1. Diversas atividades celebram o mês da Luta Antimanicomial

    No mês da Luta Antimanicomial, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca abriu as comemorações do movimento que reivindica o fechamento dos manicômios, a adoção de modelos alternativos de tratamento e reforço dos vínculos familiares e sociais, sem o isolamento dos indivíduos. A primeira atividade aconteceu dia 2 de maio, no Centro de Estudos que celebrou 40 anos da Lei Basaglia e homenageou o "Marco Cavalo", ícone da desmontagem dos manicômios de Trieste, na Itália. As ações prosseguiram nesta sexta-feira (18/5), Dia Nacional da Luta Antimanicomial, com um ato no centro do Rio de Janeiro, e continuam em 28 de maio, ocasião em que a ENSP/Fiocruz receberá a ex-usuária da psiquiatria Laura Delano, que contará suas experiências no serviço.

  2. Cesteh/ENSP debate realidade e desafios dos acidentes de trabalho no Brasil

    O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Escola Nacional de Saúde Pública (Cesteh/ENSP) promoveu, no dia 3 de maio, o evento Acidentes de Trabalho no Brasil: realidades e desafios, em memória ao Dia Mundial das Vítimas de Acidentes de Trabalho e Doenças do Trabalho, lembrado em 28 de abril, e em comemoração ao Dia do Trabalhador, celebrado mundialmente em 1º de Maio. Participaram do debate a coordenadora Geral de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Karla Freire Baêta, a professora da Universidade Federal da Bahia, Vilma Santana, e o representante da diretoria executiva do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, Luiz Oliveira. O evento foi coordenador pela pesquisadora do Cesteh/ENSP, Élida Hennington. Na ocasião, foi realizada uma exposição de fotografias da construção do prédio do Cesteh (Pavilhão 1º de Maio). Confira no Canal da ENSP no Youtube as apresentações na íntegra. 

  3. Cesteh/ENSP debate realidade e desafios dos acidentes de trabalho no Brasil

    O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana da Escola Nacional de Saúde Pública (Cesteh/ENSP) promoveu, no dia 3 de maio, o evento Acidentes de Trabalho no Brasil: realidades e desafios, em memória ao Dia Mundial das Vítimas de Acidentes de Trabalho e Doenças do Trabalho, lembrado em 28 de abril, e em comemoração ao Dia do Trabalhador, celebrado mundialmente em 1º de Maio. Participaram do debate a coordenadora Geral de Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde, Karla Freire Baêta, a professora da Universidade Federal da Bahia, Vilma Santana, e o representante da diretoria executiva do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, Luiz Oliveira. O evento foi coordenador pela pesquisadora do Cesteh/ENSP, Élida Hennington. Na ocasião, foi realizada uma exposição de fotografias da construção do prédio do Cesteh (Pavilhão 1º de Maio). Confira no Canal da ENSP no Youtube as apresentações na íntegra. 

  4. Fiocruz participa de evento sobre política de drogas e violência nos dias 4 e 5 de maio

    A Fiocruz participará, nos dias 4 e 5 de maio, o Encontro Territorial sobre Política de Drogas, Violência e Saúde, na Maré (Rio de Janeiro). O objetivo deste encontro é dar visibilidade a interconexão entre saúde, violência e política de drogas. As violências sistemáticas associadas à atual política de drogas e impactam a rotina da cidade - principalmente as favelas e áreas periféricas - atingindo a saúde física e mental dos moradores e trabalhadores destes territórios.

  5. Fiocruz receberá ônibus do programa Justiça Itinerante quinzenalmente

    A Fiocruz firmou recentemente um acordo de cooperação técnica com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) para a instalação de ônibus do programa Justiça Itinerante nas dependências da Fundação em Manguinhos, no Rio de Janeiro, quinzenalmente. Os primeiros atendimentos na instituição serão realizados em 9 de maio, das 9 às 15h. A iniciativa é conduzida na Fiocruz pelo Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da Escola Nacional de Saúde Pública (Dihs/ENSP/Fiocruz) e pela Coordenação de Cooperação Social.

  6. Fiocruz receberá ônibus do programa Justiça Itinerante quinzenalmente

    A Fiocruz firmou recentemente um acordo de cooperação técnica com o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) para a instalação de ônibus do programa Justiça Itinerante nas dependências da Fundação em Manguinhos, no Rio de Janeiro, quinzenalmente. Os primeiros atendimentos na instituição serão realizados em 9 de maio, das 9 às 15h. A iniciativa é conduzida na Fiocruz pelo Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da Escola Nacional de Saúde Pública (Dihs/ENSP/Fiocruz) e pela Coordenação de Cooperação Social.

  7. ENSP lembra vítimas de acidentes de trabalho neste 28 de abril

    Sábado, 28 de abril, é lembrado como Dia Mundial das Vítimas de Acidentes de Trabalho e Doenças do Trabalho. Nesta data a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) homenageia todos os trabalhadores vítimas de acidentes de trabalho e doenças do trabalho. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT) ocorrem anualmente no mundo, aproximadamente 270 milhões de acidentes de trabalho, cerca de 160 milhões de casos de doenças ocupacionais e morrem diariamente, em média, cinco mil trabalhadores. Essas ocorrências chegam a comprometer 4% do PIB mundial. Segundo a pesquisadora do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), Élida Hennington, o Brasil é o quarto país que mais registra acidentes durante atividades laborais, atrás apenas de China, Índia e Indonésia.

  8. Fiocruz participa de evento sobre política de drogas e violência nos dias 4 e 5 de maio

    A Fiocruz participará, nos dias 4 e 5 de maio, o Encontro Territorial sobre Política de Drogas, Violência e Saúde, na Maré (Rio de Janeiro). O objetivo deste encontro é dar visibilidade a interconexão entre saúde, violência e política de drogas. As violências sistemáticas associadas à atual política de drogas e impactam a rotina da cidade - principalmente as favelas e áreas periféricas - atingindo a saúde física e mental dos moradores e trabalhadores destes territórios.

  9. Debate oferece perspectiva crítica à intervenção militar no Rio

    O tema era urgente: discutir a intervenção militar no Rio de Janeiro sob uma perscpectiva ampla, buscando as contribuições possíveis entre a área da saúde, os movimentos sociais e entidades da sociedade civíl. Mas no cenário atual, de degradação vertiginosa da vida em sociedade, uma urgência pode se tornar uma emergência. Quando agendou o debate "Intervenção pra quem?", o conselho deliberativo da ENSP não imaginaria que a poucos dias do evento, Marielle Franco, uma vereadora e líder que vinha se notabilizando na luta contra as injustiças e o genocídeo da juventude negra no Brasil, seria brutalmente assassinada junto com seu motorista Anderson Gomes.

  10. Debate oferece perspectiva crítica à intervenção militar no Rio

    O tema era urgente: discutir a intervenção militar no Rio de Janeiro sob uma perscpectiva ampla, buscando as contribuições possíveis entre a área da saúde, os movimentos sociais e entidades da sociedade civíl. Mas no cenário atual, de degradação vertiginosa da vida em sociedade, uma urgência pode se tornar uma emergência. Quando agendou o debate "Intervenção pra quem?", o conselho deliberativo da ENSP não imaginaria que a poucos dias do evento, Marielle Franco, uma vereadora e líder que vinha se notabilizando na luta contra as injustiças e o genocídeo da juventude negra no Brasil, seria brutalmente assassinada junto com seu motorista Anderson Gomes.