1. Contra a violência de estado e por uma mudança de mentalidades

    Na manhã da última quarta-feira, 20 de junho, os trabalhadores da Fiocruz receberam uma notícia, infelizmente, corriqueira: operação policial na Favela da Maré colocava em alerta aqueles que usam a portaria da Avenida Brasil e acabaria por encerrar o expediente no prédio da Expansão, sob intenso barulho de tiros, disparados inclusive de um helicóptero. Naquela mesma manhã, o menino Marcos Vinícius da Silva, de 14 anos, também seguia sua rotina a caminho da escola quando foi alvejado pelas costas. Segundo mãe do menino, a ambulância que viria buscá-lo chegou a ser impedida pela polícia de entrar na favela. Levado ao hospital Getúlio Vargas, ele morreria horas mais tarde, deixando um rastro de indigação e tristeza entre parentes, amigos e aqueles querem um país em que a vida humana seja um valor a ser preservado.

  2. Seca: problemas de saúde, vulnerabilidade socioambiental e estratégias de resposta são tema de pesquisa na ENSP

    Defesa de mestrado em Saúde Pública Problemas de saúde, vulnerabilidades socioambientais e estratégias de resposta e adaptação relacionados à seca no Semiárido brasileiro: um estudo de caso em Castelo do Piauí, por Larissa Cardoso Gomes de Lima, no dia 22/6, às 13h30, na sala 700 (Claves) do prédio da expansão da Fiocruz. O trabalho está sob a orientação de Carlos Machado de Freitas e tem Marcel de Moraes Pedroso como segundo orientador.

  3. Kits para Testes de Zika e Chikungunya

    Entre julho e setembro de 2018 a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz desenvolverá o estudo sobre soroprevalência de Zika, Dengue e Chikungunya no município do Rio de Janeiro, o Projeto de Pesquisa ZDC. Como ainda não se conhece o percentual de indivíduos no Rio de Janeiro que tiveram contato com os vírus de Zika e Chikungunya, sobretudo porque alguns casos são assintomáticos e confundem o quadro clínico no início da infecção, o objetivo do projeto consiste em desvendar a porcentagem da população que teve contato no passado ou recentemente com os vírus dessas doenças, possibilitando o conhecimento de sua distribuição e a realização de estratégias de controle mais eficazes. Para isso, profissionais contratados pela Fiocruz visitarão 1.500 domicílios, em todos os bairros da cidade, para entrevistar e realizar testes rápidos para detecção de Zika, Dengue e Chikungunya.