1. ENSP debate a crise na saúde do município do Rio de Janeiro nesta terça-feira (10/4)

    A conjuntura da saúde no Rio de Janeiro estará mais uma vez em discussão na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocuz), no dia 10 de abril, no evento A crise na saúde do município do Rio de Janeiro: onde estamos e para onde vamos? A atividade, coordenada pelo Fórum de Saúde do Rio de Janeiro, receberá gestores, políticos e profissionais de saúde e está marcada para as 9h, no auditório térreo.

     

     

  2. ENSP debate a crise na saúde do município do Rio de Janeiro nesta terça-feira (10/4)

    A conjuntura da saúde no Rio de Janeiro estará mais uma vez em discussão na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocuz), no dia 10 de abril, no evento A crise na saúde do município do Rio de Janeiro: onde estamos e para onde vamos? A atividade, coordenada pelo Fórum de Saúde do Rio de Janeiro, receberá gestores, políticos e profissionais de saúde e está marcada para as 9h, no auditório térreo.

     

     

  3. ENSP debate a crise na saúde do município do Rio de Janeiro nesta terça-feira (10/4)

    A conjuntura da saúde no Rio de Janeiro estará mais uma vez em discussão na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocuz), no dia 10 de abril, no evento A crise na saúde do município do Rio de Janeiro: onde estamos e para onde vamos? A atividade, coordenada pelo Fórum de Saúde do Rio de Janeiro, receberá gestores, políticos e profissionais de saúde e está marcada para as 9h, no auditório térreo.

     

     

  4. 'Intervenção pra quem?' ENSP convida para debate nesta segunda-feira (26/3)

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) convida para o debate Intervenção pra quem?, que acontecerá na segunda-feira, 26 de março, às 13h30, no auditório térreo da Escola. A atividade busca discutir a defesa dos direitos humanos em territórios vulneráveis na intervenção militar. O encontro contará com a participação de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Cooperação Social da Fiocruz, do Conselho Gestor Intersetorial de Manguinhos (CGI), do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP), do Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP), e do Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-SN). O debate é aberto a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia. 
     

  5. 'Intervenção pra quem?' ENSP convida para debate nesta segunda-feira (26/3)

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) convida para o debate Intervenção pra quem?, que acontecerá na segunda-feira, 26 de março, às 13h30, no auditório térreo da Escola. A atividade busca discutir a defesa dos direitos humanos em territórios vulneráveis na intervenção militar. O encontro contará com a participação de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Cooperação Social da Fiocruz, do Conselho Gestor Intersetorial de Manguinhos (CGI), do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP), do Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP), e do Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-SN). O debate é aberto a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia. 
     

  6. 'Intervenção pra quem?' ENSP convida para debate nesta segunda-feira (26/3)

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) convida para o debate Intervenção pra quem?, que acontecerá na segunda-feira, 26 de março, às 13h30, no auditório térreo da Escola. A atividade busca discutir a defesa dos direitos humanos em territórios vulneráveis na intervenção militar. O encontro contará com a participação de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Cooperação Social da Fiocruz, do Conselho Gestor Intersetorial de Manguinhos (CGI), do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP), do Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP), e do Sindicato dos Servidores de Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública (Asfoc-SN). O debate é aberto a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia. 
     

  7. ENSP/Fiocruz lamenta assassinato da vereadora Marielle Franco

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) lamenta profundamente o assassinato da vereadora Marielle Franco, executada com o motorista Anderson Pedro Gomes, na noite de terça-feira, 14 de março de 2018. A Escola se solidariza com os familiares e amigos de Marielle, que deixa uma filha de 20 anos, e reforça que não se calará diante da arbitrariedade da execução da vereadora e cobrará do poder público a investigação do caso e punição dos assassinos. A ENSP não se abaterá. Seguirá firme na luta pelos direitos humanos, contra o genocídio de pobres e negros e contra o racismo. Marielle foi e continuará sendo um símbolo para a instituição. 

  8. ENSP/Fiocruz lamenta assassinato da vereadora Marielle Franco

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) lamenta profundamente o assassinato da vereadora Marielle Franco, executada com o motorista Anderson Pedro Gomes, na noite de terça-feira, 14 de março de 2018. A Escola se solidariza com os familiares e amigos de Marielle, que deixa uma filha de 20 anos, e reforça que não se calará diante da arbitrariedade da execução da vereadora e cobrará do poder público a investigação do caso e punição dos assassinos. A ENSP não se abaterá. Seguirá firme na luta pelos direitos humanos, contra o genocídio de pobres e negros e contra o racismo. Marielle foi e continuará sendo um símbolo para a instituição. 

  9. ENSP/Fiocruz lamenta assassinato da vereadora Marielle Franco

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) lamenta profundamente o assassinato da vereadora Marielle Franco, executada com o motorista Anderson Pedro Gomes, na noite de terça-feira, 14 de março de 2018. A Escola se solidariza com os familiares e amigos de Marielle, que deixa uma filha de 20 anos, e reforça que não se calará diante da arbitrariedade da execução da vereadora e cobrará do poder público a investigação do caso e punição dos assassinos. A ENSP não se abaterá. Seguirá firme na luta pelos direitos humanos, contra o genocídio de pobres e negros e contra o racismo. Marielle foi e continuará sendo um símbolo para a instituição. 

  10. SOS Manguinhos: Centro de Saúde da ENSP concentra donativos para vítimas da enchente

    A chuva forte que caiu no Rio de Janeiro na madrugada da última quinta-feira, 15 de fevereiro, destruiu casas, invadiu lojas e deixou um rastro de lama e destruição pelas ruas do território de Manguinhos. Muitos moradores perderam tudo que tinham e estão desalojados, com dificuldades para cozinhar, estocar medicamentos que precisam de refrigeração etc. Os relatos dão conta de uma completa inoperância dos agentes públicos para buscarem solução para os problemas. Para tentar amparar as vítimas da enchente com donativos e serviços de saúde, foi criado o grupo SOS Manguinhos, do qual participam agentes comunitários de saúde (ACS) do território. O Centro de Saúde Germano Silva Faria, da ENSP, cumprindo seu papel de ser a interface de troca entre a Escola e a comunidade vizinha, está recebendo as doações e buscando estratégias de ação no campo a saúde.