1. Homenagens marcam encerramento de congresso da Abrasco

    Mais de 1600 pessoas circularam pela UERJ ao longo do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde da Abrasco.  Em cinco dias de congresso, houve 38 Mesas Redondas, 23 palestras, 6 Grandes Debates, além de Cursos, Oficinas, reuniões e atividades culturais. Quase todos os estados brasileiros foram representados em trabalhos aprovados, numa circulação genuína de diálogos e saberes, como refletia o tema do evento.

  2. Vida, saúde e ambiente em debate no VI CBCSHS

    O grande debate Vida, Saúde e Ambiente, realizado no dia 16 de novembro durante o VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (VI CBCSHS), promovido pela Abrasco, reuniu os pesquisadores Raul Borges Guimarães (Unesp-SP), Dina Czeresnia (ENSP/Fiocruz) e Raquel Rigotto (UFC), sob a coordenação do também pesquisador Ary Miranda (ENSP/Fiocruz). Os expositores buscaram apresentar como os três elementos em debate se articulam dentro do capitalismo contemporâneo, que os apregoa como objetos para serem consumidos, mercantilizados e monetarizados.

  3. Diálogos na pauta da solenidade de abertura do Congresso da Abrasco

    A solenidade de abertura do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde aconteceu no dia 14/11, no Teatro Odylo Costa Filho da UERJ. Na cerimônia, o presidente do Congresso, Kenneth Camargo ressaltou a importância da participação dos GTs pelo Brasil na definição dos temas em discussão no evento. Madel Luz proferiu conferência, encerrando a noite.

  4. Conflitos de interesses entre o público e o privado

    A mesa redonda 'Produção do conhecimento e interesses conflitantes na relação entre público e privado na Saúde Coletiva' teve a coordenação de Inês Rugani e contou com as presenças de José Antonio Sestelo, Luciene Burlandy e Ligia Bahia. Luciene Burlandy apresentou a perspectiva das “Confluências” para observar o macro das relações entre o Público e o Privado e pensar as práticas individuais. “A Saúde Coletiva sempre relacionou as questões da sociedade e as relações de valores entre o público e o privado. Isso é interessante perceber. São apenas dois caminhos para o que chamo de ‘mudanças confluentes’”, disse.

  5. Assista aos vídeos do Congresso de Ciências Sociais da Abrasco

    A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) possui um canal de vídeos do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, ocorrido de 14 a 17/11, no Rio de Janeiro, e do VI Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária/II Simpósio Pan-Americano de Vigilância Sanitária (Simbravisa), realizado de 27 a 30/10, em Porto Alegre.  No canal, estão disponíveis palestras proferidas durante os eventos, como a de Luis Eugênio Portela, presidente da Abrasco, que falou sobre desenvolvimento, ciência, tecnologia e inovação na área da saúde em geral e as perspectivas para a vigilância sanitária. Outros nomes como Paulo Buss, José Gomes Temporão, Jean Willys, Kenneth R. Camargo Jr., também estão neste ambiente.

  6. Congresso de ciências sociais e humanas ocorre no RJ

    Circulação e diálogo entre saberes e práticas no campo da saúde coletiva é o tema central do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (CBCSHS), promovido pela Abrasco de 15 a 17 de novembro, no Rio de Janeiro. A atividade reunirá cerca de 3 mil pessoas, e a ENSP/Fiocruz terá participação maciça no congresso com seus pesquisadores e alunos nas mais diversas atividades, tais como grandes debates, mesas-redondas, comunicações orais, entre outras. Um dos destaques será o lançamento da Comissão da Verdade da Reforma Sanitária Abrasco-Cebes, que ocorre no dia 16/11 e conta com apoio irrestrito da Escola Nacional de Saúde Pública.

  7. Movimento da Reforma Sanitária na plenária final da Abrasco

    Uma convocação à luta e a novos avanços da pauta política da reforma sanitária em nosso país. Essa foi a mensagem final do 2º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, promovido pela Abrasco, de 1º a 3 de outubro no Minascentro, em Belo Horizonte. Após uma manhã de mesas-redondas, apresentações orais e painéis de congressistas, os participantes se reuniram no auditório principal para iniciar uma revisão da Agenda Estratégica 2011 em busca da atualização de suas bandeiras.

  8. Sistemas universais e equitativos de saúde em debate

    Durante o 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, promovido pela Abrasco, o painel Construindo sistemas universais e equitativos de saúde trouxe relatos de experiências de três países. A pesquisadora da ENSP Eliana Labra, Asa Cristina Laurell, do México, e Alexandro Saco, do Peru, falaram, respectivamente,  fazendo uma análise comparativa sobre o que ocorre em cada país, e os elementos comuns e diferentes entre eles.

  9. Presidente da Abrasco fala dos caminhos do SUS

    Luis Eugenio Portela, presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), fala dos 25 anos do Sistema Único de Saúde, dos recursos destinados a ele e do combate à privatização da saúde. Apresenta, também, um balanço do 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde.

  10. Gestão e formação em saúde são abordadas em painel

    O painel Gestão e Formação em Saúde, realizado na tarde do segundo dia (2/10) de atividades do 2º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, trouxe diferentes experiências do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia. O painel foi composto de três trabalhos: As práticas de gestão na perspectiva do cuidado: desafios para os trabalhadores de nível médio da área da gestão; Telenfermagem: impactos da educação a distância; e Territorialização e ensino em saúde: experiências de construção do mapa de abrangência de uma unidade de Atenção Primária em Saúde. A coordenação da atividade esteve a cargo da socióloga, sanitarista e membro da Associação Brasileira Rede Unida, Maria Luiza Jaeger.