1. Método que aposta no diálogo com pacientes psiquiátricos reduz uso de medicamentos

    O diálogo, a escuta compreensiva e a valorização das experiências sócio-interacionais podem ser grandes aliadas do tratamento de pessoas que apresentam comportamentos psicóticos, favorecendo a redução do uso de medicamentos e a compreensão das causas do problema. Este é o fundamento do Diálogo Aberto, abordagem apresentada pelo psicólogo finlandês Jaakko Seikkula, no segundo dia do seminário internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Danos e Alternativas, realizado entre os dias 30 de outubro e 1 de novembro de 2017, na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). O pesquisador abordou o comportamento psicótico e os atuais desafios para o tratamento, dizendo que o comportamento psicótico é mais comum do que se pensa. "Não acredito na existência da psicose enquanto categoria clínica. Não há nada que defina que essas pessoas que apresentam comportamentos psicóticos sejam qualitativamente diferentes das pessoas que não apresentam", afirmou Jaakko. 

  2. Seminário debate justiça e saúde na perspectiva dos Direitos Humanos

    O Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP) realizará na quarta-feira, 14 de novembro, o seminário Justiça e saúde na perspectiva dos direitos humanos: como tem sido tratada a população privada de liberdade no Brasil. A atividade tem por objetivo mobilizar e sensibilizar a comunidade científica sobre a situação em que vive a população privada de liberdade no Brasil. Para isso contará com a participação de Márcia Badaró, Helena Lermen e Marcia Helena de Souza Conceição. Voltado para estudantes, pesquisadores e profissionais da área da saúde coletiva, o seminário está marcado para às 13h30, no salão internacional da ENSP. A coordenação da atividade, que é aberta aos interessados e não necessita de inscrição prévia, será de Pablo Dias Fortes e Ilana Ambrogi, ambos do Programa de Pós-graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), uma associação ampla entre a ENSP, UFRJ, UERJ e UFF.  

  3. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.

  4. 'Necessitamos de uma comunicação honesta sobre o real efeito das drogas psiquiátricas'

    O aumento do diagnóstico de distúrbios mentais e o incremento no uso de drogas psiquiátricas não levaram à redução das doenças mentais, mas sim a seu crescimento; e de forma dramática. Essa foi a conclusão do seminário internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Consequências e Alternativas, realizado, na ENSP/Fiocruz, durante três dias (30 e 31/10 e 1º/11), com a participação de diversos palestrantes nacionais e internacionais detentores de experiências e evidências científicas concretas de alternativas viáveis e seguras à "desmedicalização". A conferência de abertura foi proferida pelo jornalista norte-americano e autor do livro Anatomia de uma Epidemia, Robert Whitaker. O evento internacional teve coordenação do pesquisador Paulo Amarante, do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da ENSP/Fiocruz.

  5. Uso do mercúrio na odontologia pauta seminário internacional na ENSP

    O uso do mercúrio em amálgama dentário e seus potenciais riscos toxicológicos à saúde, no âmbito do trabalho e no ambiente, vêm recebendo destaque especial no Brasil e demais países signatários da Convenção de Minamata. Comprometidos a tomar medidas específicas para a redução, controle e eliminação do metal em processos industriais, artesanais e de serviço, os países têm suscitado discussões sobre o banimento ou uso seguro do mercúrio visando à redução do risco não apenas destinado a pacientes e profissionais, mas também ao meio ambiente. O tema estará na pauta do seminário internacional Os Aspectos Toxicológicos do Mercúrio sobre a Saúde Humana e o Ambiente, promovido, nos dias 9 e 10 de novembro, pelo Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente (PSPMA), da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), em parceria com a International Academy of Oral Medicine and Toxicology, capítulo Brasil. Acesse a programação do seminário na íntegra. Faça a inscrição aqui.

  6. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.

  7. Uso do mercúrio na odontologia pauta seminário internacional na ENSP

    O uso do mercúrio em amálgama dentário e seus potenciais riscos toxicológicos à saúde, no âmbito do trabalho e no ambiente, vêm recebendo destaque especial no Brasil e demais países signatários da Convenção de Minamata. Comprometidos a tomar medidas específicas para a redução, controle e eliminação do metal em processos industriais, artesanais e de serviço, os países têm suscitado discussões sobre o banimento ou uso seguro do mercúrio visando à redução do risco não apenas destinado a pacientes e profissionais, mas também ao meio ambiente. O tema estará na pauta do seminário internacional Os Aspectos Toxicológicos do Mercúrio sobre a Saúde Humana e o Ambiente, promovido, nos dias 9 e 10 de novembro, pelo Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente (PSPMA), da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), em parceria com a International Academy of Oral Medicine and Toxicology, capítulo Brasil. Acesse a programação do seminário na íntegra. Faça a inscrição aqui.

  8. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.

  9. Austeridade: perdas para as políticas sociais, perdas para a economia

    A austeridade fiscal, característica da agenda neoliberal, agrava a saúde da população em tempos de recessão por levar a cortes nas políticas sociais, que, ao mesmo tempo em que ajudam a reduzir os níveis de desigualdade, estimulam o crescimento da economia. Esse viés foi defendido pelas pesquisadoras Fabíola Sulpino, especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e Isabela Soares Santos, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) e diretora executiva do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), durante o seminário Políticas sociais e a austeridade da agenda neoliberal. O evento foi realizado em 16 de outubro, na ENSP, em uma parceria do Cebes com o Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE-Fiocruz).

  10. Austeridade: perdas para as políticas sociais, perdas para a economia

    A austeridade fiscal, característica da agenda neoliberal, agrava a saúde da população em tempos de recessão por levar a cortes nas políticas sociais, que, ao mesmo tempo em que ajudam a reduzir os níveis de desigualdade, estimulam o crescimento da economia. Esse viés foi defendido pelas pesquisadoras Fabíola Sulpino, especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e Isabela Soares Santos, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) e diretora executiva do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), durante o seminário Políticas sociais e a austeridade da agenda neoliberal. O evento foi realizado em 16 de outubro, na ENSP, em uma parceria do Cebes com o Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE-Fiocruz).