1. ENSP debate os desafios da saúde reprodutiva no dia 28/11

    Como parte das atividades acadêmicas da disciplina de pós-graduação Tópicos Especiais em Gênero, Violência e Saúde do programa de Saúde Pública da ENSP, a Escola, em parceira com o Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ, realizará a mesa-redonda Questões e desafios da saúde reprodutiva no Brasil: nascimento e parto, mortalidade materna e aborto no dia 28 de novembro, de 9 às 13 horas. O encontro, que será mediado por Sônia Maria Dantas Berger (ISC/UFF), terá como convidadas a pesquisadora da ENSP Mariza Theme, Tizuko Shiraiwa (SESH-RJ), Maysa Luduvice (FE/UERJ) e Leila Adesse (AADS). Para participar não é necessária inscrição prévia.

  2. Encontro abordará atuação do Ministério Público na Saúde

    O aumento da demanda judicial para fornecimento de bens e procedimentos relacionados à saúde torna fundamental a busca de ferramentas teóricas e operacionais que contribuam para a superação de dificuldades no setor Saúde e na Justiça, com vistas à efetivação do direito à saúde. Para debater a questão, a ENSP promove, no dia 27 de novembro, a mesa redonda Direito à Saúde e o Sistema Único de Saúde - olhares diferentes. A atividade, aberta a todos os interessados, está marcada para 13h30, no salão internacional e reunirá diversos especialistas.

  3. ENSP debate os desafios da saúde reprodutiva no dia 28/11

    Como parte das atividades acadêmicas da disciplina de pós-graduação Tópicos Especiais em Gênero, Violência e Saúde do programa de Saúde Pública da ENSP, a Escola, em parceira com o Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da UFRJ, realizará a mesa-redonda Questões e desafios da saúde reprodutiva no Brasil: nascimento e parto, mortalidade materna e aborto no dia 28 de novembro, de 9 às 13 horas. O encontro, que será mediado por Sônia Maria Dantas Berger (ISC/UFF), terá como convidadas a pesquisadora da ENSP Mariza Theme, Tizuko Shiraiwa (SESH-RJ), Maysa Luduvice (FE/UERJ) e Leila Adesse (AADS). Para participar não é necessária inscrição prévia.

  4. Seminário analisa os impactos da governança regional na efetividade do SUS

    A governança regional na saúde, conforme explicou a pesquisadora da ENSP Luciana Dias, expressa as relações de dependência, interação e acordos estabelecidos entre múltiplos agentes (governamentais e não governamentais; públicos e privados), cujos interesses, embora muitas vezes divergentes, podem ser organizados e direcionados segundo objetivos comuns, de modo a assegurar a universalização do direito à saúde. No entanto, para ela, os fatores que condicionam a governança não se expressam de modo homogêneo no território nacional, sendo a diversidade regional um fator significativo na condução da política de saúde.

  5. Sessão discutirá Direitos Humanos e Violência nas relações afetivas

    No dia 26 de novembro, o Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP) realizará a sessão científica Direitos Humanos e violência nas relações afetivas. O objetivo do encontro é discutir as formas de violência em um espaço de afeto entre casais heterossexuais e homossexuais. A atividade acontecerá às 14 horas na sala 410 (4º andar da ENSP). Para participar não é necessária inscrição prévia. O encontro contará com a presença da pesquisadora do Centro Latino-Americano de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) Kathie Njaine, além das palestrantes Denise Braz, do Centro de Cidadania LGBT e Clara Rafaela Bragança, do Núcleo Especial de Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem). 

  6. Seminário discute regionalização em saúde no país

    Apesar do tema não ser novo, a questão da regionalização ainda não conseguiu ser amplamente implementada no Sistema Único de Saúde do país. No entanto, já é um consenso entre especialistas que sem a ordenação de redes assistenciais será impossível garantir a integralidade do cuidado no SUS. Este assunto foi debatido na ENSP, durante o seminário Regionalização e redes de atenção à saúde como desafios para efetivação do SUS. O encontro foi organizado pelo Laboratório de Avaliação de Situações Endêmicas Regionais, do Departamento de Endemias Samuel Pessoas (Laser/Densp/ENSP).

  7. Encontro abordará atuação do Ministério Público na Saúde

    O aumento da demanda judicial para fornecimento de bens e procedimentos relacionados à saúde torna fundamental a busca de ferramentas teóricas e operacionais que contribuam para a superação de dificuldades no setor Saúde e na Justiça, com vistas à efetivação do direito à saúde. Para debater a questão, a ENSP promove, no dia 27 de novembro, a mesa redonda Direito à Saúde e o Sistema Único de Saúde - olhares diferentes. A atividade, aberta a todos os interessados, está marcada para 13h30, no salão internacional e reunirá diversos especialistas.

  8. Sessão discutirá Direitos Humanos e Violência nas relações afetivas

    No dia 26 de novembro, o Grupo de Direitos Humanos e Saúde Helena Besserman (Dihs/ENSP) realizará a sessão científica Direitos Humanos e violência nas relações afetivas. O objetivo do encontro é discutir as formas de violência em um espaço de afeto entre casais heterossexuais e homossexuais. A atividade acontecerá às 14 horas na sala 410 (4º andar da ENSP). Para participar não é necessária inscrição prévia. O encontro contará com a presença da pesquisadora do Centro Latino-Americano de Violência e Saúde Jorge Careli (Claves/ENSP) Kathie Njaine, além das palestrantes Denise Braz, do Centro de Cidadania LGBT e Clara Rafaela Bragança, do Núcleo Especial de Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem). 

  9. Representantes dos movimentos sociais participam de debate na ENSP

    O curso de mestrado profissional em Trabalho, Saúde, Ambiente e Movimentos Sociais, inaugurado este ano na ENSP, promove, nesta terça-feira (18/11), o debate Saúde Coletiva, SUS, Agroecologia e Saúde do Campo: concepções de saúde. Estarão presentes representantes da Via Campesina e do MST. Os debatedores serão os pesquisadores da ENSP Ary Carvalho de Miranda e Marcelo Firpo Porto e a historiadora da UFF Virginia Fontes. O evento, aberto a todos os interessados, será na sala 32 do Cesteh, a partir das 14 horas.

  10. Roda de conversa discute conjuntura política no país

    Na próxima semana, os servidores da Fiocruz vão às urnas para a eleição sindical. A escolha da Diretoria Executiva Nacional, Representações Regionais e Conselho Fiscal da Asfoc-SN no triênio 2015-2017 acontecerá na segunda e terça-feira, dias 17 e 18 de novembro. A eleição acontece menos de um mês após o Brasil viver a disputa presidencial mais apertada desde a redemocratização, nos anos 80. O pleito, que dividiu o país e terminou com uma vitória apertada de Dilma Rouseff, é um pano de fundo mais do que relevante para as discussões dentro da Fiocruz. Com o intuito de debater a atual conjuntura política do Brasil e sua relação com o cotidiano da fundação, o Fórum de Articulação com os Movimentos Sociais da ENSP convocou os representantes das duas chapas que disputam a eleição da Asfoc.