1. Inovação em saúde garante bem-estar e crescimento econômico, diz estudo científico

    “Tendo em vista uma compreensão de desenvolvimento inclusivo, a saúde é elemento central para a garantia de bem-estar e crescimento econômico. No setor saúde, é possível convergir desenvolvimento econômico e social. Esse setor se constitui simultaneamente em um espaço de inovação tecnológica, de acumulação de capital, de geração de emprego e renda.” A afirmação vem de um estudo publicado no Cadernos de Saúde Pública.
     

  2. Desertificação, degradação de terras e seca impactam sobre a saúde e o desenvolvimento, alerta a ONU

    Ministros e representantes de Estado de 197 países, reunidos na 14ª sessão da Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD), reconheceram que problemas de desertificação, degradação de terra e secas prejudicam a saúde, o desenvolvimento e a prosperidade em todas as regiões e se comprometeram a tratar os ecossistemas de terras secas como áreas de foco especial. É do que trata a matéria da Radis assinada pelo editor Adriano de Lavor.
     

  3. Entrevista: Representantes de organização internacional alertam contra a contaminação do solo que prejudica a saúde

    A pediatra argentina Lilian Corra e o engenheiro químico colombiano Alfonso Rodrigues, representantes da organização internacional Pure Earth, apontaram como é feita a avaliação de áreas suspeitas de contaminação, como intervir no problema e destacam o risco à saúde decorrentes do uso destes solos. Confira a entrevista de Mariella de Oliveira-Costa, publicada pela revista Radis.
     

  4. Medida Provisória ameaça Atenção Primária à Saúde estruturada no SUS constitucional

    Medida Provisória nº 890 (MP 890) instituiu o Programa Médicos pelo Brasil (PMB) e enunciou a criação de uma Agência para o Desenvolvimento da Atenção Primária à Saúde (ADAPS). Num artigo da ENSP, pesquisadores alertam para os riscos dessa legislação favorecer a transformação da APS no SUS em um espaço mercantil da assistência e para os possíveis retrocessos para a formação de médicos para a atenção primária.
     

  5. Inscrições abertas, até 21/11, para curso em Farmacoepidemiologia

    O curso 'Métodos em Farmacoepidemiologia: Aplicação em Estudos de Utilização de Medicamentos', oferecido pela ENSP, está com inscrições abertas até 21/11. São 80 vagas, sendo 40 vagas para os Programas de pós-graduação da ENSP e 40 aos demais interessados. As vagas serão preenchidas de acordo com os critérios estabelecidos para inscrição, considerando a ordem de inscrição. 
     

  6. Pesquisadora da Fiocruz fala sobre a destruição do estado de bem-estar social

    No artigo Apocalipse já: a destruição do estado de bem-estar social, Sônia Fleury, doutora em Ciência Política e pesquisadora sênior do Centro de Estudos Estratégicos (CEE/Fiocruz), opina sobre as novas propostas de revisão constitucional – PEC 186 Emergencial e PEC 188 do Pacto Federativo, anunciadas pelo ministro Paulo Guedes. Fleury alerta que a proposta atual inclui o seguinte parágrafo único: “Será observado, na promoção dos direitos sociais, o direito ao equilíbrio fiscal intergeracional”. 
     

  7. Perspectivas para a política de saúde mental no Brasil é o foco do 'Cadernos de Saúde Pública' deste mês

    O fascículo de novembro do CSP, que está on-line, expõe uma evidência cabal: o Brasil teve sucesso em construir uma ampla rede de serviços de atenção psicossocial em todo o território nacional, com Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) em suas diversas modalidades e tipos. Em 1998 eles eram 148, em 2014 passaram a 2.209. “Essa rede deveria ser motivo de orgulho de qualquer cidadão brasileiro frente à diversidade e à dimensão continental do Brasil.”