link para a página principal do portal
Tamanho da Letra   menor ou maior
formulário de busca
A SAÚDE DAS POPULAÇÕES VIVENDO EM ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL (ZEIS)

Departamento: DSSA - DEPARTAMENTO DE SANEAMENTO E SAÚDE AMBIENTAL

Programa de pós-graduação: SAÚDE PÚBLICA

Linha: HABITAÇÃO E SAÚDE

Grupo: DESENVOLVIMENTO LOCAL, DETERMINANTES SOCIAIS DA SAÚDE E DO AMBIENTE E HABITAÇÃO SAUDÁVEL

Subárea de Conhecimento: 4.06.02.00-1

Descrição do projeto:
Objetivo geral:
Analisar o impacto na saúde das populações residentes nas áreas em estudo, de acordo com a realização de intervenções executadas no escopo do Programa - PAC, em áreas selecionadas das cidades de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro, nas populações vivendo em situação de vulnerabilidade. Zonas Especiais de Interesse Social (ZEIS).

Objetivo Específico 1

1. Detalhar o projeto de aferição do impacto em saúde nas áreas selecionadas, na perspectiva de intervenções geradas por políticas públicas não tradicionalmente entendidas como da área de saúde, mas com implicações relevantes para a saúde das populações.

Objetivo Específico 2

2. Construir modelos de avaliação (análise da implantação e acompanhamento da intervenção) em Saúde Urbana a partir de informações de dados secundários disponíveis e avaliação urbanística.

2.1 Construir Ambiente Estruturado de Armazenamento de Dados (AEAD) utilizando base de dados secundários disponíveis;

2.2 Avaliação do processo de intervenção na perspectiva de diferentes atores (gestores da política urbana e social, população das vilas/comunidades e cidade formal) por meio de análise documental e entrevistas
- Levantamento de Obras do PAC – Calendário das Intervenções (Planejadas e Realizadas)

2.3 Aferir a dinâmica das intervenções utilizando o AEAD
- Plano de análise dos dados secundários - Acompanhamento de intervenções a partir de análise de séries históricas de indicadores intra e inter áreas de estudo, tendo como referencial o calendário das intervenções

Objetivo Específico 3

3. Construir modelos de avaliação em Saúde Urbana a partir de informações de dados primários seguindo modelo do MOVE-SE BH, que avaliou variáveis relativas aos DSS, Modos de Vida e Bem Estar dos Adolescentes:

3.1 Identificar o conjunto de construtos ou domínios que conformam o campo da Saúde Urbana e aferir o impacto das intervenções nas áreas selecionadas. Informações primárias serão obtidas sob o enfoque do método quantitativo (inquérito epidemiológico e observação social sistemática) e qualitativo (avaliações: urbanística e de políticas públicas).
Dentre outros, os seguintes domínios serão incluídos:
a. Auto-percepção da saúde;
b. Avaliação do serviço de saúde da perspectiva dos profissionais, usuários, lideranças comunitárias e gerentes dos centros de saúde;
c. Auto-percepção do ambiente;
d. Bem estar de adolescentes;
e. Capital social;
f. Governança/governabilidade;
g. Observação sistemática da vizinhança e
h. Qualidade de vida.

3.2 . Acompanhamento da intervenção em segmentos - Implementar estratégias para o acompanhamento longitudinal visando aferir a sustentabilidade das intervenções na perspectiva da Saúde Urbana no Aglomerado Morro das Pedras e da Serra, em BH e Manguinhos e outra área a ser definida, no Rio .

3.3. Modelo de avaliação de intervenções em saúde urbana - Propor indicadores compreensíveis, acessíveis e factíveis para o monitoramento do impacto das intervenções em Saúde Urbana.


MÉTODOS


O estudo será dividido em duas fases. A fase I compreenderá o período de agosto de 2012 a agosto de 2013. A fase II terá duração mais prolongada, de agosto de 2013 a agosto de 2017. Ambas as fases terão componentes de análise de dados primários e secundários. A criação do armazém de dados, na primeira fase, garantirá análises de dados freqüentes e interativas ao longo do tempo.

Os estudos longitudinais, iniciados na primeira fase, mas com forte componente na fase II, permitirão o acompanhamento dos efeitos da intervenção junto à população. A duração do estudo será de 60 meses. Detalhamento do projeto de pesquisa encontra-se dentro do Fluxograma Global da proposta do Instituto.

Objetivo Específico 1

Detalhamento dos projetos de aferição de impacto em saúde nas seguintes ZEIS: Serra, Santa Lúcia, Morro das Pedras, Pedreira Prado Lopes; e nas áreas cariocas de: Manguinhos e outra a ser definida...; nas fases I e II.

Complementar histórico das cidades – contexto do crescimento urbano do Rio de Janeiro e Belo Horizonte
Objetivos gerais da descrição: Contextualizar historicamente as duas cidades (BH/RJ) que serão foco do projeto piloto, para isso descrever, sucintamente, o processo de desenvolvimento das áreas de favela ou localidades que são, de modo geral, indicadas como “vulneráveis”; apontar alguns programas e projetos de políticas públicas já implementados ou em vias de implementação.

Detalhar Cronograma, Equipes e Orçamentos-principalmente para etapas iniciais

Produto

P1: Projeto Detalhado Fase I – Janeiro de 2012

P5: Projeto Detalhado Fase II – Janeiro de 2012

Objetivo Específico 2

2 Construir modelos de avaliação em Saúde Urbana utilizando bases de dados secundários disponíveis, através da criação do Ambiente Estruturado de Armazenamento de Dados (AEAD) e análises posteriores de séries históricas intra e inter ZEIS, considerando as intervenções resultantes do PAC-PGE.

2.1 Ambiente Estruturado de Armazenamento de Dados (AEAD)

Consiste basicamente em um grande repositório de dados integrados, organizados em assuntos, utilizando um conjunto de técnicas que, aplicadas, geram um sistema de dados que proporcionam informações para tomada de decisões que serão disponibilizadas.

Visa fornecer os subsídios necessários para a transformação de bases de dados organizados com finalidades e estruturas diversas para processamentos relativamente rápidos, acurados e eficientes. Tal estrutura suporta tomada de decisões, permitindo analisar tendências e padrões em grandes quantidades de dados ao longo do tempo (histórico) em diferentes localizações (geográficas).

A partir das bases georreferenciadas e administradas pela PRODABEL, e das bases georreferenciadas e compiladas pelo Laboratório de Geoprocessamento da FIOCRUZ, as bases de dados secundários e seus respectivos indicadores (prevalências e taxas), abaixo listados, serão candidatas a compor o AEAD. Entretanto para efeito de produtos mais ágeis, pela maior facilidade de obtenção e pela maior vinculação destas aos processos de urbanização, propomos neste estudo as variáveis grifadas em vermelho.

Natureza:

  • Pesquisa

Ano do início do projeto: 2012

Ano do fim do projeto: 2017

Coordenador: SIMONE CYNAMON COHEN

 
Terça, 19 de Novembro de 2019

ENSP NA WEB

facebook twitter Instagram youtube Soundcloud

BAIXE O APP DA ENSP

Google Play Store Apple App Store

Este portal é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento,
que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.


Creative Commons License

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.