1. ENSP sedia Encontro Estadual de Mudanças Climáticas e Justiça Social

    Representantes de Movimentos Sociais, organizações e coletivos discutem, na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), caminhos para fortalecer lutas socioambientais unindo diferentes causas. Organizado pelo Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social, o Encontro Estadual do Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social no Rio acontecerá na próxima sexta-feira, 29 de abril, a partir das 9 horas, no auditório térreo da ENSP pesquisadores e demais interessados nas relações entre as mudanças climáticas e suas consequências socioambientais, especialmente no contexto urbano. O encontro responde ao desafio de articular um movimento plural no estado juntando diferentes grupos que já têm produzido iniciativas e conhecimentos a respeito da crise ambiental a partir de suas experiências de enfrentamento. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui ou no dia do evento.

  2. Jornais destacam estudo que revela alta prevalência da depressão pós-parto

    BBC Brasil e o jornal Bom dia Brasil repercutiram o estudo desenvolvido pela pesquisadora Mariza Theme, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, que analisou a prevalência da depressão pós-parto nas mães brasileiras. O resultado da pesquisa revela que a depressão pós-parto acomete mais de 25% das mães no Brasil. “A mulher depressiva, normalmente, amamenta pouco e não cumpre o calendário vacinal dos bebês. As crianças, por sua vez, têm maior risco de apresentar baixo peso e transtornos psicomotores”, afirmou a coordenadora. Veja as reportagens.

  3. Pesquisadora da ENSP Cecília Minayo abre seminário na Fiocruz Amazônia

    Abordando temáticas que permeiam a pesquisa social há muitas décadas, a coordenadora científica do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge da Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Claves/ENSP), Cecília Minayo, abriu o Seminário Determinantes Sociais do Processo Saúde-Doença: condições desiguais de vida em espaços amazônicos, nesta terça-feira (26/4), realizado pela Fiocruz Amazônia com a palestra Marcos Teóricos dos Estudos de Determinação do Processo Saúde Doença. Em sua análise, o conceito de desigualdade é muito mais complexo do que só o conceito econômico, em que os números são levados em consideração. Ela ressaltou que, nos últimos anos, o tema das desigualdades sociais tem tido mais ênfase nas pesquisas sociais, bem como as questões de gênero e a temática da vulnerabilidade social.

  4. Deputado federal Chico Alencar abre 11ª edição do Ciclo de Debates sobre ESF

    A 11ª edição do Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família acontecerá entre os dias 2 e 6 de maio na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). Neste ano, o evento discutirá as consequências da atual conjuntura política do país e a possibilidade do retrocesso democrático e dos direitos dos cidadãos, bem como a formação do profissional de saúde, os desafios das políticas de saneamento e saúde mental e a expansão da ESF. Como já ocorre em anos anteriores, o Ciclo de Debates coincide com o início da 12ª turma da Residência Multiprofissional em Saúde da Família. A primeira mesa, no dia 2/5, receberá o deputado federal Chico Alencar, às 9 horas, no auditório térreo da ENSP.

  5. Pesquisa em Manguinhos estuda aspectos socioambientais do território

    Ao buscar conhecer mais profundamente os aspectos socioambientais como parte dos determinantes sociais do adoecimento da população no território de Manguinhos, os pesquisadores do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP Rosália Maria de Oliveira e Paulo Roberto de Abreu Bruno desenvolveram o projeto Diagnóstico Socioambiental do Território Teias Manguinhos. A pesquisa integra a iniciativa da Vice-Presidência de Pesquisa e Laboratórios de Referência (VPPLR/Fiocruz), elaborada no âmbito do Programa de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Saúde Pública da Fiocruz (PDTSP/Teias): Portfólio Rede de Pesquisa no Território de Manguinhos - uma parceria entre academia, serviços de saúde e sociedade civil. Inicialmente, essa pesquisa teve o propósito de investigar aspectos socioambientais próximos à Refinaria de Manguinhos. No entanto, seu escopo foi ampliado para todo o território e agregou dados sobre o lixo, vetores, enchentes, renda da população, coleta de lixo e abastecimento de água.

  6. Petição e vigília contra projeto que retira direito dos servidores públicos

    Tramita, na Câmara dos deputados, desde março deste ano, o Projeto de Lei Complementar 257/2016 que prevê mudanças radicais nos direitos dos servidores públicos. Apresentado pelo governo federal, seu objetivo é estabelecer um plano de auxílio aos estados com medidas de estímulo ao reequilíbrio fiscal. Em troca da renegociação de suas dívidas, os estados devem implementar uma série de medidas, como a proibição de aumento de salários de servidores, criação de programas de demissão voluntária, cortes de contratos de livre provimento, não realização de concursos públicos, aumento de contribuição previdenciária e revisão jurídica de benefícios. Os sindicatos têm se organizado para tentar impedir a aprovação do projeto. Uma petição on-line, disponível neste link, recolhe assinaturas contra ele.

  7. Evento na ENSP celebrará o Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído

    A Coordenação Estadual do Inad (sigla em inglês para Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído), por meio da equipe do Projeto Ruído, promoverá, no dia 27/4, às 9 horas, no salão internacional da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), evento alusivo ao Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído, com o objetivo de alertar a população brasileira a respeito dos efeitos da poluição sonora. Neste ano, a temática volta-se para a percepção do ruído na escola trazendo o tema Ruído: a solução está na educação! A iniciativa promoverá um minuto de silêncio a fim de destacar o impacto desse agravo no dia a dia.
     

     

  8. ENSP se solidariza com população equatoriana afetada por terremotos

    Nas últimas semanas, o Equador vem sofrendo com tremores de terra que atingem níveis cada vez mais altos na escala Richter. O último deles, em 16 de abril, atingiu 7,8 de magnitude, totalizando mais de 600 mortes. O cenário do país é desolador, com prédios históricos em ruínas e uma população abalada e com medo do que ainda está por vir. Nesse contexto, a Universidade Andina Simon Bolívar, está organizando diversas ações, de curto e longo prazo, para apoiar as pessoas afetadas pelos terremotos no Equador. O reitor da Universidade Andina, Jaime Breilh, em parceria com a Associação Latino-Americana de Medicina Social (Alames), convida todos a participar da campanha ‘Andina Solidaria’. Para o diretor da ENSP, Hermano Castro, secretário executivo Rede de Escolas de Saúde Pública da América do Sul (Resp), a ajuda internacional nesse momento é fundamental.