1. Cebes publica Moção de Repúdio pelo adiamento da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde

    Os membros do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes) reunidos em seu V Simpósio Nacional repudiam o adiamento da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde (CNVS) informado no dia 24/11/17 em nota conjunta emitida pelo Ministério da Saúde e Conselho Nacional de Saúde que surpreendeu os milhares de participantes que já haviam se organizado em suas bases com destino à Brasília-DF. A Conferência que estava prevista para ser realizada no período de 28/11 a 1/12/2017 foi adiada sem previsão de nova data com a justificativa de não haver prazo legal para a conclusão do processo licitatório devido a recursos impetrados por empresas concorrentes. Tal fato incorreu em enormes transtornos e perdas econômicas do recurso público e de participantes oriundos de diferentes espaços de representação que tem investido no aprofundamento do debate no tema vigilância em saúde.

  2. 50 anos do Centro de Saúde promove Ato em Defesa da Paz e da Garantia de Direitos nas favelas

    O CSEGSF convoca trabalhadores, moradores de Manguinhos e estudantes para o Ato em Defesa da Paz e da Garantia de Direitos nas favelas, a ser realizado no dia 28/08, às 12h30, no Pátio da ENSP. O ato antecederá a abertura solene do Aniversário de 50 anos do CSEGSF. Venham de branco e tragam suas faixas, cartazes em nome da vida e dos direitos!

  3. Parceria que dá certo: academia e movimentos sociais se unem para formação em Saúde Pública voltada para o meio ambiente

    Os diretores da ENSP/Fiocruz e da EPSJV/Fiocruz, na companhia dos coordenadores do Mestrado Profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais e do coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, falam sobre experiência exitosa de unir a academia aos movimentos sociais na formatura da primeira turma do curso. 

  4. Stédile encerra mestrado com foco nos movimentos sociais

    Na quinta-feira, 14 de julho, mais um ciclo se fecha na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. Trata-se do encerramento da turma Primavera da Luta, do curso de Mestrado Profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais, organizado pela ENSP, que faz parte da estratégia de implementação da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo e da Floresta (PNSIPCF), com ativa participação dos movimentos sociais. Para encerrar o ciclo, a Escola receberá o membro da Coordenação Nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, que proferirá a palestra Educação, Ciência e Lutas Sociais: os desafios da atual conjuntura. Na ocasião, a turma participará da tradicional Feira Agroecológica Josué de Castro, com a exposição de produtos da Reforma Agrária e, também, das fotográfias Nos caminhos dos movimentos sociais - trabalho, saúde e ambiente. A atividade, marcada para as 9h30 no salão internacional da ENSP, será aberta aos interessados e não necessita de inscrição prévia.

  5. #OcupaSUS promove grande ato em defesa do direito universal à saúde

    Debates, aulas abertas e reuniões se misturam a colchonetes, barracas e cobertores na ocupação que acontece na sede do Ministério da Saúde no centro do Rio de Janeiro, em favor da democracia, contra as ameaças e retrocessos nas políticas sociais e em defesa do Sistema Único de Saúde. Como mais uma ação do #OcupaSUS RJ, o movimento realizará nesta sexta-feira, 24/6, um grande Ato político-cultural em defesa do SUS, na Cinelândia, às 18h. No MS RJ, localizado na Rua México, 128, as atividades terão início às 13h, com um papo aberto sobre a saúde e os direitos da população em situação de rua. Já às 15h, começará a concentração para o ato, em defesa do direito universal à saúde e do SUS, contra as privatizações. Alunos, pesquisadores e professores da ENSP participam de forma ativa fortalecendo a resistência com aulas e debates na ocupação, que acontece desde 7 de junho.

  6. Feira agroecológica, campanhas de doação e filme nesta quinta-feira (9/6) no Mês do Meio Ambiente na ENSP

    As atividades do Mês do Ambiente seguem a toda na ENSP. Nesta quinta-feira, 9 de junho, a programação terá mais uma edição da Feira Agroecológica Josué de Castro e do projeto de doação de livros Livro em Movimento. Além disso, haverá também a divulgação de uma nova campanha da Escola, que promove a arrecadação de miniaturas de itens de higiene e a Oficina do Imaginário. A programação, aberta a todos os interessados, será realizada ao longo do dia (das 9 às 17 horas), no Pátio da ENSP. 

     

     

  7. ENSP repudia ações violentas e mortes em Manguinhos

    Negro, pobre, favela, polícia armada, confronto e morte. Esses poderiam ser elementos de uma cena de filme, mas é a vida real. A tragédia nossa de cada dia que acontece na porta do cidadão brasileiro. Na terça-feira, 8/9, mais uma criança foi assassinada durante ação policial enquanto se divertia. Cristian tinha apenas 13 anos e jogava bola na comunidade onde morava, no Complexo de Manguinhos; vizinho da Fiocruz - uma instituição que tem em sua missão o compromisso de promover a saúde e o desenvolvimento social da população no mais amplo sentido da palavra. A ENSP/Fiocruz, sempre presente e atuante no território, mais uma vez se entristece e presta sua solidariedade à família de Cristian e a toda a comunidade. A Escola afirma que é preciso buscar soluções e repudia a violação brutal dos direitos humanos pela polícia armada do Estado. Confira a carta aberta publicada pelo Fórum Social de Manguinhos (FSM), um espaço de debates entre moradores, instituições e trabalhadores que atua na região.

  8. ENSP repudia ações violentas e mortes em Manguinhos

    Negro, pobre, favela, polícia armada, confronto e morte. Esses poderiam ser elementos de uma cena de filme, mas é a vida real. A tragédia nossa de cada dia que acontece na porta do cidadão brasileiro. Na terça-feira, 8/9, mais uma criança foi assassinada durante ação policial enquanto se divertia. Cristian tinha apenas 13 anos e jogava bola na comunidade onde morava, no Complexo de Manguinhos; vizinho da Fiocruz - uma instituição que tem em sua missão o compromisso de promover a saúde e o desenvolvimento social da população no mais amplo sentido da palavra. A ENSP/Fiocruz, sempre presente e atuante no território, mais uma vez se entristece e presta sua solidariedade à família de Cristian e a toda a comunidade. A Escola afirma que é preciso buscar soluções e repudia a violação brutal dos direitos humanos pela polícia armada do Estado. Confira a carta aberta publicada pelo Fórum Social de Manguinhos (FSM), um espaço de debates entre moradores, instituições e trabalhadores que atua na região.

  9. ENSP condena a criminalização dos movimentos sociais

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP) condena a criminalização dos movimentos sociais, expressa na (ordem de) prisão arbitrária e na perseguição de ativistas no estado do Rio de Janeiro - Igor Mendes (preso), Elisa Quadros e Karlayne. A nota, elaborada pelo Fórum de Articulação da ENSP com os Movimentos Sociais, ressalta que essas ações representam concretamente uma ameaça à integridade física e psíquica, à saúde dos ativistas, familiares e amigos e, principalmente, um atentado à liberdade de organização e manifestação política em nosso país.