1. Debate sobre retrocessos nos direitos indígenas no Brasil está disponível no Canal da ENSP no Youtube

    Já está disponivel, no Canal da ENSP no Youtube, o vídeo do debate #DemarcaçãoJá - sobre os Retrocessos nos Direitos Indígenas no Brasil, que aconteceu em 30 de maio, na Escola. Promovido pela ENSP, em parceria com o Grupo Temático Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) e o Museu do Índio, o debate buscou aprofundar a discussão sobre o retrocesso nos direitos dos povos e populações indígenas integrantes do Estado Brasileiro. Confira a cobertura completa do evento no Informe ENSP e assista aos vídeos. 

  2. Relatório sobre conflitos no campo será lançado na ENSP nesta quinta-feira (8/6)

    Em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente - celebrado em 5 de junho -  a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca dá prosseguimento as atividades da Semana do Meio Ambiente com o lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2016, na quinta-feira, 8 de junho. A 32ª edição do relatório reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, incluindo indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. O lançamento do relatório, elaborado pela Pastoral da Terra, terá a coordenação do pesquisador da ENSP e coordenador do Mestrado Profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais, Ary Miranda. A atividade está marcada para às 12h30, na Tenda ENSP. Além do lançamento do relatório haverá também mais um edição da tradicional Feira Agroecológica Josué de Castro, das 9 às 14 horas, com a comercialização de alimentos orgânicos, ou seja, produzidos sem o uso de agrotóxicos, adubos químicos ou mudanças genéticas, para evitar danos à saúde de quem os consome e à natureza. Participe!

  3. Semana do Meio Ambiente: oficinas, rodas de conversa e exposição abrem comemoração na ENSP nesta quarta (7/6)

    Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP) organizou a Semana do Meio Ambiente. Durante dois dias a Escola promoverá oficinas, rodas de conversas, exposições e palestras que pretendem discutir os mais diversos temas ligados ao meio ambiente. Dando início as atividades, na quarta-feira, 7 de junho, serão realizadas sete oficinas artesanais, uma palestra sobre alimentação saudável, duas rodas de conversa - uma sobre impactos ambientais nos rótulos e outra sobre território e sustentabilidade - além de uma exposição de livros relacionados a sustentabilidade, e a tradicional ação do projeto Livro em Movimento, que consiste na doação e troca de livros para promoção de cultura. As atividades são abertas a todos os interessados e toda programação ocorrerá na Tenda ENSP, localizada na portaria principal da Escola. Participe!

     

  4. Dia Mundial do Meio Ambiente: ENSP promove ações comemorativas em 7 e 8 de junho

    Em 5 de junho comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, data estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 15 de dezembro de 1972, durante a Conferência de Estocolmo, que tratou do tema ambiente. O marco da data teve como principal objetivo a conscientização da população mundial sobre os temas ambientais, principalmente aos que dizem respeito à preservação. Dessa forma, a Organização das Nações Unidas (ONU) procurou ampliar a atuação política e social voltada para os temas ambientais, com a intenção de transformar pessoas em agentes ativos da preservação e valorização do meio ambiente. Muitos anos se passaram, e a luta pela preservação do meio ambiente continua. Para celebrar a data, a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), por intemédio de seu Serviço de Gestão Sustentável, realizará, nos dias 7 e 8 de junho, a Semana do Meio Ambiente. A atividade, aberta a todos os interessados, contará com circuito de oficinas, exposição de livros e rodas de conversa, além do lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2016, a 32ª edição do documento que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, incluindo indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. Toda programação ocorrerá na Tenda ENSP, localizada na portaria principal da Escola. 

  5. Debate #DemarcaçãoJá emociona com a história que insiste em não virar passado

    “Nesta hora que estamos aqui conversando, alguém deve estar matando um índio, só que nós só vamos saber muito mais tarde, quando o índio já estiver morto. É a cobiça da terra, a cobiça do subsolo e a cobiça das riquezas naturais”, comentou alguém num auditório repleto de expectativa pelo início do debate #DemarcaçãoJá – sobre os Retrocessos nos Direitos Indígenas no Brasil que aconteceu no dia 30 de maio, na Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz). A frase é de Noel Nutels, sanitarista que adotou a causa indígena, e a teria dito na CPI do índio, em 1968. Tristemente atual.

  6. Filme 'Martírio', sobre trajetória do grupo indígena Guarani-Kaiowá, mobilizou comunidade acadêmica

    Em duas horas de exibição, a trajetória do grupo indígena Guarani-Kaiowá, nação que ocupou toda a região pampeira e do cerrado sul-americano e que tem sido invisibilizada e dizimada desde que os europeus começaram a desbravar a região, a partir do século XVIII, é contada com força e riqueza de imagens e histórias pelo cineasta Vincent Carelli no filme "Martírio". A exibição fez parte das atividades do evento #DemarcaçãoJá, promovido pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz)  e Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) durante o dia 30 de maio. Mesmo a extensa duração do filme não fez esmorecer o público, composto por pesquisadores e estudantes da ENSP/Fiocruz e do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (IESC/UFRJ), além de jornalistas e demais interessados.

  7. Dia Mundial do Meio Ambiente: ENSP promove ações comemorativas em 7 e 8 de junho

    Em 5 de junho comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, data estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 15 de dezembro de 1972, durante a Conferência de Estocolmo, que tratou do tema ambiente. O marco da data teve como principal objetivo a conscientização da população mundial sobre os temas ambientais, principalmente aos que dizem respeito à preservação. Dessa forma, a Organização das Nações Unidas (ONU) procurou ampliar a atuação política e social voltada para os temas ambientais, com a intenção de transformar pessoas em agentes ativos da preservação e valorização do meio ambiente. Muitos anos se passaram, e a luta pela preservação do meio ambiente continua. Para celebrar a data, a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), por intemédio de seu Serviço de Gestão Sustentável, realizará, nos dias 7 e 8 de junho, a Semana do Meio Ambiente. A atividade, aberta a todos os interessados, contará com circuito de oficinas, exposição de livros e rodas de conversa, além do lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2016, a 32ª edição do documento que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, incluindo indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. Toda programação ocorrerá na Tenda ENSP, localizada na portaria principal da Escola. 

  8. Dia Mundial do Meio Ambiente: ENSP promove ações comemorativas em 7 e 8 de junho

    Em 5 de junho comemora-se o Dia Mundial do Meio Ambiente, data estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 15 de dezembro de 1972, durante a Conferência de Estocolmo, que tratou do tema ambiente. O marco da data teve como principal objetivo a conscientização da população mundial sobre os temas ambientais, principalmente aos que dizem respeito à preservação. Dessa forma, a Organização das Nações Unidas (ONU) procurou ampliar a atuação política e social voltada para os temas ambientais, com a intenção de transformar pessoas em agentes ativos da preservação e valorização do meio ambiente. Muitos anos se passaram, e a luta pela preservação do meio ambiente continua. Para celebrar a data, a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), por intemédio de seu Serviço de Gestão Sustentável, realizará, nos dias 7 e 8 de junho, a Semana do Meio Ambiente. A atividade, aberta a todos os interessados, contará com circuito de oficinas, exposição de livros e rodas de conversa, além do lançamento do relatório Conflitos no Campo Brasil 2016, a 32ª edição do documento que reúne dados sobre os conflitos e violências sofridas pelos trabalhadores e trabalhadoras do campo brasileiro, incluindo indígenas, quilombolas e demais povos tradicionais. Toda programação ocorrerá na Tenda ENSP, localizada na portaria principal da Escola. 

  9. Ciclo de Debates discutiu violência nos territórios

    "Como se promove saúde num lugar em que de 180 dias só 9 não tiveram tiroteio?" A pergunta sem resposta, provocação que nos faz refletir - ainda que por breve momento - sobre a tragédia social que nos cerca, foi feita por um dos integrantes da mesa "Movimentos Sociais e garantias dos direitos", do XII Ciclo de Debates - conversando sobre a  Estratégia de Saúde da Família. Realizado no dia 17 de maio, o debate contou com a participação de Rafael Calazans, ex-aluno da Escola Politécnica e integrante do coletivo Papo Reto; André Lima, do Conselho Gestor Intersetorial de Manguinhos e do projeto Teias; e Franciele Campos, também integrante do CGI. A coordenação ficou por conta de Teresa Neves, pesquisadora da ENSP. Em tempos de aumento da violência e crise da democracia, foi uma oportunidade para se escutar aqueles que cresceram nos territórios de exclusão e trilharam seus caminhos  na intersecção dos campos da saúde e dos movimentos sociais. 

  10. Fiocruz faz ato contra a violência em Manguinhos

    Estudantes, trabalhadores da Fiocruz e lideranças comunitárias fizeram um grande ato contra a violência crescente em Manguinhos, decorrente, principalmente, das incursões policiais nas favelas do território. Nas últimas semanas, morreram ou ficaram feridos moradores, policiais, jovens, estudantes. Confirmando a triste estatística, em sua maioria, as vítimas eram negros e pobres. Um tiro atingiu uma janela da Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio e as aulas foram suspensas no Politécnico e na ENSP. Com cartazes, perfomances de teatro e falas cheias de indignação, o protesto chamou a atenção da grande mídia, presente no ato, e serviu para reafirmar o compromisso da ENSP e da Fiocruz com as comunidades do território de Manguinhos, do qual orgulhosamente fazem parte.