1. Solenidade homenageia formandos ENSP

    A formatura dos alunos das turmas de lato e stricto sensu já faz parte do calendário institucional da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, pois, a cada celebração de aniversário, reúne alunos, professores, pesquisadores e familiares em uma solenidade que expressa o reconhecimento pela dedicação que a formação em saúde exige dos alunos. Significa, ainda, o recomeçar outra etapa não apenas para os alunos, como também para a própria instituição. No seu 62º aniversário, a ENSP promoveu a formatura das turmas dos Programas de Saúde Pública, Saúde Pública e Meio Ambiente, Epidemiologia em Saúde Pública e Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva e dos Cursos de Especialização em Saúde Pública (turmas 2014 e 2015), Gestão da Atenção Básica (turma 2015) e Promoção da Saúde e Desenvolvimento Social (turma 2015).

  2. Mesa-redonda sobre a PEC 241/16 encerra semana comemorativa dos 62 anos da ENSP

    A  mesa-redonda Democracia, Estado e direitos sociais: a PEC 241/16 e o desmonte do SUS, parte das comemorações dos 62 anos da ENSP, contou com um público diferente para o ambiente de pós-graduação. Dezenas de alunos do Colégio Estadual Compositor Luiz Carlos da Vila ocuparam a maioria das cadeiras do salão internacional para assistir, no período da manhã, ao evento. O tema não poderia ser mais apropriado para eles que vêm sofrendo os reflexos da crise no cotidiano: por falta de verbas, o governo do Estado do Rio de Janeiro suspendeu a segurança de várias escolas, e o "Compositor", como eles chamam o colégio, vem sendo invadido e saqueado. Como o foco do debate era a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241/16, que determina a proibição de qualquer aumento real nos investimentos estatais em direitos sociais, políticas públicas e seguridade social por vinte anos no Brasil, tema árido até para os especialistas, os palestrantes tentaram ao máximo aproximar as questões à realidade dos jovens estudantes do Ensino Médio. Ao lado dos palestrantes - o pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Carlos Ocké Reis, e o consultor do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Francisco Funcia -, o vice-diretor da ENSP, Alex Molinaro, abriu a mesa chamando a atenção para a mudança que a PEC provocará. "O desmonte do SUS é a face mais visível do que propõe esse governo, que chegou ao poder sem o voto popular."
     

  3. 'Amizade é escolha; mas, no trabalho, é necessário respeito', disse pesquisadora sobre assédio moral nas instituições públicas

    A professora adjunta da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Terezinha Martins dos Santos Souza, trouxe, para a semana de comemorações do 62º aniversário da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, a palestra O assédio moral e sexual e a gestão de instituições públicas. Terezinha abordou dados assustadores e afirmou o fato de que, atualmente, o assédio moral é o maior responsável pelo suicídio de trabalhadores no país. Segundo ela, não podemos deixar que o grande ato humano - que é o trabalho - seja transformado no lugar da morte e do sofrimento. "Estão querendo transformá-lo apenas naquilo que rende lucro. Estão roubando o nosso futuro. Portanto, é nossa obrigação lutar para manter a capacidade de transformar o real, além de não permitir que nosso trabalho seja a ferramenta que estão usando para nos destruir", defendeu.

  4. Debate sobre jornalismo crítico e independente marca 62 anos da ENSP

    A escolha pelo tema dos 30 anos da 8ª Conferência Nacional de Saúde para celebrar seus 62 anos de luta pela universalização da Saúde Pública no país foi fundamental para trazer para o debate a questão da comunicação, ou melhor, o papel do jornalismo crítico e independente na construção de uma proposta democrática de saúde. Unindo atores responsáveis pela construção de uma proposta de comunicação em saúde para o país, a mesa-redonda contou com a participação do pesquisador aposentado da ENSP, Álvaro Nascimento, e do editor-chefe do Programa Radis, Rogério Lannes. Coordenada pela pesquisadora do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), Janine Miranda Cardoso, a atividade reuniu não apenas o antigo, como também o atual editor-chefe da revista Radis – projeto mais longínquo de comunicação na área da saúde.

  5. Saúde do trabalhador: é preciso resistir à crise e defender os interesses dos profissionais

    Três ícones da saúde do trabalhador no país integraram a mesa que debateu o tema durante a semana de comemorações dos 62 anos da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca: Anamaria Tambellini, Paulo Roberto Gutierrez e Luiz Carlos Fadel. Os convidados da mesa-redonda 1ª Conferência de Saúde do Trabalhador: 30 anos depois fizeram um grande apanhado histórico do que viveram naquela época, quais eram seus sentimentos em relação à política do país e relataram, ainda, o quanto lutaram para conquistar o que o país tem, atualmente, em termos de lei, organização, vigilância e equipamentos no campo da saúde do trabalhador. Na ocasião, o diretor da ENSP, Hermano Castro, fez uma homenagem à Anamaria Tambellini por toda sua história de luta e atuação no campo.

  6. ENSP debate o papel dos trabalhadores e estudantes na luta pela saúde em seus 62 anos

    Uma grande Roda de Conversa foi formada para debater O papel da saúde coletiva e dos trabalhadores e estudantes da saúde na luta pelo SUS no contexto atual durante as comemorações dos 62 anos da Escola Nacional de Saúde Pública. A atividade reuniu três atores com visões distintas, porém, complementares. Entre eles a pesquisadora do Departamento de Administração e Planejamento da ENSP, Cristiani Machado, o pesquisador da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio e membro do Fórum de Saúde do Rio Janeiro, que compõe a Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, André Dantas, e o representante do Ocupa SUS, o psicólogo Cleiber Silveira, mestrando em Saúde Pública pela ENSP. Numa dinâmica participativa, os convidados fizeram suas explanações, e todos os presentes também puderam expressar sua opinião. Na ocasião foi lançado o novo Portal de Ensino da ENSP, que, segundo a vice-diretora de Ensino, Tatiana Wargas, pretende dar visibilidade a esse campo tão fundamental da Escola.

  7. Vigilância e promoção como estratégias de redução de vulnerabilidades

    A contribuição da Fundação Oswaldo Cruz no monitoramento dos grandes empreendimentos do país esteve na pauta da programação de aniversário dos 62 anos da ENSP. Os pesquisadores Jussara Ângelo, Luciano Toledo e Paulo Sabroza, do Laboratório de Monitoramento Epidemiológicos de Grandes Empreendimentos (LabMep), apresentaram as transformações decorrentes da implantação dessas grandes construções, além de citar casos específicos, como o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e outras obras nas diversas regiões do país. Segundo eles, as maiores transformações ocorrem nas áreas urbanas dos municípios que oferecem suporte logístico para o empreendimento. Antes das exposições, a vice-diretora de Pesquisa e Inovação, Sheila Mendonça, apresentou o Prêmio Adauto de Iniciação Científica de Saúde Coletiva, uma homenagem à rica trajetória do pesquisador falecido em 2015, e que premiará o aluno que obtiver melhor desempenho na Reunião Anual de Iniciação Científica.
     

  8. Visitar o passado para repensar o futuro da saúde pública brasileira

    As mesas realizadas na terça-feira (13/9), segundo dia de comemorações da semana de aniversário dos 62 anos da ENSP, possibilitaram aos participantes não só uma revisita ao passado, mas também a possibilidade de analisar criticamente as ações de saúde do presente e projetar cenários futuros nesse campo. A primeira atividade do dia promoveu uma contextualização política e a reflexão crítica acerca da 8ª Conferência Nacional de Saúde; enquanto, na parte da tarde, pesquisadores da ENSP destacaram a vocação da Fiocruz na análise e acompanhamento de projetos de grande interesse nacional desde o início de sua trajetória, bem como os impactos dessas iniciativas na saúde das populações do entorno. "A história é feita para ser revisitada e reconstruir o futuro. Ter um olhar crítico sobre a história e ouvir depoimentos que não constam em nosso conteúdo bibliográfico é de extrema riqueza", admitiu Pedro Prata, que foi delegado, com direito a voto, na 8ª CNS.

  9. Galeria de fotos da semana de aniversário dos 62 anos da ENSP

    De 12 a 16 de setembro, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) celebrou 62 anos relembrando um dos principais momentos de luta pela universalização da saúde no Brasil: a 8ª Conferência Nacional de Saúde. A Escola, que elegeu o tema Saúde é nossa conquista e nosso direito: 30 anos da 8ª Conferência Nacional de Saúde, promoveu uma série de ativides científicas, culturais e políticas sobre a "oitava", além da formatura dos alunos de pós-graduação. Confira abaixo a galeria de fotos de todas as atividades dos 62 anos ENSP.

  10. Aniversário da ENSP celebra 30 anos da Oitava Conferência Nacional de Saúde

    Como costuma acontecer nos aniversários, bastava um olhar para o Auditório térreo da ENSP na segunda-feira, 12 de setembro, para perceber que o clima era de reencontro entre velhos amigos. Abraços efusivos, apertos de mão, risadas. Todos estavam ali para celebrar os 62 anos da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, que escolheu como tema dos festejos os 30 anos da 8ª Conferência Nacional de Saúde.  Em uma Escola marcada pelo pensamento crítico e ação transformadora na vida pública do país, nada mais natural, porém, que, em meio à festa, nascessem reflexões importantes para se pensar a conturbada conjuntura política atual.