1. Panorama da influenza no Brasil é tema de evento na Fiocruz

    A Fiocruz promove o evento Influenza: Uma epidemia de todos os anos, na próxima quinta-feira (26/4), das 9h às 13h, no Museu da Vida, no campus de Manguinhos da Fundação (Rio de Janeiro). O encontro terá como objetivo principal apresentar o panorama da influenza no Brasil, os vírus circulantes, os grupos com maior risco de contraírem as formas graves e as medidas de prevenção. 

  2. Editora Fiocruz celebra Dia do Índio com sugestão de livros e DVDs

    A saúde indígena é uma das áreas de atuação da Editora Fiocruz. Em seu catálogo, destaca-se a coleção Saúde dos Povos Indígenas, que reúne estudos originais sobre os mais diversos aspectos do processo saúde-doença dos povos indígenas. Os livros da coleção têm como objetivo contribuir para a construção de enfoques teóricos e técnicos inovadores que, no tocante à saúde, possibilitem estabelecer relações socialmente mais justas entre a sociedade brasileira e os povos indígenas.

  3. Cine Saúde faz homenagem à Marielle Franco

    Na próxima quinta-feira, 26/4, às 14h, acontecerá a segunda sessão do projeto Cine Saúde. Desta vez o filme exibido será Tropa de Elite 2 – O inimigo agora é outro, como uma homenagem à vereadora Marielle Franco, que foi brutalmente assassinada no dia 14 de março nas ruas do Rio de Janeiro. A atividade é promovida pelo Laboratório Internet, Saúde e Sociedade, do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP) e é coordenada pelo pesquisador André Pereira Neto. A exibição é aberta ao público em geral e acontecerá na sala Mário Sayeg, localizada perto da entrada do Centro de Saúde. Ao final da exibição terá um debate com os participantes. 

  4. Pesquisadores da ENSP integram Instituto internacional de estudos sobre os impactos das drogas psiquiátricas

    Os pesquisadores do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da Escola Nacional de Saúde Publica Sergio Arouca (Laps/ENSP) Paulo Amarante e Fernando Freitas integram o corpo docente e de pesquisadores do International Institute for Psychiatric Drugs Withdrawal (IIPDW), um espaço formado por cientistas e pensadores de vanguarda que buscam a construção de alternativas aos danos e impactos que as drogas psiquiátricas produzem na saúde mental de trabalhadores, professores, usuários e na sociedade em geral. Para Paulo e Fernando, "fazer parte do IIPDW fortalece o Laps, como Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, e vai além disso, pois a atenção psicossocial ganha relevância".

     

  5. 'Radis' divulga novas ações de prevenção contra a febre amarela

    Apesar de ser uma doença conhecida, prevenível por vacinação, as abordagens contra a febre amarela não evitaram o aumento de 50,8% no número de casos em 2018 em relação a 2017. Some-se a isso o risco confirmado de reurbanização da doença, que mobiliza ativistas e especialistas para a divulgação de informações confiáveis e a necessidade de convencer a população a se vacinar. Radis apresenta, a seguir, um guia atualizado sobre a febre amarela, com base em orientações fornecidas por pesquisadores em oficina ministrada para jornalistas, no mês de março. Na pauta, os estudos sobre o novo medicamento, avaliações sobre a eficácia da vacina e a defesa da imunização - medida comprovada de prevenção do retorno da doença às cidades. Leia a reportagem completa da Radis, n° 187. 

  6. Nobel da Paz homenageia Marielle Franco em evento com Fiocruz

    O Prêmio Nobel da Paz, Adolfo Pérez Esquivel, participou na segunda-feira (16/4) de um evento organizado pelo Fórum de Direitos Humanos, que reúne universidades, movimentos sociais e instituições científicas do Rio de Janeiro. Na Faculdade Nacional de Direito (FND), o ativista argentino demonstrou preocupação com a democracia em países da América Latina e do mundo e também fez uma homenagem à vereadora Marielle Franco e ao seu motorista, Anderson Gomes, assassinados no mês passado. 

  7. Comunicação como ferramenta estratégica para o fortalecimento do SUS

    O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), promoveu mais uma sessão do projeto 'Encontros do Cesteh'. Realizado em 18 de abril, o encontro abordou a comunicação e informação em pesquisas e serviços de saúde. Para discutir o tema a atividade contou com a participação da coordenadora de Comunicação Institucional da Escola Nacional de Saúde Pública, Rita Mattos. Em sua fala a coordenadora da CCI/ENSP destacou que a comunicação é uma ferramenta estratégica para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O debate contou com a participação dos trabalhadores do Cesteh e foi mediado pelo técnico do laboratório de Toxicologia do Cesteh/ENSP, Leandro Carvalho.

  8. Abrascão 2018: docente da ENSP representa GT Saúde Indígena

    Bacharel e licenciado em Enfermagem pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Felipe Guimarães Tavares é mestre e doutor em Epidemiologia pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). Professor da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, da Universidade Federal Fluminense (UFF), e vice coordenador da residência de Enfermagem em Saúde Coletiva da mesma instituição, compõe e representa na Comissão Científica o Grupo Temático Saúde Indígena.

  9. Investimento em dose dupla para combater a resistência aos antimicrobianos

    Duas oportunidades de financiamento de projetos no tema de resistência aos antibióticos estão abertas por meio de editais que envolvem parcerias entre Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Fundação Bill & Melinda Gates. Os editais abrangem linhas temáticas complementares na busca de soluções para esse problema, que ameaça a saúde da população em todo o mundo e pode matar 50 milhões de pessoas até 2050. Os interessados podem se inscrever em uma ou nas duas chamadas.

  10. Febre amarela: 10 milhões ainda precisam se vacinar

    O Ministério da Saúde reforça a importância da população procurar os postos de vacinação nas novas áreas de risco de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. De acordo com o boletim epidemiológico publicado na última quarta-feira (11/4), que traz as informações enviadas pelos gestores locais, os três estados ainda estão com a cobertura bem abaixo da meta, que é 95%. A cobertura da campanha em curso no Rio de Janeiro está com 40,9%, a Bahia está com 55% e São Paulo com 52,4% da população-alvo vacinada. A vacina está disponível nos postos de saúde. O período de alta da doença segue até maio. Ao todo, a campanha nesses estados busca imunizar 23,8 milhões de pessoas.