Ministério da Saúde

Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca

Pós-Graduação em epidemiologia em saúde pública

O Programa de Epidemilogia iniciou suas atividades em 2007 e tem seus cursos credenciados pela Capes. Saiba mais

Destaque

Dissertação apresenta fatores associados com a insatisfação da imagem corporal

No dia 17 de outubro, apresentação da dissertação de mestrado acadêmico em Epidemiologia em Saúde Pública Fatores associados com a insatisfação da imagem corporal: resultados da linha de base do ELSA-Brasil, por Liliane da Silva Albuquerque, na sala 408 da ENSP, às 9h30.
 

Ceensp abordará consequências das mudanças climáticas na saúde

Tufões, tempestades e terremotos vêm deixando milhares de mortos e feridos, além de incontáveis desabrigados pelo mundo. O panorama é que a situação piore por conta das mudanças climáticas que estão ocorrendo em todo o planeta. Para debater o problema, o próximo Centro de Estudos Miguel Murat da ENSP reunirá os pesquisadores Christovam Barcellos (Icict/Fiocruz) e Norma Valencio (UFSCar). Com o tema Mudanças climáticas e desastres no Brasil - desafios para a segurança humana e a saúde coletiva, a atividade está marcada para o dia 8/10, às 14 horas, no salão internacional. Participe!

Ceensp debate a doença pelo vírus ebola

O Centro de Estudos Miguel Murat da ENSP se reúne, no dia 1º de outubro, para debater o vírus ebola. Tendo como tema Doença pelo Vírus Ebola (DVE): desafios para a saúde pública e para a bioética, a atividade contará com as participações do vice-diretor de Serviços Clínicos do INI/Fiocruz, José Cerbino Neto, do representante da Diretoria de Controle e Monitoramento Sanitários da Anvisa, Eduardo Hage Carmo, e do pesquisador da ENSP Sergio Rego. O Ceensp será coordenado pelo também pesquisador da Escola José Fernando Verani. O evento é aberto a todos os interessados, não é necessária inscrição prévia e está marcado para 14 horas, no salão internacional.

Mortalidade infantil prevalece no norte e nordeste

Analisando os fatores de risco para a mortalidade infantil em municípios do norte e nordeste do Brasil e no Vale do Jequitinhonha (MG), onde as taxas de mortalidade infantil são as maiores do Brasil, a aluna do mestrado acadêmico em Epidemiologia em Saúde Pública Barbara Ayres observou que as variáveis que apresentaram associação de maior magnitude com a mortalidade neonatal e pós-neonatal nesse estudo foram as sociodemográficas. "A melhoria da atenção à saúde tem grande destaque na redução da mortalidade infantil, como a literatura já vem destacando com o passar dos anos, no entanto, não devemos desvalorizar a contribuição de outros fatores que não pertencem a esse âmbito na ocorrência da mortalidade infantil", pontuou.

Documentos

Copyright 2006 ENSP/FIOCRUZ. Todos os direitos reservados.