1. Pesquisadores da ENSP debatem a laicidade do Estado e as religiões

    A laicidade do Estado brasileiro é tema de profundo debate e embate num país com mais de 200 milhões de habitantes que reúne as mais diversas matrizes religiosas e filosóficas. Para debater a questão, os pesquisadores da ENSP Sergio Rego e Pablo Dias Fortes, junto com Marisa Palácios, participaram da publicação Embates em torno do Estado Laico com o artigo Bioética laica: zonas de atrito com as religiões na prática em saúde. Confira.

  2. Pesquisadores da ENSP debatem a laicidade do Estado e as religiões

    A laicidade do Estado brasileiro é tema de profundo debate e embate num país com mais de 200 milhões de habitantes que reúne as mais diversas matrizes religiosas e filosóficas. Para debater a questão, os pesquisadores da ENSP Sergio Rego e Pablo Dias Fortes, junto com Marisa Palácios, participaram da publicação Embates em torno do Estado Laico com o artigo Bioética laica: zonas de atrito com as religiões na prática em saúde. Confira.

  3. 'Provocações em relação ao peso corporal afetam adolescentes de baixa renda', revela pesquisa

    Um estudo, em 10 escolas públicas de São Paulo, revelou a insatisfação com o tamanho corporal que afeta o peso de adolescentes, principalmente do sexo feminino. De acordo com a pesquisa, na adolescência, nota-se preocupação crescente com a imagem corporal, levando a comparações influenciadas pelos conceitos sociais de atratividade, geralmente tipificados por um corpo magro. As 253 meninas entrevistadas relataram que foram provocadas por 38,5% de seus familiares e 40,6% de seus colegas. Em relação à provocação familiar, a maior prevalência foi de irmãos (55,7%), mães (40,9%) e pais (18,2%). 
     

  4. Artigo do 'Cadernos de Saúde Pública' aborda relação entre acidentes de trabalho e os religadores automáticos no setor elétrico

    "O setor elétrico brasileiro registra elevados índices de mortalidade por acidentes de trabalho que vêm sendo associados à terceirização, introduzida como forma de rebaixamento de custos. Para diminuir o tempo de interrupção do fornecimento de energia aos consumidores, o setor adotou, como solução tecnológica, o religador automático. Essa medida apresenta características perversas para os trabalhadores de manutenção". Essa é a conclusão do estudo Acidentes de trabalho e os religadores automáticos no setor elétrico: para além das causas imediatas, que visa analisar origens e consequências de acidentes de trabalho em sistemas elétricos dotados de religador automático utilizando o Modelo de Análise e Prevenção de Acidentes (MAPA). O estudo mostra que a introdução dessa inovação traz para o cenário da segurança a possibilidade de acidentes em que a vítima, que não participa das decisões de programação e/ou de ativação ou não do artefato, recebe uma série de choques elétricos com chances de agravamento dos desfechos. "A essas situações de risco são acrescentadas outras, como problemas relacionados à manutenção e confiabilidade dos dispositivos", observam os pesquisadores.