1. Rede de Atenção Primária à Saúde no SUS divulga agenda política estratégica

    A Rede de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva está divulgando contribuição para uma agenda política estratégica para a APS no SUS. O documento expressa a opinião da Rede em um contexto de ameaças aos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde e da Estratégia Saúde da Família, agravadas nos dois últimos anos com a ruptura democrática no país.

  2. Relações entre internet e saúde são tema de programa no Canal Saúde

    O pesquisador da ENSP e coordenador do Laboratório Internet e Saúde do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (Laiss/CSEGSF/ENSP), André Pereira Neto, participou do programa Unidiversidade, do Canal Saúde. A edição abordou as relações entre internet e saúde, desde os benefícios que o uso da rede mundial de computadores pode trazer para a área até os riscos da sua má utilização, como nos casos de disseminação de boatos e fake-news.

  3. Oficina avalia efeitos das reformas trabalhista e previdenciária no SUS

    Os impactos dos fatores político-econômicos e sociais sobre a saúde do trabalhador na atual conjuntura brasileira foram o tema da oficina Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora frente às mudanças no mundo do trabalho e às contrarreformas trabalhista e previdenciária: desafios para o Sistema Único de Saúde, atividade realizada durante o pré-congresso do 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018). 

  4. Banimento do amianto: as conquistas de uma luta que precisa perdurar

    No passado, eles tiveram que enfrentar ameaças das empresas, espiões e, principalmente, a dor de perder amigos, colegas e parentes contaminados com amianto. Hoje, quase um ano depois da decisão do STF de banir o uso do mineral, a luta é para o acompanhamento adequado daqueles que ainda podem adoecer, para lidar com os rejeitos que se espalham pelo ambiente e para que a lei seja efetivamente aplicada. 

  5. 'A injustiça social mata em larga escala', diz Michael Marmot no Abrascão 2018

    Até bem pouco tempo atrás, falar sobre determinantes sociais e desigualdades na saúde era como gritar no deserto. Mas hoje esta situação está mudando. A opinião é de Michael Marmot, pesquisador do Institute of Health Equity e do departamento de Epidemiologia e Saúde Pública da University College London, convidado especial do 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018)

  6. 'Eu posso ser quem você é sem deixar de ser quem eu sou': um debate sobre demografia e saúde dos povos indígenas

    Há quem negue as raízes históricas da conformação do povo brasileiro, mas há aqueles que se empenham não só em aprofundar seu estudo, como produzir ciência para tornar essa terra uma país mais justo para todos os que o habitam. Reunidos na manhã ensolarada do domingo que encerrou12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, um pesquisador, uma técnica do IBGE e um representante indigena fizeram florescer um importante debate na mesa intitulada: Demografia e Saúde dos Povos Indígenas no Brasil: Cenários e Perspectivas para o Censo Demográfico de 2020. Coordenado por Gerson Luiz Marinho, da UFRJ, os expositores foram o pesquisador da ENSP, Ricardo Ventura, Marta de Oliveira Antunes, do IBGE e Marcos Terena da Cátedra Indígena Intercultural - Comitê Intertribal.

  7. Abrascão 2018: Confira os debates em vídeo

    Durante o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018), o Núcleo Audiovisual da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) gravou debates de algumas mesas-redondas realizadas ao longo do congresso. No sábado (28/7) e no domingo (29/7), a formação em Saúde do trabalhador e o direito à cidade e a agroecologia estiveram em discussão. Acesse a playlist Abrascão 2018 no Canal da ENSP, no Youtube, e confira as apresentações na íntegra.

  8. Colonialismo: a face sombria da modernidade que perpetua um padrão mundial de poder

    "O projeto colonial moderno eurocêntrico surge como um novo modelo de poder global, lançando seus domínios a diversos campos da vida em comum", disse a pesquisadora da ENSP, Roberta Gondim, na mesa-redonda Diálogos entre o pensamento decolonial e a saúde coletiva - desafios para a construção de uma nova agenda para o enfrentamento de iniquidade em saúde durante o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva (Abrascão 2018).

  9. Politica Nacional de Saúde Mental em debate no Abrascão 2018

    No último dia de atividades do Abrascão 2018, os retrocessos da Politica Nacional de Saúde Mental foram tema de mesa-redonda. Para fomentar o debate, estiveram presentes grandes nomes da saúde mental, como o pesquisador da ENSP e coordenador do Laps/ENSP/Fiocruz, Paulo Amarante. A atividade contou com a participação do professor da UFSC, Walter Ferreira Oliveira, da professora do ISC/UFBA, Monica Torrenté, e da professora da Unicamp, Rosana Onocko. A mesa foi coordenada por Paulo Amarante.

  10. Redes sociais e violência: dos horrores à resistência

    Qualquer pessoa que tenha o mínimo de contato com sites de redes sociais nos dias atuais deve conhecer episódios de racismo, homofobia, machismo e outras demonstrações de intolerância nesses espaços. A violência on-line é, cada vez mais, pauta da saúde pública e, por isso mesmo, foi tema da mesa "Violência nas redes sociais digitais", realizada no dia 29/7, no 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva.