1. Aluna da ENSP participa de sessão do STF sobre medicamentos para doenças raras

    A aluna de pós-doutorado pela ENSP do Programa de Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva, Marise Basso Amaral falou, no dia 22/5, em sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que analisarou se o Estado deve oferecer medicamento de alto custo não disponível no Sistema Único de Saúde. Segundo o coordenador-geral do PPGBIOS e pesquisador da ENSP, Sergio Rego, “uma decisão judicial não pode apenas ignorar as vidas reais que estão em jogo nem que o lucro da indústria farmacêutica não pode ser admitido como um valor absoluto.

  2. Fórum de Estudantes da ENSP: carta em apoio à educação pública

    O Fórum de Estudantes da ENSP divulga carta em apoio à educação pública e convoca os alunos a uma postura ativa frente ao retrocesso que representa o desmonte das universidades públicas. Para tanto, convoca os estudantes de todos os programas para unir forças em prol do Ato em Defesa da Educação Pública, marcado para as 15 horas, na Cinelândia, no Rio de Janeiro. Leia a carta na íntegra.

  3. Novo boletim aponta 99 óbitos por gripe no país

    Novo boletim de monitoramento da influenza divulgado na quinta-feira (9/5) aponta que 535 pessoas foram hospitalizadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 99 óbitos. Do total de mortes por influenza, 88 (90%) foram em pessoas que apresentam fatores de risco como idosos, pessoas com doença cônica, crianças, gestantes, indígenas e puérperas.

  4. Pela proibição do uso do amianto no Brasil e no mundo

    ENSP/Fiocruz reforça a posição da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia do Estado do Rio de Janeiro pela proibição do uso do amianto no Brasil e no mundo. O amianto mata! As fibras quando inaladas, tanto pelos trabalhadores, em qualquer ponto da cadeia produtiva, como pela população ambientalmente exposta, podem causar doenças como fibrose pulmonar, câncer de pulmão e mesotelioma. 

  5. Programa oferece passagens e auxílio de estadia para estudos no Museu do Amanhã

    Ciência, sustentabilidade, futuro, astronomia, inovação, alimentação, ecologia, educação… São muitos os temas abordados e aprofundados pelo Museu do Amanhã, que, além de ser uma atração imperdível para os visitantes, também tem sido objeto de estudo em diversas áreas. Para atender pesquisadores e pesquisadoras de fora do Rio que queiram levantar dados e informações no Museu para seus estudos acadêmicos, foi criado o Programa Amanhã em Pesquisa, que está com inscrições abertas até o dia 20 de maio.
     

  6. Quase mil cidades podem ter surto de dengue, zika e chikungunya no país

    O primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2019 indica que 994 municípios (20% do total realizado) apresentaram alto índice de infestação, com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya. O Ministério da Saúde alerta que o sistema de vigilância de estados e municípios e toda a população devem reforçar os cuidados para combater o mosquito.

  7. Consulta pública da OMS sobre tuberculose

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) abriu consulta pública para a primeira versão do documento Estratégia Global sobre pesquisa e inovação para Tuberculose. As contribuições podem ser enviadas até o dia 8 de maio e ajudarão a compor a próxima versão do documento, que deve ser apresentado ao Comitê Executivo da Organização e posteriormente levado à Assembleia Mundial de Saúde.

  8. CD Ampliado: ENSP discute Política de Integridade, Riscos e Controles Internos com trabalhadores

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) ampliou a última reunião do Conselho Deliberativo, que contou com a participação massiva dos trabalhadores da Escola. A reunião do CD debateu duas questões de extrema importância para a comunidade ENSP: o Orçamento para 2019 e a implantação da Política de Integridade, Riscos e Controles Internos da Gestão Fiocruz. 

  9. 'A segurança pública não pode ser uma punição para o cidadão'

    Sofrimento, ansiedade, angústia, alteração de humor, medo, apreensão. Na opinião de especialistas das áreas de Violência e Saúde e Saúde Mental, esses transtornos estão fortemente associados a situações de massacre, tragédias e barbáries, resultando em experiências de sofrimento mental cada vez mais comuns em tempos de “banalização da violência”.