1. Outubro Rosa, você de rosa

    Celebrado há quase três décadas, o Outubro Rosa é uma oportunidade de compartilhar informações a respeito do câncer de mama, conscientizar e sensibilizar a sociedade da importância sobre seu controle. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), essa doença é o tipo mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, depois do câncer de pele. Dados apontam que, em 2016, são esperados quase 60 mil novos casos de câncer de mama, doença para o qual existe tratamento, e o Ministério da Saúde oferece atendimento por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Há tempos, a ENSP apoia essa luta e, neste ano, apresentará uma palestra e fará o lançamento do livro Outubro Rosa - do muito que há por ser dito, de Elcylene Leocádio, que coordena o projeto Nu Espelho, no dia 25/10, às 10h, no salão internacional da Escola. Venha você também de rosa e participe da campanha. 

  2. Outubro Rosa alerta para o diagnóstico precoce do câncer de mama

    O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil. Depois do câncer de pele não melanoma, responde por cerca de 25% dos casos novos a cada ano. Para estimular a detecção precoce da doença e conscientizar a população, começa, neste mês, a campanha Outubro Rosa. Neste ano, a ação terá como tema "Câncer de mama: vamos falar sobre isso?".A mensagem reforça o debate para que a população participe ainda mais das atividades promovidas em todo o País. Além de enfatizar a importância de a mulher conhecer suas mamas e ficar atenta às alterações suspeitas. As ações de conscientização visam disseminar o maior volume possível de informações sobre acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo para a redução da mortalidade.

  3. Outubro Rosa: Brasil avança no diagnóstico do câncer de mama

    Desde a década 90, o mês de outubro tem sido dedicado ao trabalho de conscientização sobre o câncer de mama, tipo mais letal entre as mulheres e que afeta, por ano, mais de 57 mil brasileiras. Este ano, a campanha do Ministério da Saúde e o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), “Câncer de mama: vamos falar sobre isso?”, tem como objetivo desconstruir os mitos associados à doença. Entre os alertas, a importância da detecção precoce, a partir da orientação do médico e da realização da mamografia.

  4. ENSP adere ao movimento Outubro Rosa para controle do câncer de mama

    A Escola Nacional de Saúde Pública aderiu ao movimento Outubro Rosa, que tem por objetivo promover a conscientização acerca da doença, compartilhar informações e estimular a participação da população no controle do câncer de mama. Para isso, os trabalhadores da ENSP se reuniram para uma foto que marca o apoio da instituição à campanha. A ENSP TV também acompanhou a iniciativa e coletou depoimentos sobre a importância do  movimento.

  5. Outubro Rosa: diagnóstico precoce aumenta a chance de cura do câncer de mama

    O câncer de mama é a primeira causa de mortes frequentes por câncer em mulheres e a quinta causa de morte por câncer em dados gerais, segundo a Organização Mundial da Saúde. No Brasil, a primeira iniciativa em relação ao Outubro Rosa ocorreu em 2 de outubro de 2002, com uma inusitada intervenção artística. O Obelisco do Ibirapuera, local conhecido em São Paulo e originalmente chamado de Monumento-Mausoléu do Soldado Constitucionalista, recebeu, naquele dia, uma iluminação cor-de-rosa. A iniciativa de iluminar o obelisco em homenagem ao Outubro Rosa foi de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa do câncer de mama, com o apoio de uma empresa europeia de cosméticos. E o governo brasileiro, por intermédio do Instituto Nacional do Câncer (Inca), passou a integrar a mobilização do Outubro Rosa a partir de 2010.