1. 'Cadernos de Saúde Pública' destaca a perspectiva da Inovação Responsável em Saúde

    A revista Cadernos de Saúde Pública de julho de 2020, que já está disponível on-line, traz como destaque artigo sobre a perspectiva da Inovação Responsável em Saúde (IRS), em tempos de Covid-19. “Seu uso possibilita examinar em que medida uma inovação reduz as desigualdades em saúde ao atender as necessidades específicas de um grupo vulnerável.” Além de avaliar se os meios para mitigar os impactos negativos de uma inovação estão disponíveis para os aspectos éticos, legais e sociais aplicáveis; e também, até que ponto uma inovação contribui para a sustentabilidade do sistema de saúde, dizem os pesquisadores.

  2. A bioética e as escolhas impostas pela pandemia

    O artigo Covid-19 e o fim da Vida: quem será admitido na Unidade de Terapia Intensiva?, publicado no Observatório Covid-19 Informação para Ação, expõe que essa doença se tornou um grande desafio para as sociedades contemporâneas, em termos clínicos e de saúde pública. O fato de se tratar de um vírus novo, para o qual os seres humanos não têm imunidade, altamente transmissível e capaz de desencadear quadros graves, vem produzindo significativa pressão, sem precedentes, nos sistemas de saúde de diferentes regiões do planeta, muitas vezes com consequências devastadoras para as populações atingidas. 

  3. Revista 'Ciência e Saúde Coletiva' de junho traz artigos da ENSP

    A revista Ciência & Saúde Coletiva de junho refletiu sobre a crise do coronavírus na Espanha. “A magnitude do impacto da pandemia na população idosa é um evento dramático, que afetou cerca de 3% a 4% da população em casas de repouso.” A edição publicou também dois artigos da ENSP: um sobre a saúde dos povos indígenas do Acre; e outro a respeito da prescrição de psicofármacos na primeira infância.

  4. Artigo debate a pandemia de Covid-19 e a naturalização da morte

    O artigo A Pandemia de COVID-19 e a Naturalização da Morte, publicado pelo Observatório Covid-19 Informação para Ação, analisa os discursos e narrativas em disputa sobre a produção de significados, tendo como base moral a perspectiva dos direitos humanos, da equidade e da construção dialógica dos saberes e das práticas. O texto analisa e denuncia a estratégia discursiva de naturalização das
    mortes "esperadas" e não problematizadas de grupos populacionais específicos.
     

  5. Democracia (ainda) em vertigem - Uma análise da resposta política do Brasil à crise do Covid-19: tema de artigo da ENSP

    Um dos autores do artigo, pesquisador da ENSP, André Pereira Neto, questiona a resposta brasileira à pandemia do Covid-19, pois o Brasil é um dos poucos países que tem um sistema nacional, público, universal e gratuito de saúde que compreende desde a prevenção até a assistência médica: Por que o Brasil tem tido tanta dificuldade em combater o coronavírus?

  6. Por que o Brasil levou tanto tempo para apresentar queda no número diário de mortes por Covid-19?

    Grande parte dos países que vivenciaram a pandemia de Covid-19 reduziram o número diário de mortes registradas até um mês e meio depois do primeiro óbito pela doença. Já o Brasil começou a reduzir esse número somente 79 dias após o registro da primeira morte. O pesquisador da ENSP Paulo Nadanovsky explica, no artigo publicado em seu blog, o porquê de o Brasil ter continuado a apresentar números mais altos de infecções e mortes diárias. Confira! 

  7. Artigo aborda decretação de lockdown pela via judicial

    'Percebe-se que o Judiciário, no Brasil recente, tem exibido, em determinadas situações, uma posição claramente ativista, postura que ultrapassa as linhas próprias das competências desenhadas na Constituição Federal para os entes federativos. A decretação de lockdown pela via judicial retira a responsabilidade do Poder Executivo na condução das políticas públicas de enfrentamento à pandemia. O órgão que deveria ser a última instância tornou-se o agente determinante da ação política.' A questão é tratada em artigo publicado no Cadernos de Saúde Pública.