1. Mensagem final de campanha

    Somos Democracia Somos SUS Somos Todos ENSP
     
    É com orgulho que me dirijo a vocês para agradecer o carinho que recebi durante a campanha. Os 4 anos vividos como Diretor têm sido gratificantes e serviram de aprendizado e amadurecimento para pleitear mais 4 anos de inovação para a ENSP. Agradeço a oportunidade de debater questões cruciais para a ENSP e para o país em um cenário de ameaças à democracia e perda de direitos. As contribuições que recebi em cada reunião, me possibilitaram conhecer ainda melhor a ENSP, seus problemas, desafios e fortalezas.

  2. Desenvolvimento institucional e gestão da ENSP

    Somos Democracia, Somos SUS, Somos Todos ENSP
     
    O desenvolvimento institucional e gestão da ENSP devem se fundamentar no compromisso público com a eficiência, eficácia e efetividade e resguardar o sentido da humanização do trabalho com responsabilidade social. Nossa gestão pauta as ações neste campo ancorada no princípio de que seus trabalhadores – servidores, terceirizados, bolsistas – tenham condições favoráveis e saudáveis para o desenvolvimento das suas atividades, incluídos em uma política permanente de qualificação e de desenvolvimento profissional. O desafio para o próximo mandato é o de continuar avançando na criação dessas condições, ao mesmo tempo em que aprimoramos os processos, e planejamos e executamos nossas ações, de forma profissionalizada. Assim, cada trabalhador conferirá significado ao que realiza, potencializando o cumprimento da nossa missão pública.  

  3. Hermano reafirma, em debate, a importância do conjunto da Fiocruz estar unido para o enfrentamento dos tempos sombrios do país

    Somos Democracia, Somos SUS, Somos Todos ENSP
     
    No debate entre os candidatos à direçao da ENSP, ocorrido na última quinta-feira, Hermano Castro reafirmou a importância de, não só a ENSP, mas o conjunto da Fiocruz, estarem unidos para o enfrentamento dos tempos sombrios que pairam sobre o país e que atentam contra a democracia, os direitos sociais, o SUS e a saúde das populações. A PEC 55, que congela gastos sociais por vinte anos, e as reformas trabalhista e previdenciária atingirão principalmente as populações mais vulneráveis, com impactos sobre suas condições de saúde. Articular nossa capacidade técnico-científica e firmeza política é o grande desafio que, no entanto, só poderá ter resultados com nossa insituição unida.