1. Pesquisadora da Fiocruz fala sobre a destruição do estado de bem estar social

    No artigo Apocalipse já: a destruição do estado de bem estar social, Sônia Fleury, doutora em Ciência Política e pesquisadora sênior do Centro de Estudos Estratégicos (CEE/Fiocruz), opina sobre as novas propostas de revisão constitucional – PEC 186 Emergencial e PEC 188 do Pacto Federativo, anunciadas pelo ministro Paulo Guedes. Fleury alerta que a proposta atual inclui o seguinte parágrafo único: “Será observado, na promoção dos direitos sociais, o direito ao equilíbrio fiscal intergeracional”. 
     

  2. OMS publica nova classificação sobre diabetes

    Em 14 de novembro comemora-se o Dia Mundial do Diabetes. Em 2019, a Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou uma nova classificação revisada da doença. Desde 1965, a OMS atualiza e divulga periodicamente orientações sobre tal classificação, cujo objetivo é esclarecer sobre o atendimento clínico, orientar os profissionais de saúde na escolha de tratamentos adequados no momento do diagnóstico do diabetes e ainda fornece orientações práticas aos médicos quanto a atribuição do tipo de diabetes no momento do diagnóstico. A publicação está disponível na íntegra em inglês, no site da OMS.

  3. Artigo da ENSP trata da internacionalização dos periódicos de saúde coletiva

    A ciência já nasceu com vocação para se expandir. Seu berço mais expressivo foram os países ocidentais considerados mais desenvolvidos. Neste século, algumas nações emergentes vêm tomando consciência da importância de dar visibilidade internacional ao produto de seu conhecimento. Um artigo da pesquisadora da ENSP, Maria Cecília de Souza Minayo, apresenta caminhos para que o meio editorial em saúde coletiva incremente essa internacionalização.

  4. Revista Pan-Americana de Saúde Pública abre chamada para artigos sobre recursos humanos em saúde

    A Revista Pan-Americana de Saúde Pública, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), abriu uma chamada de artigos para a edição especial "Recursos humanos para uma saúde universal", a ser publicada em 2020. Os trabalhos - que serão aceitos em português, espanhol ou inglês – podem ser enviados até 31 de dezembro de 2019 pelo site www.paho.org/journal.

  5. Regionalização e saúde em debate no suplemento do ‘Cadernos de Saúde Pública’

    Transformações do território são uma das vertentes de mudança do mundo capitalista na atualidade. Elas expressam alterações nas diferentes dimensões da relação Estado, economia e sociedade, como  estruturas e formas de produção; relações de trabalho; e participação política. É o que está em debate no suplemento do Cadernos de Saúde Pública de outubro, que entende que o desafio para a construção do social e de uma cultura de solidariedade no Brasil  encontra-se no reconhecimento dinâmico do que é universal e particular.
     

     

  6. Regionalização e saúde em debate no suplemento do ‘Cadernos de Saúde Pública’

    Transformações do território são uma das vertentes de mudança do mundo capitalista na atualidade. Elas expressam alterações nas diferentes dimensões da relação Estado, economia e sociedade, como  estruturas e formas de produção; relações de trabalho; e participação política. É o que está em debate no suplemento do Cadernos de Saúde Pública de outubro, que entende que o desafio para a construção do social e de uma cultura de solidariedade no Brasil  encontra-se no reconhecimento dinâmico do que é universal e particular.
     

     

  7. Em artigo, pesquisador da ENSP fala sobre acesso a medicamentos e produção local

    "A Etiópia e sua capital, Adis Abeba, como sede da União Africana e seus 55 países, tem sido o eco das discussões pela implementação da iniciativa denominada Pharmaceutical Manufacturing Plan for Africa (PMPA), aprovada em 2007, na Cúpula de Accra, em Gana, e reenfatizada em 2011, em Durban, África do Sul, e que expressa a importância da produção local de medicamentos para assegurar o acesso das populações a medicamentos essenciais", aponta o pesquisador da ENSP, Jorge Bermudez, em artigo. 

  8. Gestão da Assistência Farmacêutica para Medicamentos Judicializados precisa ser revista, segundo artigo da ENSP

    Desde a década de 1990, as solicitações de medicamentos por via judicial vêm se intensificando. Somente seis gestores de 16 municípios do sudeste brasileiro, estudados por pesquisadores da ENSP, informaram que realizavam análise técnica das prescrições e contato regular com o judiciário. “A gestão municipal tem papel preponderante sobre a gestão da Assistência Farmacêutica e precisa ser revista”, alerta a pesquisa.