1. Número de ciclistas acidentados no trânsito ultrapassa 10% do total de atendidos em emergência no país

    O Brasil possui a sexta maior frota de bicicletas do mundo, sendo o veículo de transporte individual mais utilizado no país. São aproximadamente 48 milhões de bicicletas, ficando o Brasil atrás apenas de China, Índia, Estados Unidos da América, Japão e Alemanha. As bicicletas dividem com o modo pedestre a maioria dos deslocamentos normais de 90% do total de municípios brasileiros. Apesar dessa realidade, a infraestrutura necessária para o uso das bicicletas no país não está disponível em todos os locais. Poucos estudos, porém, abordam a temática envolvendo os acidentes com ciclistas, bem como os fatores que colaboram ou evitam essa ocorrência. Menos ainda se sabe sobre acidentes de trânsito envolvendo ciclistas, apesar de serem frequentes em vários países, causando mortes e incapacidades, principalmente em crianças e adultos jovens. Sobre o tema, os pesquisadores da ENSP Carlos Augusto Moreira de Sousa e Patrícia Constantino; e Camila Alves Bahia, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, produziram o artigo Análise dos fatores associados aos acidentes de trânsito envolvendo ciclistas atendidos nas capitais brasileiras, em que apontam o fato de que, em 86 serviços de urgência e emergência do Brasil, foram contabilizados 55.950 atendimentos em 2014, e os acidentes configuram 15.499 deles, dos quais 1.652 referem-se aos ciclistas, representando 10,7% do total por tipo de transporte.

  2. ‘Cadernos de Saúde Pública’ indica a agroecologia para reverter cenários desfavoráveis

    De acordo com o editorial da revista Cadernos de Saúde Pública (volume 32 número 11), assinado pelos pesquisadores Paula Fernandes de Brito e Marcia Gomide da Silva Mello, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, de uma agricultura de subsistência, nos tempos passados, chegou-se a outro extremo: um modelo direcionado ao mercado, em que as regras do jogo são ditadas pelo capital. Os autores festejam que a história tenha demonstrado a capacidade humana em reverter cenários desfavoráveis, sendo um dos caminhos para tal reversão a agroecologia, que tem, dentre seus pilares, a promoção de práticas de cultivo respeitosas a todos os seres, bem como a aproximação entre o rural e o urbano, na busca de diálogo entre produtores e consumidores, no intuito de ofertar alimentos saudáveis, livres de insumos químicos, e promover encontros harmônicos. 

  3. Saúde, desenvolvimento e inovação no Brasil: 'CSP' lança suplemento especial

    Na atual conjuntura, quando discussões políticas acaloradas debatem corte de gastos, prioridades dos investimentos públicos e recessão, falar sobre o papel da saúde no desenvolvimento do Brasil torna-se urgente. Dando subsídios para as discussões e aprofundando o tema, foi lançado, na sexta-feira, 2 de dezembro, o suplemento especial "Saúde, desenvolvimento e inovação no Brasil", dos Cadernos de Saúde Pública, revista científica publicada mensalmente pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Na ocasião do lançamento, foi realizado um Ceensp especial com alguns dos nomes que assinam artigos no suplemento. Ao todo, três mesas de discussão que abordaram o complexo industrial da saúde, o papel das instituições frente aos atuais desafios, a desfinanceirização do SUS, entre outros assuntos.

     

     

  4. 'Cadernos de Saúde Pública' aborda o tema segurança em saúde

    A revista Cadernos de Saúde Pública, em seu volume 32 número 10, aborda o cuidado em saúde, um sério problema relacionado à segurança e qualidade. Os pesquisadores especialistas na área, Mônica Martins e Walter Mendes, explicam a razão de o amplo destaque ao tema advir da divulgação do relatório To Err is Human: Building a Safer Health System, em 1999, mobilizando médicos, pesquisadores e a sociedade nos Estados Unidos. “As estimativas indicaram elevada frequência de erro no cuidado de saúde e, embora controversa, mortalidade decorrente de eventos adversos comparável a doenças como o câncer de mama. Passados mais de quinze anos, a segurança do paciente é uma prioridade em diversos países e organizações de saúde. Contudo, apesar dos esforços e investimentos, a magnitude do problema e suas consequências persistem em todas as modalidades de cuidado, da atenção primária ao cuidado domiciliar.” Para eles, a implantação de uma cultura de saúde do paciente e de protocolos são tarefas inadiáveis. As unidades de terapia intensiva (UTI) dos hospitais, por exemplo, lidam cotidianamente com o vértice: gravidade dos casos e intensidade e complexidade do cuidado. "A UTI tem papel fundamental no prognóstico e sobrevida do paciente, mas garantir a segurança no cuidado intensivo exige agir sobre questões relacionadas à tomada de decisão clínica, adesão a protocolos, funcionamento de equipamentos, trabalho e comunicação de equipes multidisciplinares, passagem de plantão e até a exaustão do corpo clínico."

  5. CSP lança suplemento temático sobre saúde, desenvolvimento e inovação em 2/12

    A percepção da relação entre saúde e desenvolvimento remonta ao início da modernidade. Teorias sobre o desenvolvimento inspiraram, ao longo das décadas, estudos sobre a saúde e as relações econômicas e sociais. Tais conhecimentos permitiram reexaminar essas relações, cuja analise, especialmente a partir dos anos 2000, passou a incorporar, de modo mais sistemático, a investigação sobre as conexões existentes entre direitos sociais, inovação e a estrutura dinâmica da base produtiva da saúde. Na busca de qualificar este debate, o Cadernos de Saúde Pública da ENSP lançará o suplemento temático Saúde, Desenvolvimento e Inovação. Para tanto, realizará um grande encontro na Escola, dia 2 de dezembro, às 9h, no salão internacional, com presença de diversos pesquisadores de toda a Fundação.

  6. CSP lança suplemento temático sobre saúde, desenvolvimento e inovação em 2/12

    A percepção da relação entre saúde e desenvolvimento remonta ao início da modernidade. Teorias sobre o desenvolvimento inspiraram, ao longo das décadas, estudos sobre a saúde e as relações econômicas e sociais. Tais conhecimentos permitiram reexaminar essas relações, cuja analise, especialmente a partir dos anos 2000, passou a incorporar, de modo mais sistemático, a investigação sobre as conexões existentes entre direitos sociais, inovação e a estrutura dinâmica da base produtiva da saúde. Na busca de qualificar este debate, o Cadernos de Saúde Pública da ENSP lançará o suplemento temático Saúde, Desenvolvimento e Inovação. Para tanto, realizará um grande encontro na Escola, dia 2 de dezembro, às 9h, no salão internacional, com presença de diversos pesquisadores de toda a Fundação.

  7. CSP lança suplemento temático sobre saúde, desenvolvimento e inovação em 2/12

    A percepção da relação entre saúde e desenvolvimento remonta ao início da modernidade. Teorias sobre o desenvolvimento inspiraram, ao longo das décadas, estudos sobre a saúde e as relações econômicas e sociais. Tais conhecimentos permitiram reexaminar essas relações, cuja analise, especialmente a partir dos anos 2000, passou a incorporar, de modo mais sistemático, a investigação sobre as conexões existentes entre direitos sociais, inovação e a estrutura dinâmica da base produtiva da saúde. Na busca de qualificar este debate, o Cadernos de Saúde Pública da ENSP lançará o suplemento temático Saúde, Desenvolvimento e Inovação. Para tanto, realizará um grande encontro na Escola, dia 2 de dezembro, às 9h, no salão internacional, com presença de diversos pesquisadores de toda a Fundação.

  8. 'Cadernos' de setembro aborda o futuro das revisões sistemáticas

    A edição de setembro de 2016 da revista Cadernos de Saúde Pública (volume 32 número 9) aborda a expectativa sobre as revisões sistemáticas. Com o intuito de adequar as revisões sistemáticas publicadas a avanços nesse campo do conhecimento e exercer seu papel de indutora de ciência e pesquisa, o CSP passará a adotar algumas novas recomendações para essas revisões a serem submetidas para publicação. Inicialmente, toda revisão sistemática deverá ter tido seu protocolo publicado ou registrado em uma base de registro de revisões sistemáticas, além de serem submetidas em inglês, objetivando otimizar o processo de avaliação por pares, na medida em que será possível convidar alguns dos autores dos artigos originais incluídos no manuscrito para emissão de pareceres, com exceção das relacionadas a temas exclusivamente brasileiros ou latino-americanos (por exemplo, prevalência de determinada condição na América Latina), que serão também aceitos manuscritos em português ou espanhol. De acordo com editorial da revista, o registro prospectivo dos protocolos das revisões sistemáticas é importante porque aumenta a transparência do processo de revisão, protege contra a possibilidade de publicação seletiva de resultados e permite melhor escrutínio por parte dos revisores acerca do que havia sido planejado e foi, de fato, executado pelos autores. "Esperamos que isso contribua tanto para a qualidade da avaliação como para maior disponibilidade de avaliadores". Além de outras mudanças, O CSP quer fomentar a submissão de revisões sistemáticas sobre intervenções em Saúde Coletiva com foco populacional e sobre questões que possam informar políticas públicas relacionadas à saúde. O editorial lembra, no entanto, que é um processo de desenvolvimento e há espaço para o amadurecimento de abordagens metodológicas envolvendo tais revisões. 

  9. Vigilância e promoção como estratégias de redução de vulnerabilidades

    A contribuição da Fundação Oswaldo Cruz no monitoramento dos grandes empreendimentos do país esteve na pauta da programação de aniversário dos 62 anos da ENSP. Os pesquisadores Jussara Ângelo, Luciano Toledo e Paulo Sabroza, do Laboratório de Monitoramento Epidemiológicos de Grandes Empreendimentos (LabMep), apresentaram as transformações decorrentes da implantação dessas grandes construções, além de citar casos específicos, como o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e outras obras nas diversas regiões do país. Segundo eles, as maiores transformações ocorrem nas áreas urbanas dos municípios que oferecem suporte logístico para o empreendimento. Antes das exposições, a vice-diretora de Pesquisa e Inovação, Sheila Mendonça, apresentou o Prêmio Adauto de Iniciação Científica de Saúde Coletiva, uma homenagem à rica trajetória do pesquisador falecido em 2015, e que premiará o aluno que obtiver melhor desempenho na Reunião Anual de Iniciação Científica.
     

  10. Saúde do trabalhor e assédio moral serão temas abordado nas comemorações dos 62 anos da ENSP

    O quinto dia de comemorações dos 62 anos da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca conta com debates ecléticos acerca das questões que envolvem a saúde pública; além disso, nesta quinta-feira, 15/9, haverá as cerimônias de formatura dos alunos dos cursos lato e stricto sensu da Escola. Durante a manhã, a partir das 9h, acontecerá a mesa-redonda 1ª Conferência de Saúde do Trabalhador: 30 anos depois. Às 14h, terá início a palestra O assédio moral e sexual e a gestão de instituições públicas. Ambas as apresentações serão realizadas no salão internacional da ENSP, localizado no 4º andar do prédio principal da Escola. Já as formaturas do stricto sensu e do lato sensu acontecerão no auditório térreo, respectivamente, às 9h e às 14h. O dia comemorativo conta ainda com apresentações artísticas e culturais na tenda Experiências do Saber e do Cuidar, das 12h às 14h. Participe! Todas as atividades são abertas ao público.