1. Avança projeto sobre leishmaniose na Marambaia

    Entrou na terceira fase o projeto de pesquisa sobre a prevalência de vetores e o risco de transmissão de leishmaniose, na Ilha de Marambaia, em Mangaratiba, Rio de Janeiro. O projeto é fruto de um compromisso firmado, em 2009, entre a Marinha e a ENSP. Segundo os pesquisadores Marcos Barbosa de Souza e Antonio Nascimento Duarte, do Departamento de Ciências Biológicas da Escola, o objetivo principal do projeto é manter o campus avançado dos alunos de pós-graduação. Além disso, pretende agregar o departamento a um macroprojeto e fazer a interseção com a área de ensino da Escola e com outras instituições.

  2. Mulheres negras são tema de atividades em Manguinhos

    As últimas décadas apresentaram grandes mudanças relacionadas ao direito e à participação das mulheres na sociedade. No entanto, a igualdade e o respeito ainda são desafios de um mundo mais igualitário e equânime. Em comemoração ao Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, diversas atividades estão ocorrendo em Manguinhos. A ENSP, parceira dessas ações na comunidade, apoia as atividades em comemoração a esse dia desenvolvidas pela Casa da Mulher de Manguinhos e o Centro de Referência da Juventude. A semana de atividades acabará no sábado (28/7), com a realização de palestras, homenagem às lideranças femininas de Manguinhos e festa julina. Todas as atividades são gratuitas e abertas aos interessados.

  3. Ritmos biológicos é tema de evento na Fiocruz

    Estão abertas as inscrições para o XI Simpósio Brasileiro de Cronobiologia. O encontro – cujo foco são as mudanças regulares que acontecem em variáveis bioquímicas, fisiológicas e comportamentais dos seres humanos, conhecidos como ritmos biológicos ou ciclos circadianos – acontecerá no Rio de Janeiro, nos dias 10 e 11 de dezembro. Disseminar a cronobiologia, em especial dentro da Fiocruz, e promover a interação de pesquisadores e estudantes com a apresentação e o debate dos projetos de pesquisa dos alunos de pós-graduação são objetivos desse evento. O Simpósio é gratuito. Ele é realizado pela ENSP em parceria com o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz). Trabalhos poderão ser submetidos até o dia 30 de setembro.

  4. Portal Proqualis ganha área sobre eventos adversos

    Evento adverso, segundo a OMS, é um incidente que resulta em dano não intencional decorrente da assistência e não relacionado à evolução natural da doença de base do paciente. Verificados em diversos níveis, tais danos podem ser consequência de diferentes tipos de cuidado. O aumento mundial de sua incidência também deu mais visibilidade aos eventos adversos e aumentou a preocupação a respeito do assunto. Para divulgar informações científicas e pesquisas especializadas sobre o tema, o Portal Proqualis acaba de lançar a página Eventos Adversos. A ENSP e seus pesquisadores mantêm estreita relação com o Proqualis, por meio do desenvolvimento de projetos e linhas de pesquisa. Os coordenadores da nova página são os pesquisadores Walter Mendes, da Escola de Governo em Saúde da ENSP/Fiocruz, e Paulo Sousa, da ENSP da Universidade Nova de Lisboa, Portugal.

  5. Doença negligenciada é divulgada em unidades de saúde

    Uma doença causada por fungo e que atinge principalmente trabalhadores rurais está ganhando visibilidade com um novo trabalho desenvolvido pelo pesquisador da ENSP Ziadir Francisco Coutinho, em parceria com os pesquisadores Antonio Carlos Francesconi do Valle e Bodo Wanke, do Instituto de Pesquisas Clínicas Evandro Chagas (Ipec/Fiocruz). A paracoccidioidomicose, classificada como doença negligenciada, não é contagiosa e tem cura, mas causa graves sequelas se não for diagnosticada precocemente. Com o intuito de disseminar esse conhecimento, alertar e sensibilizar, em especial aos profissionais de saúde, para essa doença foi lançado um gibi, disponível na Biblioteca Multimídia da ENSP, e uma animação estão sendo distribuídos nos postos e unidades de saúde. Em breve, também será lançado um filme sobre o tema, que já está em fase de produção.

  6. Oficina dá início a projeto de cooperação com a França

    Em meados de junho, uma delegação de especialistas franceses - vinculados à Escola de Altos Estudos em Saúde Pública da França (EHSP) e a um centro hospitalar francês - participou de oficina de trabalho com dirigentes e pesquisadores da ENSP, do IFF e do IPEC, além de representantes da Presidência da Fiocruz e do Ministério da Saúde com o objetivo de debater temas centrais relacionados ao desenho e à adoção de ações para a transformação de duas unidades da Fiocruz em institutos nacionais de saúde. A visita dá início ao acordo de cooperação internacional entre a ENSP e a EHESP, firmado em novembro de 2011 no campo da gestão hospitalar, com o intuito de apoiar e colaborar com a Fiocruz, em particular com o IFF e o IPEC, no processo de implementação do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, do Adolescente e da Criança e do Instituto Nacional de Infectologia.

  7. Norte e Nordeste: prioritários em projetos para o SUS

    Os indicadores da saúde confirmam os indicadores econômicos: o Norte e o Nordeste do Brasil concentram as maiores iniquidades do país. Por isso as regiões terão prioridade na cooperação estratégica para o SUS, que une pesquisadores da Fiocruz e gestores dos conselhos de secretários estaduais e municipais de Saúde - Conass e Conasems. A diretriz foi definida na oficina de trabalho Cooperação Estratégica para o SUS – Fiocruz, Conass e Conasems, realizada em 13 de junho em Maceió, durante o XXVIII Congresso Nacional do Conasems, que contou com a participação do pesquisador do Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes da ENSP, Alberto Pellegrini Filho, e da pesquisadora da Escola Patricia Ribeiro.

  8. Energia nuclear e saúde: projeto para curso

    Especialistas do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP) se reuniram, no dia 11 de junho, com representantes do Instituto de Engenharia Nuclear e da Comissão Nacional de Energia Nuclear sobre Aplicações Nucleares e Saúde com o objetivo de coletar contribuições para o projeto de um curso de formação de profissionais de saúde frente à quantidade crescente de aplicações de técnicas nucleares na sociedade. Segundo o vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde, Valcler Rangel, a Fiocruz tem necessidade de fortalecer parcerias a fim de atender a um conjunto de iniciativas para solução de problemas complexos. “O diagnóstico colocado para a saúde pública só pode passar pela lógica de parcerias institucionais.”

  9. GHWA convida especialistas em saúde da América do Sul

    A Global Health Workforce Alliance (GHWA, também conhecida como 'Aliança') está convidando especialistas ligados à área da saúde no Brasil e na América do Sul como um todo para que se filiem gratuitamente à entidade. A Aliança foi criada em 2006 como uma plataforma comum de ação para enfrentar as crises e como uma parceria entre governos nacionais, sociedade civil, organismos internacionais, instituições financeiras, pesquisadores, educadores e associações profissionais, dedicados a identificar, implementar e defender soluções.