1. Pesquisadores da ENSP participam da 4º Assembleia Global de Saúde dos Povos

    Os pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Lígia Giovanella e Ary Miranda, participaram da 4º Assembleia Global de Saúde dos Povos (PHA 4), realizada em Bangladesh, de 15 a 19 de novembro de 2018. O encontro, que contou com mais de 1.400 ativistas, representando 73 países, fortaleceu a necessidade de desenvolver estratégias conjuntas globais para combater as ameaças ao direito humano universal à saúde e as abordagens neoliberais da saúde.

  2. Mais Médicos e médicos cubanos: opinião, perspectivas e possibilidades

    O pesquisador da ENSP e coordenador do Programa de Pós-graduação em Bioética Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), Sergio Rego, assina texto, publicado originalmente no Blog do Nassif, sobre o programa Mais Médicos e saida dos médicos cubanos do Brasil. O ex-ministro da Saúde e pesquisador da ENSP/Fiocruz, José Gomes Temporão e o médico sanitarista, Francisco Campos, também assinaram artigo de opinião sobre o tema, publicada no jornal Folha de São Paulo. Confira!

  3. Patente: sofosbuvir entre o comércio e o direito à cura

    Jorge Bermudez, pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), coordenador do Departamento de Política de Medicamentos e Assistência Farmacêutica (NAF/ENSP) e membro do Painel de Alto Nível do Secretário-Geral das Nações Unidas em Acesso a Medicamentos, assina artigo sobre a patente do sofosbuvir, medicamento para tratar a hepatite C. 

  4. Nota de apoio à UFRJ e UERJ

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp), unidade técnico-científica da Fiocruz, instituição de Estado integrante do SUS e do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI), solidariza-se com a UFRJ e a UERJ pela injúria cometida no editorial do jornal O Globo de segunda-feira, 17 de setembro. 

  5. Pela valorização da ciência, do ensino e do patrimônio histórico brasileiro

    No domingo, 2 de setembro, o mundo inteiro se deparou com uma tragédia que evidenciou o descaso e a negligência direcionados à educação, à cultura, ao patrimônio científico e histórico brasileiro. Além da destruição do acervo, de projetos de pesquisa e bens intangíveis, o incêndio no Museu Nacional desencadeou uma onda de desinformação e falsas notícias, geradas sem qualquer apuração ou conhecimento, a respeito do planejamento e execução do orçamento público. 

  6. Museu Nacional: ruínas precoces, fiapos de esperança

    Exatamente neste ano de 2018, quando se comemora os 200 anos da fundação do Museu Nacional, também completo 25 anos como professor na instituição. Esse quarto de século de minha vida se transformou completamente após ler, num piscar de olhos, uma mensagem de celular de uma colega no domingo à noite indicando que o chamado Palácio estava em chamas. 

  7. Pela valorização da ciência, do ensino e do patrimônio histórico brasileiro

    No domingo, 2 de setembro, o mundo inteiro se deparou com uma tragédia que evidenciou o descaso e a negligência direcionados à educação, à cultura, ao patrimônio científico e histórico brasileiro. Além da destruição do acervo, de projetos de pesquisa e bens intangíveis, o incêndio no Museu Nacional desencadeou uma onda de desinformação e falsas notícias, geradas sem qualquer apuração ou conhecimento, a respeito do planejamento e execução do orçamento público.