1. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  2. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  3. Aula aberta debate o banimento do amianto no Brasil nesta quinta-feira (23/11)

    O Mestrado Profissional em Vigilância em Saúde do Trabalhador promoverá nesta quinta-feira, 23 de novembro, a aula aberta Banimento do amianto: uma luta coletiva e contínua. A aula será proferida pela coordenadora da Rede Ban Asbestos para a América Latina, Fernanda Giannasi, e terá como mediador o pesquisador do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP), Luis Carlos Fadel. Segundo Giannasi, que é fundadora da Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto, a invisibilidade e o silêncio epidemiológico provocados pela exposição ao amianto são indiscutíveis, mas essa situação só mudará com o banimento total da fibra. A atividade, aberta a todos os interessados, acontecerá às 13h30, no salão internacional da ENSP, e não necessita de inscrição prévia. 

  4. ENSP promove debate sobre crise da saúde no Rio de Janeiro nesta quinta-feira (23/11)

    Dedicada há mais de seis décadas à formação profissional em saúde, pesquisa, desenvolvimento tecnológico, formulação de políticas públicas e prestação de serviços de referência em saúde, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz não poderia ficar imune à crise da saúde no Rio de Janeiro. Demissões, salários atrasados, falta de insumos, medicamentos, exames complementares e a ausência de contratos de manutenção e limpeza são alguns dos exemplos que expõem a situação vivida pelos cariocas. Diante disso, nesta quinta-feira, 23 de novembro, a ENSP/Fiocruz promoverá o debate A crise na Saúde no Município do Rio de Janeiro, às 9 horas, no salão internacional. O debate será coordenado pelo médico, vereador da Comissão de Saúde da Câmara Municipal e professor colaborador da ENSP, Paulo Pinheiro, e contará com a participação do Presidente do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde, Ronaldo Moreira Paes, do Presidente da Associação dos Médicos de Família e Comunidade, Moisés Vieira Nunes, da Subsecretária Geral Executiva da Secretaria Municipal em Saúde, Ana Beatriz Busch Araújo, e do Representante do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Ricardo Levorato. A atividade, organizada com o apoio da Direção e da Vice-Direção de Escola de Governo em Saúde da ENSP, é aberta a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  5. Seminário Internacional encerra atividades debatendo experiências viáveis de desmedicalização

    Experiências viáveis e seguras de desmedicalização psiquiátricas foi o tema em debate no último dia de atividades do seminário Internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Consequências e Alternativas, realizado, na ENSP/Fiocruz, durante três dias (30 e 31/10 e 1º/11), e que contou com a participação de diversos palestrantes nacionais e internacionais detentores de experiências e evidências científicas concretas de alternativas viáveis e seguras à desmedicalização. Coordenada por Francisco Netto, coordenador executivo do Programa Álcool, Crack e outras Drogas (PACD) da Fiocruz, a mesa contou com a participação de três grandes nomes: Robert Whitaker, Laura Delano e Jaakko Seikkula. O evento internacional teve coordenação do pesquisador Paulo Amarante, do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da ENSP/Fiocruz.

  6. Debate sobre violações de direitos provocadas pelas construções de barragens está disponível em vídeo

    O Departamento Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da ENSP promoveu a sessão do Centro de Estudos Giuliano Suassuna As violações de direitos humanos e resistência das mulheres atingidas por barragens. A atividade, realizada em parceria com o Movimento dos Atingidos por Barragens, foi coordenada por Maria Helena Barros de Oliveira, coordenadora do Dihs/ENSP, e Allanis Dimitria Pedrosa, membro do departamento. Para a discussão o Centro de Estudos recebeu as palestrantes Louise Löbler, Jessica Portugal e Lucielle Viana, representantes do MAB, que debateram todas as formas de discriminação e violações dos direitos dos atingidos. De norte a sul do Brasil, mais de duas mil barragens já foram construídas e aproximadamente um milhão de pessoas foram expulsas de suas casas pela desapropriação de terras e impactos ambientais provocados pela construção. Desse total de pessoas atingidas, pelo menos 70% sequer recebeu algum tipo de indenização das empresas ou do Estado. Confira, no Canal da ENSP no Youtube, as apresentações na íntegra.

  7. Método que aposta no diálogo com pacientes psiquiátricos reduz uso de medicamentos

    O diálogo, a escuta compreensiva e a valorização das experiências sócio-interacionais podem ser grandes aliadas do tratamento de pessoas que apresentam comportamentos psicóticos, favorecendo a redução do uso de medicamentos e a compreensão das causas do problema. Este é o fundamento do Diálogo Aberto, abordagem apresentada pelo psicólogo finlandês Jaakko Seikkula, no segundo dia do seminário internacional A Epidemia das Drogas Psiquiátricas: Causas, Danos e Alternativas, realizado entre os dias 30 de outubro e 1 de novembro de 2017, na Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). O pesquisador abordou o comportamento psicótico e os atuais desafios para o tratamento, dizendo que o comportamento psicótico é mais comum do que se pensa. "Não acredito na existência da psicose enquanto categoria clínica. Não há nada que defina que essas pessoas que apresentam comportamentos psicóticos sejam qualitativamente diferentes das pessoas que não apresentam", afirmou Jaakko. 

  8. Seminário debate justiça e saúde na perspectiva dos Direitos Humanos

    O Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP) realizará na quarta-feira, 14 de novembro, o seminário Justiça e saúde na perspectiva dos direitos humanos: como tem sido tratada a população privada de liberdade no Brasil. A atividade tem por objetivo mobilizar e sensibilizar a comunidade científica sobre a situação em que vive a população privada de liberdade no Brasil. Para isso contará com a participação de Márcia Badaró, Helena Lermen e Marcia Helena de Souza Conceição. Voltado para estudantes, pesquisadores e profissionais da área da saúde coletiva, o seminário está marcado para às 13h30, no salão internacional da ENSP. A coordenação da atividade, que é aberta aos interessados e não necessita de inscrição prévia, será de Pablo Dias Fortes e Ilana Ambrogi, ambos do Programa de Pós-graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), uma associação ampla entre a ENSP, UFRJ, UERJ e UFF.  

  9. Uso do mercúrio na odontologia pauta seminário internacional na ENSP

    O uso do mercúrio em amálgama dentário e seus potenciais riscos toxicológicos à saúde, no âmbito do trabalho e no ambiente, vêm recebendo destaque especial no Brasil e demais países signatários da Convenção de Minamata. Comprometidos a tomar medidas específicas para a redução, controle e eliminação do metal em processos industriais, artesanais e de serviço, os países têm suscitado discussões sobre o banimento ou uso seguro do mercúrio visando à redução do risco não apenas destinado a pacientes e profissionais, mas também ao meio ambiente. O tema estará na pauta do seminário internacional Os Aspectos Toxicológicos do Mercúrio sobre a Saúde Humana e o Ambiente, promovido, nos dias 9 e 10 de novembro, pelo Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente (PSPMA), da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), em parceria com a International Academy of Oral Medicine and Toxicology, capítulo Brasil. Acesse a programação do seminário na íntegra. Faça a inscrição aqui.

  10. Benzeno: evento na ENSP discute avaliação de trabalhadores expostos

    O benzeno, substância cancerígena existente nos combustíveis, está presente em diversos ambientes e processos de trabalho. Desde os anos 2000 vem ganhando força a discussão sobre a exposição ao benzeno dos trabalhadores de postos de combustíveis, decorrente da presença dessa substância na gasolina. O Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh/ENSP/Fiocruz) há algumas décadas, vem implementando esforços com várias instâncias de governo no sentido de aprimorar as ações na luta contra o benzeno. Em alusão ao Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno - lembrado em 5 de outubro - o Cesteh/ENSP promoverá mais uma atividade da série Encontros do Cesteh, que debaterá a pesquisa Avaliação ambiental e indicadores de genotoxicidade em trabalhadores expostos a benzeno em postos de combustíveis. O encontro é aberto a todos os interessados e está marcado para quarta-feira, 8 de novembro, na sala 32 do Cesteh, a partir das 12 horas.