1. Mais de 1,4 bilhão de adultos correm risco de desenvolver doenças por inatividade física em todo o mundo

    Mais de 1,4 bilhão da população adulta mundial não praticou atividade física suficiente em 2016. Isso coloca essas pessoas em maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, demência e alguns tipos de câncer, de acordo com a primeira pesquisa feita para estimar as tendências globais de atividade física ao longo do tempo. O estudo foi realizado por pesquisadores da OMS e publicado no The Lancet Global Health.

  2. Desigualdades sociais: Cine Saúde tratará da temática em nova exibição nesta quinta-feira

    A quinta edição do Cine Saúde trará o filme Que horas ela volta?, uma história que trata dos conflitos entre uma empregada doméstica e seus patrões de classe alta, criticando as desigualdades da sociedade brasileira. A sessão está marcada para o dia 30/8, às 14h, na sala Mário Sayeg (gaiola), ao lado do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP.  

  3. Ministério da Saúde lança serviço de combate à Fake News

    Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério da Saúde, de forma inovadora, abre mais um canal de comunicação com a população. Qualquer cidadão brasileiro poderá adicionar gratuitamente no celular o WhatsApp do Ministério da Saúde - (61) 99289-4640. Ele servirá exclusivamente para verificar com os profissionais de saúde nas áreas técnicas da Pasta se um texto ou imagem que circula nas redes sociais é verdadeiro ou falso. Ou seja, é um canal exclusivo e oficial para desmascarar as notícias falsas e certificar as verdadeiras.

  4. Sala de Convidados fala sobre Cannabis Medicinal

    Diversos usos medicinais de substâncias da Cannabis sativa, a planta da maconha, já são comprovados e ajudam a aliviar o sofrimento e proporcionar mais qualidade de vida a pacientes com doenças como dor crônica, câncer, glaucoma e epilepsia. A porta para a utilização legal de medicamentos produzidos a partir da Cannabis no Brasil foi aberta em 2015, a partir de ações judiciais que obrigaram o Ministério da Saúde a importar medicamentos à base de canabidiol.