1. Confira aqui todas as matérias publicadas pela ENSP sobre o 2º Sibsa

    A equipe de jornalismo do Informe ENSP e da ENSP TV está cobrindo a segunda edição do Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente (Sibsa), que acontece em Belo Horizonte (MG) de 19 a 22 de outubro. O encontro, organizado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), por intermédio do Grupo Temático de Saúde e Ambiente, tem como tema Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciência e Movimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas.

  2. Pesquisa analisa o impacto de grandes empreendimentos na saúde

    Doenças respiratórias, cardiovasculares, infecciosas e parasitárias, ausência de fornecimento de água potável para consumo humano, estresse, exposição à substâncias perigosas e intoxicação por hidrocarbonetos: esses são alguns dos impactos socioambientais e riscos à saúde humana que a construção de grandes empreendimentos pode causar à saúde da população e ao meio ambiente. Os agravos foram apresentados pela aluna de doutorado do Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP Marcela de Abreu Muniz durante o 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente, em Belo Horizonte. 

  3. Por uma epistemologia da visão: debate envolve academia e indígenas

    "Existem dois eixos que regem a saúde, o espiritual e o carnal. O carnal é oriundo do espaço. Quando nós expulsamos das nossas terras os grandes fazendeiros e caçadores, caiu a mortalidade infantil, a desnutrição e nenhum jovem menor de 50 anos morreu na aldeia". Essa é visão de saúde de Rosivaldo Ferreira da Silva, mais conhecido como Cacique Babau, da tribo dos Tupinambás. A fala dele foi a mais aplaudida da mesa redonda A função social da ciência, ecologia de saberes e outras experiências de produção, apresentada durante o 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente. Falando ao lado do pesquisador da ENSP Marcelo Firpo e de Tadeu Melo, da Universidade Federal do Acre, a experiência de vê-lo de cocar dividindo o microfone com os cientistas ofereceu ao público, na prática, aquilo que os organizadores vem propagando como a grande novidade deste simpósio: a interação entre o saber popular e o acadêmico.

  4. Confira aqui todas as matérias publicadas pela ENSP sobre o 2º Sibsa

    A equipe de jornalismo do Informe ENSP e da ENSP TV está cobrindo a segunda edição do Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente (Sibsa), que acontece em Belo Horizonte (MG) de 19 a 22 de outubro. O encontro, organizado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), por intermédio do Grupo Temático de Saúde e Ambiente, tem como tema Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciência e Movimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas.

  5. Mesa destaca ineditismo da formação para os movimentos sociais

    "Rompemos com a lógica da ciência clássica e começamos a pensar na produção de conhecimentos em articulação com os movimentos sociais", disse o pesquisador da ENSP Ary Carvalho de Miranda, durante a mesa sobre experiências de formação para o SUS. Na ocasião, ele expôs detalhes do processo de elaboração e realização do curso de mestrado profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais da ENSP. O debate aconteceu no terceiro dia do 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente e fez parte do eixo estruturante A função social da ciência, ecologia de saberes, e outras experiências de produção compartilhada de conhecimento

  6. Confira aqui todas as matérias publicadas pela ENSP sobre o 2º Sibsa

    A equipe de jornalismo do Informe ENSP e da ENSP TV está cobrindo a segunda edição do Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente (Sibsa), que acontece em Belo Horizonte (MG) de 19 a 22 de outubro. O encontro, organizado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), por intermédio do Grupo Temático de Saúde e Ambiente, tem como tema Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciência e Movimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas.

  7. Involução da espécie é abordada durante debate no 2º Sibsa

    Tirante um desmaio que levou Charles Darwin a pernoitar, em 1972, numa de suas pensões, a cidade de Macaé não registrou, até 1974, grandes incidentes. Semelhante a milhares de outros municípios pequenos e médios do litoral brasileiro, vivia-se da pesca e da terra. Mas o que nem o naturalista inglês seria capaz de prever era que sob suas águas estaria uma reserva de petróleo que se tornaria responsável por mais de 80% de da produção nacional. A descoberta do campo de exploração, no entanto, não trouxe o futuro a uma cidade atrasada, mas antes, a expectativa concreta da sua extinção. É o que se conclui do estudo Conflitos ambientais entre a pesca artesanal e a indústria petrolífera em Macaé: os impactos do desenvolvimento econômico regional sobre a organização social e a situação de saúde dos pescadores, de Diogo Ferreira da Rocha, doutorando do programa de Saúde Pública da ENSP.

  8. Tornar visível: mapa auxilia na busca por injustiças ambientais

    Os mapas estão, hoje, ao alcance de quase todos: basta um celular conectado à internet para que a pessoa consiga saber onde está ou descobrir imediatamente a distância entre dois pontos em qualquer lugar do planeta. Mas se o Google MAPS, GPS e companhia podem ajudar nas pequenas tarefas do dia a dia, como achar um restaurante ou posto de gasolina, a potência do encontro entre a cartografia e o mundo digital aumenta quando falamos de seu uso no combate às injustiças. Utilizar desse encontro para mapear os conflitos ambientais que se espalham por todo o Brasil tem sido a tarefa de um projeto do pesquisador da ENSP Marcelo Firpo. O trabalho foi apresentado na mesa-redonda Desenvolvimento e Conflitos Territoriais: experiências dos mapas e diálogos de saberes para a justiça ambiental, realizada em 20/10 durante o 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente.

  9. Confira aqui todas as matérias publicadas pela ENSP sobre o 2º Sibsa

    A equipe de jornalismo do Informe ENSP e da ENSP TV está cobrindo a segunda edição do Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente (Sibsa), que acontece em Belo Horizonte (MG) de 19 a 22 de outubro. O encontro, organizado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), por intermédio do Grupo Temático de Saúde e Ambiente, tem como tema Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciência e Movimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas.

  10. Meio ambiente deve ser parte da vida para um futuro sustentável

    O filósofo francês Jean Pierre Leroy foi o grande destaque da noite de abertura do 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente, que está acontecendo na capital mineira, Belo Horizonte.  No contexto atual, no qual vivemos a expansão cada vez mais intensa da agricultura industrial e dos latifúndios monocultores no país, Leroy defende a resistência aos processos de desterritorialização e desapropriação dos territórios tradicionais, que, em nossa sociedade, são respaldadas pelos interesses governamentais e pela política do crescimento econômico. Segundo ele, nesse sentido, os saberes e competências associados ao local passam a ser desqualificados. O filósofo alerta, no entanto, que são nestes territórios que podem ser encontradas pistas para um futuro sustentável.