investigações desta linha compreendem as etapas de definição e priorização de problemas, das intervenções e estratégias de abordagem escolhidas, seus determinantes, os recursos envolvidos, os resultados alcançados, esperados e não esperados, bem com a influência do contexto nos rumos de todo o processo, que inclui a formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas e programas de saúde.
    Ver projetos
  • AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS E TECNOLOGIAS EM SAÚDE


    Tendo como perspectiva subsidiar a formulação de políticas e a gestão de serviços de saúde, esta linha de pesquisa abrange estudos sobre a utilização, a qualidade e os custos dos serviços e tecnologias em saúde, bem como estudos de fatores que expliquem variações nesses aspectos. Na abordagem de qualidade, são consideradas as dimensões de eficácia, efetividade, eficiência, acesso, continuidade, segurança, eqüidade e adequação.
    Ver projetos
  • AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS E TECNOLOGIAS EM SAÚDE


    Tendo como perspectiva subsidiar a formulação de políticas e a gestão de serviços de saúde, esta linha de pesquisa abrange estudos sobre a utilização, a qualidade e os custos dos serviços e tecnologias em saúde, bem como estudos de fatores que expliquem variações nesses aspectos. Na abordagem de qualidade, são consideradas as dimensões de eficácia, efetividade, eficiência, acesso, continuidade, segurança, eqüidade e adequação.
    Ver projetos
  • DESENVOLVIMENTO, ESTADO E SAÚDE


    Compreende a discussão teórica e estudos relativos às diversas dimensões do desenvolvimento ¿ política, econômica e social ¿ e suas interfaces com a saúde, com destaque para os seguintes temas: papel e padrões de atuação do Estado no desenvolvimento e na proteção social em saúde; formação e modelos de desenvolvimento e de proteção social em saúde em perspectiva comparada; implicações do sistema político (federalismo, relações entre Poderes) para o desenvolvimento e a proteção social; desenvolvimento regional e saúde; desafios para a proteção social face às transformações mundiais, à emergência de novos riscos e às desigualdades; repercussões dos processos de Reforma do Estado para o desenvolvimento, a proteção social e a saúde.
    Ver projetos
  • DESIGUALDADES SOCIAIS, MODELOS DE DESENVOLVIMENTO E SAÚDE - PSP


    A linha de pesquisa abrange estudos e pesquisas sobre (1) a epidemiologia dos determinantes sociais de saúde, na qual são investigadas a forma como relações sociais, passadas e presentes, acarretam diferentes exposições e, portanto, diferenças nos desfechos de saúde; (2) sistemas locais de saúde, com ênfase no impacto sobre a reorganização da rede, a reestruturação da oferta e as condições de acesso da população; (3) a organização dos serviços urbanos nas áreas metropolitanas latino-americanas e sistemas locais de informação; (4) a produção e reprodução das desigualdades sociais, em particular os aspectos referentes ao conceito e sua mensuração, estrutura social e reprodução social, e saúde/sobrevivência; e (5) o ambiente e a qualidade de vida, especialmente no que se refere à problemática do desenvolvimento auto-sustentado; (6) a análise das desigualdades sócio-espaciais em problemas de saúde e ambiente relacionadas aos modelos de desenvolvimento, incluindo questões relacionadas à vulnerabilidade social e à justiça ambiental.
    Ver projetos
  • DIREITO, SAÚDE E CIDADANIA


    A discussão entre as ciências da saúde e jurídicas tem buscado a construção de um saber integrado, que dê conta das questões relativas ao Direito, Saúde e Cidadania. A construção desta linha de pesquisa pauta-se na importância do tema e necessidade de sua abordagem acadêmica, partindo da idéia de que é preciso que a Saúde se aproprie dos instrumentos da Ciência Jurídica e que esta seja proprietária de conhecimentos da Saúde. Esta linha incorpora a área do Direito e Saúde, integrando diversas disciplinas, com o objetivo de contribuir para a melhoria das condições de saúde, tendo como ponto privilegiado a construção da cidadania, que extrapole o âmbito do individual e conforme espaço de conquista de direitos humanos no bojo da Saúde Pública.
    Ver projetos
  • EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE


    A linha de pesquisa abrange projetos voltados para o entendimento dos problemas de saúde das classes subalternas a partir das suas práticas e concepções, tanto nas cidades como no campo. A perspectiva teórico-metodológica que orienta os estudos é a educação popular de base freiriana, onde se privilegiam formas participativas de pesquisa e de intervenção social adequadas a uma concepção ampliada de vigilância da saúde. Os estudos inseridos nesta linha têm por objetivo entender a situação de pobreza e as táticas de sobrevivência das classes subalternas. Ressalta a busca de recursos complementares ou alternativos aos serviços de saúde que abordam o processo de saúde-doença-cuidado, como a religiosidade popular e grupos de convivência que potencializam recursos e redes de apoio social.
    Ver projetos
  • ENSINO


    Reúne documentos resultantes das atividades de ensino, visando a formação de recursos humanos para o SUS e para o quadro nacional de C&T em Saúde, em suas diversas modalidades
    Ver projetos
  • FORMULAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E SAÚDE


    Compreende estudos sobre o processo de formulação e implementação de políticas públicas, difusão de orientações normativas em políticas através de agências internacionais, comunidades de especialistas e atores nacionais, relações federativas e entre os poderes e sua interface com a saúde, participação dos diferentes grupos sociais nas políticas de saúde. Analisa a configuração de arranjos institucionais e as condições de condução, implementação e de veto, por atores estatais, grupos de interesse e/ou movimentos sociais, de políticas governamentais que afetam as condições de saúde, o meio ambiente e o acesso a serviços, programas e bens públicos.
    Ver projetos
  • INFORMAÇÃO E SAÚDE


    Orienta-se tanto para a análise das características e entraves à melhoria da qualidade das informações em saúde, das relações de poder e produção de saber que consubstanciam a Política Nacional de Informação em Saúde e dos princípios metodológicos e tecnológicos da Gestão da Informação em Saúde; quanto para a produção de informação na formulação, implementação e avaliação de políticas e intervenções na saúde. Estuda o campo da informação em saúde, ancorando-se na teoria da informação e na noção de interdisciplinaridade e transdisciplinaridade. Provê subsídios para priorização de problemas de saúde e alocação de recursos, para análises da distribuição, acesso e uso de tecnologias e serviços de saúde. Faz uso expressivo de bases de dados secundários, incluindo a formulação de bancos de dados específicos. Incorpora conhecimentos da Epistemologia, Computação, Demografia, Epidemiologia e da Clínica, articulados ao Planejamento, Gestão e Avaliação de Sistemas e Serviços de Saúde, utilizando técnicas da Estatística e Pesquisa Operacional.
    Ver projetos
  • INSTITUIÇÕES, PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL


    Destacamos na emenda três aspectos centrais que comporta a análise da Política Pública: (1) o processo de formulação, seu escopo e atores relevantes, assim como, a relação entre o processo decisório e a implementação, considerando-se a natureza da federação brasileira ¿ níveis nacional e subnacionais ¿ e as relações entre executivo, legislativo, judiciário e Ministério Público; (2) o estudo das instituições de governo, sob a perspectiva do institucionalismo histórico, contribuindo para a compreensão dos legados institucionais que interagem na implementação das políticas públicas, presentes nas esferas de governo acima mencionadas; e (3) a participação societária, incorporando novos atores ao processo decisório da política pública e requerendo abordagens teóricas e estudos relativos a atores e movimentos sociais e à sua articulação em instâncias e/ou organizações societárias.
    Ver projetos
  • PESQUISA CLÍNICA


    Esta linha dedica-se a estudos de avaliação de eficácia, efetividade e segurança de intervenções em saúde, tais como imunobiológicos e outras tecnologias médicas propostas para uso clínico individual ou em programas de saúde, bem como a estudos de validação de métodos diagnósticos e instrumentos de medida em saúde em geral. Articula-se no sentido de produzir aplicações em programas e políticas de saúde através da busca, análise e síntese de evidência científica para fundamentar escolhas de intervenções seguras e eficazes.
    Ver projetos
  • PLANEJAMENTO E GESTÃO EM SAÚDE


    As principais temáticas tratadas nesta linha são: dinâmica das organizações de saúde; modelos e tecnologias de gestão; planejamento e gestão hospitalar; planejamento e programação regional de sistemas e serviços de saúde; análise cultural; liderança; trabalho gerencial; trabalho em saúde e produção do cuidado; relação contratual em sistemas e serviços de saúde; modelos jurídico-administrativos e implicações na gestão; mudança organizacional; relações intergovernamentais na gestão de sistemas de saúde. Estas temáticas são abordadas a partir dos seguintes referenciais teórico-metodológicos: abordagem racional, orgânica e política das organizações; aprendizagem organizacional; Démarche Estratégica; paradigma da linguagem; planejamento estratégico-situacional (PES); psicodinâmica do trabalho; psicossociologia e abordagem clínica psicanalítica aplicada às organizações; qualidade total.
    Ver projetos
  • POLÍTICA E GESTÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO (CT&I) EM SAÚDE


    Esta linha de pesquisa dedica-se ao estudo dos sistemas nacionais de ciência, tecnologia e inovação em saúde. Os principais temas são: a evolução e dinâmica do complexo industrial da saúde e dos distintos segmentos produtivos; as políticas de ciência, tecnologia e inovação em saúde; o desenvolvimento institucional; os mecanismos de incentivo, indução e regulação na área; as inovações organizacionais associadas à produção de bens e serviços tecnológicos em saúde; a avaliação das tendências tecnológicas e econômicas; a capacitação científica, tecnológica e gerencial de organizações de CT&I em Saúde; e o desenvolvimento de modelos, metodologias e ferramentas de planejamento e gestão das atividades de CT&I em Saúde.
    Ver projetos
  • POLÍTICAS E SISTEMAS DE SAÚDE EM PERSPECTIVA COMPARADA


    A proposta desta área de pesquisa é analisar, numa perspectiva comparada, o processo de desenvolvimento histórico da política de saúde, de estruturação e reforma dos sistemas de serviços. O objetivo central é estudar a especificidade da política de saúde no âmbito da política social e analisar, numa perspectiva comparada e a partir do estudo de casos selecionados, a natureza da intervenção estatal no setor e sua dinâmica no tempo e espaço; os arranjos políticos e institucionais que viabilizaram a organização dos diferentes sistemas de saúde; as tendências de reforma e os modelos que preconizam em períodos históricos específicos. É uma área transdisciplinar e trabalha com diferentes enfoques metodológicos e técnicas de investigação, para dar conta tanto da complexidade do objeto sob estudo quanto da variabilidade dos padrões de política e de organização de sistemas de saúde nos diversos países, seja no Norte, seja no Sul.
    Ver projetos
  • PROFISSÃO E GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO EM SAÚDE


    Esta linha de pesquisa situa-se nos campos da Sociologia e da Gestão do Trabalho e da Educação. Envolve três grandes áreas: a sociologia das profissões, o mundo do trabalho; a gestão do trabalho e da educação no setor saúde. Desenvolve pesquisas voltadas para os aspectos do trabalho em geral, a gestão do trabalho e da educação, a qualidade da formação do trabalhador, o desenvolvimento de métodos pedagógicos inovadores, incluindo os processos de ensino-aprendizagem proporcionados pela incorporação intensiva das Tecnologias de Informação e Comunicação, bem como para os aspectos contemporâneos da sociologia das profissões.
    Ver projetos
  • SAÚDE GLOBAL E DIPLOMACIA DA SAÚDE



    Ver projetos
  • SAÚDE MENTAL


    Esta linha de pesquisa abrange temas da epidemiologia, das políticas sociais, da história dos saberes e das instituições no campo da Saúde Mental. Trata, com particular interesse, de pesquisas sobre a distribuição de transtornos mentais em grupos populacionais e seus fatores de risco, assim como de desenho, análise e meta-análise de ensaios clínicos em psiquiatria. Essa área também abrange as investigações sobre tendências recentes e contemporâneas de desinstitucionalização e reforma psiquiátrica, políticas públicas em saúde mental e assistência psiquiátrica, além das técnicas e tendências do planejamento, organização e gerência de serviços e sistemas de saúde mental.
    Ver projetos

pesquisa

Calendário

Nenhum agendamento para hoje

ver todos