1. Iniciativas de comunicação e movimentos sociais informam população das favelas e periferia sobre Covid-19

    Movimentos sociais publicam materiais informativos e se organizam para orientar e ajudar população mais vulnerável. Avanço do vírus nas favelas cariocas já preocupa especialistas. Campanhas e materiais didáticos voltados a esse público coemçam a ser desenvolvidos, e participação da comunidade é importante para abordagem comunicacional mais eficaz, dizem especialistas. 

  2. Sala de Convidados debate Coronavírus na Favela

    Falta de saneamento, custo dos produtos de higiene e impossibilidade de trabalhar de casa – seja pela falta de liberação dos empregadores ou pela informalidade do trabalho – são fatores que não permitem moradores de favelas acatarem orientações das autoridades quanto à higiene pessoal e ao isolamento social. Trata-se de um grupo com pouco ou nenhum acesso aos métodos de prevenção para se proteger da contaminação pelo SARS-CoV-2, como passou a ser chamado o novo coronavírus. O tema será debatido no Sala de Convidados, nesta quinta-feira (26), das 11h às 12h, no Canal Saúde.

  3. Conep: protocolos de pesquisa sobre o novo coronavírus serão analisados em caráter de urgência

    A Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep/Ministério da Saúde) informa que os protocolos de pesquisa sobre o novo coronavírus serão analisados em caráter de urgência e com tramitação especial na Conep. "Em conformidade com o disposto no IX.10 da Resolução do Conselho Nacional de Saúde n. 466, de 12 de dezembro de 2012, a excepcionalidade foi decidida em plenária ocorrida em 31 de janeiro de 2020 e perdurará enquanto a Organização Mundial da Saúde mantiver o 2019-nCoV como questão de emergência global."

  4. ENSP divulga novas estratégias de enfrentamento ao coronavírus

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca acaba de divulgar novo documento com suas estratégias enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19). O material destaca a importância da segurança para todos os trabalhadores, estudantes e a população assistida pela Escola, além de ações para assegurar o funcionamento dos serviços essenciais. O documento Estratégia da ENSP/Fiocruz de Enfrentamento da Pandemia da Doença Causada pelo SARS-CoV-2 (Covid-19) - Orientações para a Gestão do Trabalho na ENSP/Fiocruz, foi publicado na quinta-feira, 18 de março. O documento será permanentemente atualizado, conforme o decorrer da pandemia.

  5. ENSP divulga novas estratégias de enfrentamento ao coronavírus

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca acaba de divulgar novo documento com suas estratégias enfrentamento do novo coronavírus (Covid-19). O material destaca a importância da segurança para todos os trabalhadores, estudantes e a população assistida pela Escola, além de ações para assegurar o funcionamento dos serviços essenciais. O documento Estratégia da ENSP/Fiocruz de Enfrentamento da Pandemia da Doença Causada pelo SARS-CoV-2 (Covid-19) - Orientações para a Gestão do Trabalho na ENSP/Fiocruz, foi publicado na quinta-feira, 18 de março. O documento será permanentemente atualizado, conforme o decorrer da pandemia.

  6. Alerj propõe comitê para acompanhar enfrentamento do novo coronavírus

    Durante audiência pública realizada na Alerj, na sexta-feira (6/3), a pesquisadora Margareth Dalcolmo, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz, enalteceu o plano de contingência e as ações do Ministério da Saúde para enfrentamento do Covid-19. Ela reconheceu importância da antecipação da campanha de vacinação contra gripe para auxiliar os profissionais de saúde a descartarem as influenzas na triagem e acelerarem o diagnóstico para o coronavírus, sobretudo quando houver uma transmissão sustentada no país. Durante o encontro, promovido pela Comissão de Saúde da Alerj e a Comissão externa de acompanhamento das ações preventivas e consequências sobre o coronavírus da Câmera Federal, a deputada Martha Rocha, presidente da sessão, propôs a criação de um Comitê de Monitoramento para acompanhar as medidas de enfrentamento. 

  7. Pessoas trans: novas regras para o cuidado

    O Conselho Federal de Medicina atualizou parâmetros para o atendimento de pessoas trans no país. A principal medida da Resolução CFM nº 2.265/2019 é a redução de 21 anos para 18 anos da idade mínima para que possam ter acesso a cirurgias de afirmação de gênero. O texto também prevê a ampliação do acesso ao atendimento na rede pública e estabelece critérios para maior segurança na realização de procedimentos.