1. Fórum de Estudantes da ENSP: carta em apoio à educação pública

    O Fórum de Estudantes da ENSP divulga carta em apoio à educação pública e convoca os alunos a uma postura ativa frente ao retrocesso que representa o desmonte das universidades públicas. Para tanto, convoca os estudantes de todos os programas para unir forças em prol do Ato em Defesa da Educação Pública, marcado para as 15 horas, na Cinelândia, no Rio de Janeiro. Leia a carta na íntegra.

  2. Fórum de Estudantes ENSP se posiciona contra o atraso nas bolsas Faperj

    A irregularidade e os atrasos no pagamento aos bolsistas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) motivou o Fórum de Estudantes da ENSP a redigir uma carta aberta destacando o descompromisso com a ciência em nosso estado. A instituição não efetiva os pagamentos desde o mês de janeiro - quitados somente no final de março. Já as bolsas de fevereiro estão em aberto. A previsão é que ocorra a mesma situação em março, com pagamento no mês de abril. Segundo o Fórum, como um dos requisitos para o recebimento da bolsa é a dedicação exclusiva, o não pagamento implica, em muitos casos, problemas relacionados ao custeio de pesquisas dos estudantes. Confira, em anexo, a íntegra da carta aberta.

  3. ENSP discute pedagogia das ruas no Fórum Social Mundial

    Com a intenção de discutir o nível de compreensão dos processos político-pedagógicos surgidos em consequência dos movimentos de massa que vêm ocorrendo em nosso país desde junho de 2013, o pesquisador do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental (DSSA/ENSP), Paulo Roberto de Abreu Bruno levou este debate ao Fórum Mundial de Educação (FME). O encontro, que faz parte do Fórum Social Mundial (FSM), teve foco em projetos de educação popular e de enfrentamento ao neoliberalismo, seja em esferas públicas, governamentais ou não, coletivas ou de pesquisa. O trabalho de Paulo Bruno Elementos para a análise da pedagogia das ruas: um esboço sobre a contrapartida à 'Pedagogia do Terror' foi apresentado no eixo temático Pedagogia, Territórios e Resistências.

  4. Fórum de Movimentos Sociais se reúne na ENSP

    Na quinta-feira, 12/12, o Fórum de Articulação com os Movimentos Sociais da ENSP realizará o debate Os movimentos sociais na conjuntura: balanço, desafios e perspectivas. Seu objetivo é debater o tema com uma comunidade de pares cada vez mais ampliada e assim criar e fortalecer espaços de diálogo. Além disso, o que se pretende é realizar um balanço das ações brasileiras e ainda pensar nos desafios para 2014 – ano em que será realizada a Copa do Mundo em nosso país. O debate está marcado para as 9 horas e será realizado na sala M, do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP.

  5. Fórum Saúde e Ambiente da ENSP se reúne na terça-feira (17/9)

    Na próxima terça-feira (17/9), será realizada a segunda reunião do Fórum de Saúde e Ambiente da ENSP. A constituição desse fórum, coordenado pela pesquisadora Márcia Chame, do Departamento de Endemias Samuel Pessoa, vem para suprir a necessidade de consolidação de espaços específicos de discussão e produção do conhecimento a respeito das questões ambientais, em sua interface com a saúde e o processo de desenvolvimento, que possam subsidiar a formulação e a implementação de políticas de saúde ambiental no país, contribuindo para além da produção acadêmica sobre o tema. O encontro está marcado para 14 horas, na sala do CD ENSP (3º andar).

  6. Nova reunião do Fórum de Informação e Comunicação da ENSP

    A segunda reunião do Fórum de Informação, Comunicação e Tecnologia de Informação da ENSP está marcada para o dia 16/9, às 14 horas, cuja pauta proposta é a apresentação das matrizes de responsabilidades elaboradas pelos setores e áreas, a respeito do tema Web. O Fórum dedica-se a um intercampo em que se encontram saberes e práticas de informação, de comunicação e de tecnologia da informação, em diálogo inter e transdisciplinar com as ciências da saúde; ciências sociais, humanas e políticas; ciências da computação e da telecomunicação. Além disso, visa contribuir para a política institucional da Escola e seu planejamento estratégico no que se refere à informação, comunicação e tecnologia de informação, em subsídio à Direção.

  7. ENSP institucionaliza fóruns de articulação

    A luta pelo direito à saúde e a implementação do SUS, de acordo com seus princípios fundamentais e na perspectiva do direito público, são compromissos estratégicos assumidos pela atual Direção da ENSP, a cargo de Hermano Castro. Para alcançar tais objetivos, novas políticas institucionais estão sendo criadas, como a formalização de três fóruns de articulação: Movimentos Sociais; Saúde e Ambiente; e Informação, Comunicação e Tecnologias da Informação. Com essas perspectivas, na próxima segunda-feira (12/8), haverá a primeira reunião do Fórum de Comunicação, a partir das 14 horas, na sala do CD ENSP.

  8. Fórum de Movimentos Sociais debate protestos no Brasil

    Com o objetivo de dialogar sobre os protestos que vêm ocorrendo, desde junho, no Rio de Janeiro e em outras cidades do Brasil, o Fórum Movimentos Sociais da ENSP realizou na quarta-feira (17/7), no auditório da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), o debate Movimentos Sociais, democracia e participação popular: um debate sobre os protestos de junho de 2013. No evento, Eduardo Stotz, pesquisador da Escola e representante da articulação do Fórum Movimentos Sociais, destacou que todas as manifestações realizadas no país demostram, cada vez mais, que a sociedade não está inerte politicamente como parecia.

  9. Movimentos Sociais: ENSP inicia constituição de fórum

    Com o objetivo de aprofundar a relação da ENSP com os Movimentos Sociais, teve início, na Escola, o processo de articulação para a constituição de um fórum voltado para essa temática. Para tanto, no dia 5/6, professores, pesquisadores, analistas de gestão e técnicos se reuniram para apresentar projetos e atividades que desenvolvem com os movimentos sociais e sindicatos nas dimensões do ensino, pesquisa, cooperação técnica e serviços de referência. A instituição de fóruns de discussão se insere na nova política de Direção da Escola e visa alcançar o debate com uma comunidade mais ampliada de pares, para criar e fortalecer espaços de diálogo. Além de outras frentes, a Escola pretende contar com a participação desses movimentos na reflexão sobre os desafios da saúde pública e em sua própria formação, tendo em vista o enfrentamento desses desafios.