1. Inova ENSP: seminário apresenta pesquisa para melhoria do cuidado nos hospitais do SUS

    Investigar os possíveis impactos ou condicionamentos que os novos modelos de gestão possam ter para a qualidade do cuidado hospitalar, ampliando as informações sobre os hospitais do Rio de Janeiro e fornecendo ao gestor estadual uma linha de base para a avaliação do modelo de gestão e das qualidade da atenção nos hospitais do SUS do Estado do Rio de Janeiro foi o objetivo da pesquisa Novos modelos e arranjos de gestão em saúde: limites e possibilidades para a melhoria do cuidado nos hospitais do SUS, coordenado pela pesquisadora da ENSP Marilene Castilho e financiado com recursos da segunda edição do Programa Inova ENSP. Os resultados do estudo e seus produtos desenvolvidos serão apresentados na terça-feira, 10 de maio, na sala 410 da ENSP, a partir das 9 horas. O encontro é aberto a todos os interessados.

  2. Poluição sonora também é questão de educação

    "A poluição sonora só é um aspecto ambiental de menor relevância até atingir você", disse o representante do Instituto Estadual do Ambiente José Fernando Lisbôa durante o encontro em comemoração ao Dia Internacional da Conscientização sobre o Ruído. O evento, que congregou pesquisadores da ENSP, representantes do Ministério Público, Inea, Polícia Militar e Inmetro, teve como tema central Ruído: a solução está na educação! Na ocasião, a major Samya, representante da PM, jogou por terra a afirmação de que até as 22h é permitido fazer barulho: "Isso é mito! Após esse horário, o nível de ruído aceitável diminui, o que não significa que, durante o dia, os cidadãos possam fazer o barulho que quiserem perturbando o sossego ou o trabalho alheio", advertiu ela.

  3. Política Nacional de Residência e formatura encerram XI Ciclo de Debates

    Ao longo de uma semana temas como ameaça à democracia, política de saneamento, expansão da Estratégia de Saúde da Família, e a Política de Saúde Mental foram discutidas no XI Ciclo de Detabes - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. Encerrando a atividade, na sexta-feira, 6 de maio, será realizada a mesa Política Nacional de Residência: como garantir a formação de propostas substitutivas de mão de obra, tendo como conferencista convidada a pesquisadora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP) Laura Feuerwerker. O encontro contará com Alice Mariz, da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS/RJ), como debatedora e será coordenado pela pesquisadora da ENSP Maria Alice Pessanha. Marcada para 9 horas, a última mesa acontecerá no auditório térreo da Escola. Encerrando a semana, será realizada também a tradicional formatura da turma 2014-2016 da Residência Multiprofissional em Saúde da Família. A solenidade está marcada para às 14 horas.

  4. Política de Saúde Mental norteia quarto dia de discussões do XI Ciclo de Debates ENSP

    As discussões do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estartégia de Saúde da Família seguem na quinta-feira, 5 de maio, com a mesa A política de saúde mental em xeque ou em choque? A nomeação do psiquiatra Valencius Wurch Duarte Filho para o cargo de coordenador de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas do Ministério da Saúde e o repúdio de diversos especialistas do campo norteará o debate. O quarto dia de atividades contará com a conferência do pesquisador do Instituto de Psiquiatria da UFRJ Pedro Gabriel Delgado e do superintendente de Saúde Mental da Secretária Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Hugo Faguntes, como debatedor. O encontro, marcado para às 9 horas, no auditório térreo da ENSP, será coorddenado pela pesquisadora da ENSP Fátima Rocha. 

  5. Tráfico de drogas, abandono familiar e preconceito abarcam o encarceramento feminino

    "Da mesma maneira como a sociedade julga com indignação as penas aplicadas no passado, como a decapitação, enforcamento e apedrejamento, futuramente, daqui a 200 ou 300 anos, o modelo prisional atual, que 'enjaula' os indivíduos, provocará a mesma perplexidade". A afirmativa é do professor de Direito Penal da PUC/MG e membro do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, Leonardo Yarochewsky, ao criticar, com rigor, as penas aplicadas pelos juízes criminais. Durante o evento O Encarceramento Feminino e os Direitos Humanos, promovido pelo Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da ENSP (Dihs), Yarochewsky indignou-se com a situação da mulher encarcerada: "De 2005 a 2012, a população carcerária masculina cresceu 70%, enquanto a feminina dobrou - chegando a 146%. E as mulheres não se tornaram mais violentas ou passaram a cometer mais crimes. A lei ridícula e moralista de drogas, que coloca negros, pobres e miseráveis na prisão, justifica esse aumento."

  6. Contradições entre a expansão da ESF e o modelo assistencial pautam terceiro dia do Ciclo de Debates

    O terceiro dia de atividades do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família debaterá as Contradições entre a expansão da Estratégia de Saúde da Família e o modelo assistencial. Para falar sobre o assunto, o evento terá como conferenciasta o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, e como debatedor o pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense Aluísio Gomes. O debate, marcado para às 9 horas, no auditório térreo da ENSP, será coordenado pela pesquisadora da ENSP Roberta Gondim. 

  7. Por novas linhas de vida: seminário do Dihs é encerrado com debate sobre a potência da diferença

    Tornar visível às mulheres jovens a violência do sexismo, abrir as portas do sistema de saúde e as mentalidades para o convívio com outros corpos, produzir novas possibilidades de vida e afeto a partir do que me é diferente. O último dia do seminário Diálogos Dissidentes: Pelo Direito de Ser, realizado nos dias 18 e 19 de abril na ENSP, produziu amplo e potente debate que não só denunciou as violências institucionais e cotidianas a que estão sujeitos aqueles que não se enquadram em padrões estabelecidos autoritariamente, mas versou sobre a potência de se abrir para o novo, para o risco do encontro e para a alegria da liberdade. Organizado pela especialização em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos da ENSP, o segundo e último dia do seminário contou com uma roda de conversa e uma mesa temática.

  8. Tragédia da mineração: seminário fará balanço após seis meses

    No dia em que a tragédia ocorrida no município de Mariana, em Minas Gerais, causada pelo rompimento da barragem da Mineradora Samarco, completa seis meses, pesquisadores, profissionais de órgãos governamentais (defesa civil, saúde e meio ambiente), movimentos sociais e representantes dos moradores das regiões afetadas se reunirão para discutir os impactos sofridos e as ações realizadas durante o semestre. O encontro tem como um de seus organizadores o pesquisador da ENSP e coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde (ENSP/Fiocruz), Carlos Machado de Freitas. Léo Heller, coordenador do grupo de pesquisa de Direitos Humanos e Políticas Públicas em Saúde e Saneamento do Centro de Pesquisa René Rachou (CPqRR/Fiocruz Minas), responsável por conduzir as ações relacionadas à tragédia em toda a Fundação também participará das discussões. O seminário será realizado nos dias 5 e 6 de maio em Mariana.

  9. Segundo dia do Ciclo de Debates abordará a Política de Saneamento no Brasil

    Dando continuidade às discussões do XI Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, na terça-feira, 3 de maio, será debatida a Política de saneamento no Brasil: um desafio para a saúde. O descaso sucessivo dos governos com o saneamento básico e as consequências desse fato na proliferação do Aedes aegypti e no aumento das epidemias de dengue, zika e chikungunya pautarão o debate. O encontro contará com a conferência do pesquisador da Universidade Federal da Bahia Luíz Roberto Santos Moraes e terá como debatedor Pedro Pequeno, da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro. A mesa será coordenada pelo pesquisador Jorge Valadares, da ENSP/Fiocruz. O debate acontece no auditório térreo da ENSP, a partir das 9 horas. 

  10. Pelo direito de ser o que se é: seminário discute gênero e violência

    De ressaca, estarrecidos, assustados. Esses foram os estados de espírito descritos por muitos dos participantes do seminário Diálogos Dissidentes: Pelo Direito de Ser, que aconteceu nos dias 18 e 19 de abril na ENSP. O motivo? O evento estava sendo realizado um dia depois da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rouseff na Câmara dos Deputados. Organizado pela Pós-Graduação em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos do Departamento de Direitos Humanos. Saúde e Diversidade Cultural (Dihs/ENSP), a proposta era debater questões relativas aos gêneros e às lutas das minorias. O que havia se passado no congresso nacional, na véspera, acabou invadindo quase todas as falas. No entendimento de palestrantes e demais presentes, os discursos dos deputados, em sua maioria, acabaram por comprovar a preponderância do pensamento conservador na política brasileira e do avanço desse conservadorismo sobre direitos conquistados ou por conquistar. Uma política feita por homens brancos, ricos e cristãos, numa sociedade muito mais plural e diversa do que supõe o entendimento de suas excelências.