1. Saúde da Família é o melhor modelo da Atenção Básica

    Finalizando as discussões do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, o último dia de atividades (8/5) girou em torno dos avanços e desafios da Política de Atenção Básica. Considerada a principal porta de entrada do SUS, a Atenção Básica (AB) se caracteriza por um conjunto de ações de saúde, individuais e coletivas, que abrangem promoção e proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos e manutenção da saúde, com o objetivo de desenvolver uma atenção integral que impacte na situação de saúde e autonomia das pessoas e nos determinantes e condicionantes de saúde. Para discutir o tema estiveram presentes o representante do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde (DAB/MS) Eduardo Alves e o subsecretário geral de saúde do município do Rio de Janeiro, José Carlos Pedro Junior. A mesa foi coordenada pela pesquisadora da ENSP e coordenadora do curso, Márcia Fausto. Na ocasião ocorreu também a formatura dos alunos da turma 2013-2015 da Residência Multiprofissional em Saúde da Família.

  2. Pular os muros, derrubar clichês

    Duas pistas de uma avenida movimentada, de um lado, uma linha férrea e poucos quilômetros de ruas recobertas por casas simples, de outro. São esses os limites que separam a Fiocruz dos complexos de favelas da Maré e do Alemão, respectivamente. Isso, se falarmos exclusivamente de limites físicos. Quando se pensa em barreiras de outra natureza, como as socioculturais, a lista de obstáculos é muito maior e subjetiva. Ultrapassar essas fronteiras imaginárias, mas que determinam fortemente a vida de milhões de pessoas, tem sido o desejo de muitos pesquisadores, agentes culturais, ativistas, artistas. Uma tarefa urgente e complexa, que vem sendo cumprida com louvor pelo geógrafo e educador Jaílson de Souza e pelo músico Rafael Calazans. Os dois participaram, como palestrantes, do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, promovido pela Residência Multiprofissional em Saúde da Família da ENSP.

  3. Residências como formadoras de profissionais para o SUS

    Política de formação para o SUS: o papel das residências, foi o tema proposto para o segundo dia (5/5) de atividades do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. Para discutir o tema estiveram presentes a representante da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Rosani Pagani e o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Ricardo Ceccim, ambos membros da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde (CNRMS). Para debater o tema, a mesa contou também com a participação da vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz, Nísia Trindade, que citou a importância de contribuir para o desenvolvimento de ações que tenham a Atenção Básica como a perspectiva de olhar para o SUS. A atividade foi coordenada pela pesquisadora da ENSP e responsável pela Residência Multiprofissional em Saúde da Família, Maria Alice Pessanha.

  4. A conjuntura atual do SUS: para onde vamos?

    De 4 a 8 de maio, a Escola Nacional de Saúde Pública, por meio do curso de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, promoveu a décima edição do Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. Ao longo de uma semana o evento contou com diversos palestrantes que discutiram a abertura do capital estrangeiro para a saúde, o papel das residências na formação para o SUS, o lugar da educação nas periferias e favelas, o papel dos movimentos sociais na formação para cidadania; além dos avanços e desafios da Política de Atenção Básica. No primeiro dia de atividades, o diretor da ENSP, Hermano Castro, e a vice-diretora de Pós-graduação, Tatiana Wargas, participaram da cerimônia de abertura e destacaram a importância do papel formador da Residência. Segundo eles, são muitos os desafios do SUS e novas discussões no campo são necessárias para que os desafios sejam efetivamente enfrentados. Na ocasião, o diretor ressaltou ainda que o debate político é fundamental para discutir os rumos da saúde no Brasil.

  5. Avanços e desafios da política da Atenção Básica e formatura encerram X Ciclo de Debates

    Os avanços e desafios da política da Atenção Básica serão discutidos no último dia de atividades (8/5) do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família. A palestra será proferida pelo representante do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde Eduardo Alves e contará com a presença do secretário municipal de saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, como debatedor. A coordenação ficará a cargo da pesquisadora da ENSP Márcia Fausto. Além da palestra Política da Atenção Básica: avanços e desafios, marcada para às 9 horas, a formatura do curso de Residência Profissional em Saúde da Família (turma 2013/2015), a partir das 14 horas, encerrará a semana de atividades. A palestra é aberta a todos os interessados.

  6. O papel dos movimentos sociais será o tema do Ciclo de Debates nesta quinta (7/5)

    O quarto dia de atividades (7/5) do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Familia vai debater a Formação para a cidadania: qual o papel dos movimentos sociais? Para discutir o tema estarão presentes Ivete Miloski, do Museu do Ingá, como expositora, e Raphael Calazans, da ONG Instituto Raízes e Cultura, como debatedor. A mesa será coordenada pelo pesquisador da ENSP/Fiocruz José Wellington. O encontro acontecerá no Auditório Maria Deane (Pavilhão 26 do IOC/Fiocruz), das 9h às 12 horas, e é aberto a todos os interessados.

     

  7. Oficina apresenta resultados de pesquisas realizadas em Manguinhos

    Após dois anos de atividades, serão apresentados, na ENSP, os resultados obtidos pelos 16 projetos de pesquisa voltados exclusivamente no território de Manguinhos e que tiveram aplicação direta na atenção básica local. O edital Projeto Teias foi coordenado pela Vice-Direção de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da ENSP. A oficina ocorrerá nos dias 7 e 8 de maio, durante todo o dia, no salão internacional da Escola. O evento contará com a participação de representantes da ENSP, da SMS-RJ, do Ministério da Saúde e da comunidade. Segundo a vice-diretora Sheila Mendonça, o processo de seleção do edital foi bem intimista e os trabalhos apresentados foram muito bem-sucedidos, sempre associando a pesquisa científica a um produto aplicável à região.

  8. Ciclo de debates aborda questão da educação na favela e na periferia em 6/5

    Favela e periferia: o lugar da educação, do desejo e da cultura é o tema em pauta no terceiro dia (6/5) do XCiclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família, atividade de abertura do curso de Residência Multiprofissional em Saúde da Família da ENSP. O evento terá como expositor convidado Jailson de Souza (UFF). O debatedor da sessão será Binho Cultura (escritor e produtor cultural) e a mesa terá coordenação da pesquisadora da ENSP/Fiocruz Marize Bastos. O encontro ocorrerá de 9h às 12 horas, no Auditório Maria Deane (Pavilhão 26 do IOC/Fiocruz), e é aberto a todos os interessados.

  9. Ciclo de debates sobre ESF aborda importância da formação para o SUS

    O segundo dia do X Ciclo de Debates - Conversando sobre a Estratégia de Saúde da Família traz como tema a Política de formação para o SUS: o papel das residências, com exposições de Heider Aurélio (Ministério da Saúde) e Ricardo Ceccim (UFRGS). A vice-presidente de Ensino, Informação e Comunicação da Fiocruz, Nísia Trindade, será a debatedora da mesa e a pesquisadora da ENSP Maria Alice Pessanha coordenará a sessão. A atividade ocorrerá na terça-feira, 5 de maio, de 9h às 12 horas, no Auditório Maria Deane (Pavilhão 26 do IOC/Fiocruz), e é aberta a todos os interessados.