1. Debate na ENSP abordará a crise da saúde no Rio de Janeiro

    Na quinta-feira, 23 de novembro, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) realizará o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro. Marcado para às 9 horas, no salão internacional da Escola, o debate será coordenado pelo médico, Vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  2. Entrevista: Projeto busca preservar a Memória da Saúde Pública do Brasil

    Há 63 anos, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) realiza pesquisas na área de saúde pública, abre caminhos para inovação e produz grande volume de conhecimentos. Entretanto, com o passar do tempo, alguns documentos de pesquisa e da história da saúde pública podem se degradar, desaparecer ou até mesmo caírem no esquecimento, o que gera prejuízos imensuráveis para a memória da instituição e da saúde brasileira. Ciente dessa situação, a Escola, em parceria com a Casa de Oswaldo Cruz (COC), criou o projeto Memórias ENSP. A iniciativa se contrapõe a esse processo negativo e promove esforços para identificar, preservar e divulgar documentos resultantes das pesquisas realizadas nos centros e departamentos da instituição.

  3. Seminário Internacional encerra atividades debatendo experiências viáveis de desmedicalização

    Experiências viáveis e seguras de desmedicalização psiquiátricas foi o tema em debate no último dia de atividades do seminário Internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Consequências e Alternativas, realizado, na ENSP/Fiocruz, durante três dias (30 e 31/10 e 1º/11), e que contou com a participação de diversos palestrantes nacionais e internacionais detentores de experiências e evidências científicas concretas de alternativas viáveis e seguras à desmedicalização. Coordenada por Francisco Netto, coordenador executivo do Programa Álcool, Crack e outras Drogas (PACD) da Fiocruz, a mesa contou com a participação de três grandes nomes: Robert Whitaker, Laura Delano e Jaakko Seikkula. O evento internacional teve coordenação do pesquisador Paulo Amarante, do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da ENSP/Fiocruz.

  4. VideoSaúde Distribuidora ganha registro no Arquivo Nacional

    A VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz passou a integrar (15/9) o Cadastro Nacional de Entidades Custodiadoras de Acervos Arquivísticos (Codearq) do Arquivo Nacional. A medida permitirá a distribuidora de vídeos da Fundação estar de acordo com a Política Nacional de Arquivos. "A VideoSaúde poderá realizar a descrição arquivística dentro de normas específicas, para que seja consistente, apropriada e autoexplicativa, além de permitir o reconhecimento do valor científico e histórico de seu acervo para fortalecimento das ações de preservação da memória da saúde pública brasileira”, explica Eliane Pontes, tecnologista em Saúde da VideoSaúde e uma das responsáveis pela preservação digital do acervo.

  5. Diabetes aumenta no país e já atinge 9% dos brasileiros

    Em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, o Ministério da Saúde reforça o alerta à população sobre o crescimento da doença no país. O diagnóstico da enfermidade aumentou 61,8% em 10 anos, segundo dados da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) do Ministério da Saúde.  Entre 2006 e 2016, o número de pessoas que dizem saber do diagnóstico de diabetes passou de 5,5% para 8,9%. As mulheres lideram o ranking: 9,9% da população feminina declarou possuir a doença contra 7,8% dos homens. O crescimento do diabetes é uma tendência mundial, devido ao envelhecimento da população, mudanças dos hábitos alimentares e prática de atividade física. De acordo com a Pesquisa Vigitel, 18% da população das capitais brasileiras consomem alimentos doces em cinco ou mais dias da semana, sendo maior entre mulheres (19,7%) do que entre homens (16,0%). O comportamento é mais comum entre jovens de 18 a 24 (26,2%) seguido pela faixa etária de 25 a 34 (20,6%). O levantamento foi feito, a partir de perguntas que indagavam sobre a frequência semanal do consumo de sorvetes, chocolates, bolos, biscoitos ou doces.

  6. Serviços Residenciais Terapêuticos: pesquisa da ENSP analisa situação do município do Rio de Janeiro

    Para analisar a estrutura e o processo de cuidado dos 80 Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs) no município do Rio de Janeiro, distribuídos nas 10 Áreas Programáticas (APs) da cidade, em dezembro de 2016, foi realizada uma pesquisa pela aluna do Mestrado em Saúde Pública da ENSP Luciana de Medeiros Lacôrte Soares, sob orientação do pesquisador Paulo Roberto Fagundes da Silva. De acordo com o estudo, 439 pessoas moravam nos SRTs, com taxa de ocupação de 94,6%, e proporção de 0,07 vagas por 10 mil habitantes. Entre os moradores, 57% das 464 vagas distribuídas nos 80 módulos residenciais eram ocupadas por homens, enquanto 43% por mulheres, e, do total dos indivíduos residentes nas SRTs, 41% estavam com idade superior a 60 anos. “Levando-se em consideração a taxa de ocupação nos SRTs, é possível dizer que havia pouca ociosidade de vagas nos dispositivos residenciais. Quanto à média de moradores (5,5 por casa), estava abaixo do teto de ocupantes preconizado pela Portaria nº 3.090 de 2011.” 

  7. Curso sobre Fundamentos da Experiência Psicanalítica está com inscrições abertas

    Estão abertas, até 30 de janeiro de 2018, as inscrições para o curso de Atualização em Fundamentos da Experiência Psicanalítica, coordenadoda pela pesquisadora do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), Clarice Gatto. O curso tem por objetivo contribuir para uma perspectiva crítica ante a práxis que se exerce nos espaços institucionais de trabalho, além de propiciar aos participantes uma reflexão sobre os conceitos fundamentais na abordagem do trabalho clínico da psicanálise e fornecer referências teóricas que orientem as ações na atenção à saúde, em especial, na saúde dos trabalhadores em ambulatórios da rede pública de saúde. Ao todo 15 vagas estão disponíveis, para profissionais de nível superior que articulem o exercício de seu trabalho (clínico) ao saber da psicanálise, especialmente: médicos, psicólogos, psiquiatras, assistentes sociais, enfermeiros e terapeutas ocupacionais. Acesse o edital do curso na Plataforma Siga.

  8. Curso de Gestão e Tecnologias do Saneamento está com inscrições abertas

    Estão abertas as inscrições para o curso de especialização em Gestão e Tecnologias do Saneamento 2018. Ao todo, 25 vagas estão disponíveis. Elas são voltadas para profissionais graduados com atuação ou interesse nas áreas de saúde e saneamento ambiental. O objetivo da formação é qualificar os alunos para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, de assessoria técnica e de gestão nos campos do saneamento e da saúde ambiental; atualizar e aperfeiçoar conhecimentos que atendam satisfatoriamente às demandas dentro do novo arcabouço institucional no campo do saneamento e da saúde ambiental; assim como aprofundar os conhecimentos necessários à análise, à gestão e à avaliação de projetos, bem como à regulação dos serviços na área de saneamento básico e ambiental; e ainda estimular a construção de projetos de pesquisa que abordem as questões do saneamento básico e ambiental, e também as interfaces destas com determinados processos de saúde-doença. A inscrição deve ser feita on-line, pela Plataforma Siga, até dia 11 de janeiro de 2017. Acesse o edital

  9. Debate sobre violações de direitos provocadas pelas construções de barragens está disponível em vídeo

    O Departamento Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da ENSP promoveu a sessão do Centro de Estudos Giuliano Suassuna As violações de direitos humanos e resistência das mulheres atingidas por barragens. A atividade, realizada em parceria com o Movimento dos Atingidos por Barragens, foi coordenada por Maria Helena Barros de Oliveira, coordenadora do Dihs/ENSP, e Allanis Dimitria Pedrosa, membro do departamento. Para a discussão o Centro de Estudos recebeu as palestrantes Louise Löbler, Jessica Portugal e Lucielle Viana, representantes do MAB, que debateram todas as formas de discriminação e violações dos direitos dos atingidos. De norte a sul do Brasil, mais de duas mil barragens já foram construídas e aproximadamente um milhão de pessoas foram expulsas de suas casas pela desapropriação de terras e impactos ambientais provocados pela construção. Desse total de pessoas atingidas, pelo menos 70% sequer recebeu algum tipo de indenização das empresas ou do Estado. Confira, no Canal da ENSP no Youtube, as apresentações na íntegra.