1. ONU: Covid-19 escancarou discriminação racial 'endêmica' no Brasil e EUA

    A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta para o impacto desproporcional que a Covid-19 está tendo entre as populações negras e cita o caso do Brasil como exemplo de tal fenômeno. Afro-brasileiros em São Paulo têm 62% mais chance de morrer da Covid-19 que brancos. Num comunicado emitido, a organização destaca o "aumento das disparidades" na forma como a Covid-19 está afetando as comunidades, e o grande impacto desproporcional que está tendo sobre as minorias raciais e étnicas, incluindo pessoas de ascendência africana.

  2. Dificuldade de acesso à rede de assistência é principal causa de subnotificação de casos de Covid-19, segundo pesquisador

    "O Brasil possui um sofrimento peculiar em comparação a outros países que vivenciam a pandemia de Covid-19, pois já passava por uma crise sanitária intensa anterior à disseminação da doença." A constatação é do pesquisador associado do Centro de Estudos Estratégicos (CEE/ENSP), Rivaldo Venâncio, em entrevista ao blog do Centro. Confira a reportagem completa!

  3. Escassez de testes e de sistema informatizado são possíveis causas para subnotificação de casos de Covid-19 em comunidades

    Pesquisas apontam que há subnotificação extrema de casos confirmados de Covid-19 no Brasil, indicando um total dez vezes maior em comparação ao atualmente registrado. Isso significa que seriam mais de 1,6 milhão de infectados, contra os 514.849 mil casos confirmados até a última segunda-feira (1/06) pelas Secretarias Estaduais de Saúde. Nas favelas do país, a situação não é diferente, inclusive nas comunidades e territórios mais vulneráveis do Rio de Janeiro, como Rocinha e Complexo do Alemão. Nas regiões mais pobres do Brasil, é provável que haja fatores específicos que contribuem para os números maiores do que os oficiais.

  4. Questionário digital vai ajudar a reduzir subnotificação de casos de Covid-19

    O jornal 'Voz das Comunidades' divulgou o formulário eletrônico foi criado por cientistas da Comissão RJ Ciência no combate à Covid-19, que reúne pesquisadores da UERJ, UFRJ e Fiocruz. Tem como objetivo reduzir a subnotificação de casos do novo coronavírus. A pesquisa, começou a ser feita nesta terça (12/5) e é coordenada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

  5. Coronavírus: artigo traz recomendações sobre contactantes dos mais vulneráveis

    Pesquisadores que integram o Grupo de Trabalho sobre Bioética do Observatório Covid-19 - Informação para ação da Fiocruz publicaram uma série de recomendações éticas, para Unidades de Saúde diante da pandemia, no que se refere ao isolamento compulsório de contactantes de crianças, adolescentes, pessoas com deficiência e idosos.  Eles defendem, no artigo, que, “diante do adoecimento com necessidade de internação em unidades de saúde, camadas adicionais de vulnerabilidade relacionadas tanto à própria doença, como ao processo de internação podem ser mitigadas com a presença do acompanhante, um importante promotor da dignidade e de qualidade de vida desses indivíduos”. Leia as recomendações. 

  6. Mortes por Covid-19 avançam nas prisões

    Apesar de ser um tema ausente dos debates públicos, até mesmo dos gabinetes de crise e planos de contingência para enfrentamento do coronavírus em grandes estados do país, a Covid-19, na população carcerária, está avançando. Com menos de um 1% das pessoas presas com acesso a diagnóstico, celas superlotadas, acesso restrito à água, ventilação e grande presença de doenças como tuberculose, diabetes e HIV/Aids, os efeitos do coronavírus podem ser devastadores nas prisões do Brasil. Embora apresente grande subnotificação, o aumento de mortes por pneumonia grave e síndrome respiratória aguda grave ligou o alerta dos pesquisadores. O debate sobre esse importante tema para a saúde pública marcou o retorno do Centro de Estudos da ENSP (Ceensp), em formato virtual, na quarta-feira (20/5).

  7. 'Covid-19: É possível recusar medidas?', questiona artigo

    O artigo Existe o direito de dizer não no contexto da pandemia Covid-19?, escrito pelos pesquisadores da ENSP, Sergio Rego e Pablo Dias Fortes, em parceria com outros pesquisadores que igualmente integram o Grupo de Trabalho sobre Bioética do Observatório Covid-19 - Informação para ação da Fiocruz, traz à luz a discussão sobre direitos individuais e coletivos no contexto da crise sanitária que o Brasil está vivendo. O texto debate desde artigos do Regimento Sanitário Internacional a decisões de gestores municipais. Nele, os autores questionam: “Os indivíduos têm o direito de recusar algumas dessas medidas caso não concordem?”.