link para a página principal do portal
Tamanho da Letra   menor ou maior
formulário de busca
Transições paleoepidemiológicas em parasitologia: entendendo a variação do parasitismo do período neolítico ao período industrial

Departamento: DENSP - DEPARTAMENTO DE ENDEMIAS SAMUEL PESSOA

Programa de pós-graduação: EPIDEMIOLOGIA EM SAÚDE PÚBLICA

Linha: PALEOPATOLOGIA, PALEOPARASITOLOGIA E PALEOEPIDEMIOLOGIA

Grupo: PALEOPARASITOLOGIA E PALEOEPIDEMIOLOGIA

Subárea de Conhecimento: 4.06.01.00-5

Descrição do projeto:
Alguns parasitos humanos originaram-se em pré-hominídeos, permanecendo entre os grupos humanos até a atualidade e são chamados de “parasitos herdados”, ou de origem filogenética (heirloom parasites). Outros parasitos foram adquiridos do ambiente, à medida que os grupos humanos passaram a ocupar diversos espaços e adotaram diferentes formas de subsistência. A estes, chamam-se parasitos de origem ecológica (souvenir parasites). O povoamento das Américas, a partir de grupos asiáticos, trouxe consigo seus parasitos, mas outros foram adquiridos no Novo Mundo. Os perfis paleoepidemiológicos que se estabeleceram no Novo e Velho Mundo são distintos, com características bem acentuadas que vêm sendo evidenciadas pelos achados da paleoparasitologia. Este projeto pretende estudar as mudanças ocorridas na paleoepidemiologia do Novo Mundo, comparando-as às da Europa do mesmo período, por estudos de vestígios de parasitos e restos alimentares em populações pré-históricas americanas e de períodos europeus correspondentes.
Material & Métodos: O material de sítios arqueológicos a serem examinados compreendem regiões da Europa, América do Norte e da América do Sul, cujo acesso já está disponível. Correspondem a sítios de ocupação datados do Neolítico europeu à idade média, e ocupações pré-históricas americanas, especialmente do centroeste dos Estados Unidos, com ênfase nos Pueblos Ancestrais, mas também em ocupações de cavernas, e sítios do semiárido e sambaquis da costa brasileira.
Perspectivas de envolvimento de alunos e pesquisadores: Durante o desenvolvimento do projeto, estudantes de mestrado e doutorado da Universidade de Nebraska e da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca terão oportunidade de intercâmbio, pois os dois laboratórios envolvidos já cooperam desde 1984 e seus pesquisadores mantêm produção científica em colaboração desde então. Estão previstos estágios de pós-doutorado e bolsas sanduíche de ambos laboratórios envolvidos.
Resultados esperados: Os estudos propostos complementarão aspectos da vida pré-histórica nas Américas, especialmente no que se refere às condições de saúde destas populações. A ênfase estará nas geohelmintíases, mas não se podem afastar outras infecções que porventura sejam detectadas. Os estudos fazem parte da linha de pesquisa sobre a origem e evolução das doenças infecciosas, objeto da paleoparasitologia desde sua criação em 1979, na Fundação Oswaldo Cruz. As respostas obtidas servirão para melhor compreensão do comportamento de doenças, inclusive seus aspectos evolutivos, mudanças e permanências, ao longo do tempo.

Natureza:

  • Pesquisa

Ano do início do projeto: 2012

Ano do fim do projeto: 2016

Coordenador: ADAUTO JOSÉ GONÇALVES DE ARAÚJO

Participante Interno:

Participante Externo:

Participante Aluno:

Participante Bolsista:

 
Quarta, 24 de Abril de 2019

ENSP NA WEB

facebook twitter Instagram youtube Soundcloud

BAIXE O APP DA ENSP

Google Play Store Apple App Store

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,
que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.


Creative Commons License

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.