1. Dez ameaças à saúde que a OMS combaterá em 2019

    O mundo está enfrentando vários desafios na área da saúde. Estes variam de surtos de doenças evitáveis por vacinação, como é o caso do sarampo e da difteria; das crescentes notificações de patógenos resistentes a medicamentos; e das altas taxas de obesidade e inatividade física, além dos impactos à saúde causados pela poluição ambiental, mudança climática e múltiplas crises humanitárias.

  2. Ministério da Saúde atualiza casos de sarampo

    O Ministério da Saúde atualizou, na quarta-feira (9/1), as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação do sarampo no país. Desde o início de 2018, até 8 de janeiro deste ano, foram confirmados 10.274 casos no Brasil. Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo: no Amazonas com 9.778 casos confirmados e, em Roraima, com 355 casos. Três estados apresentaram óbitos pela doença: quatro em Roraima, seis no Amazonas e dois no Pará.

  3. Reforma Trabalhista – a desvalorização do tempo e da vida

    Com a Reforma Trabalhista em vigor, o tempo, que é tão valorizado economicamente em uma sociedade que exige um ritmo veloz de produtividade, será cada vez mais escasso na vida do trabalhador, especialmente da mulher, que tem dupla e às vezes tripla jornada. Considerando as horas perdidas pelo trabalhador no transporte público nas idas ao trabalho e nas voltas para casa, no pouco tempo que sobra para o lazer e para os cuidados com a saúde, a situação pode se agravar com o provável aprofundamento da Reforma Trabalhista.

  4. Confira respostas às dúvidas frequentes sobre imunização e segurança das vacinas

    As vacinas são seguras? A imunidade proporcionada por elas é melhor do que a oferecida pelas infecções naturais? Uma criança pode receber mais de uma vacina por vez? Existe alguma relação entre vacinas e autismo? Confira as respostas da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) para perguntas frequentes da população sobre imunização.

  5. Saúde é Meu Lugar: mostra de vivências nos territórios encerra mais um ciclo

    Os números falam por si só e definem o nível de qualidade de um projeto tão inspirador: 1.485 histórias publicadas; 700 narradores inscritos; 1.500 pessoas cadastradas; e 55 mil visualizações do site na mostra on-line. 24 mostras presenciais realizadas; 22 estados contemplados e 2.115 participantes. Nas redes sociais, 2.500 seguidores, mais de 1 milhão de visualizações e 5 mil compartilhamentos. 

  6. ENSP parabeniza os sanitaristas

    Sabidamente responsável pela formação de milhares de sanitaristas em todo o país, a ENSP/Fiocruz saúda esses valorosos profissionais pela incansável atenção, presteza e compromisso com a saúde da população brasileira, em alinhamento aos preceitos da Constituição Federal. O dia 2 de janeiro legitima a importância da atuação dos trabalhadores que se dedicam em defender os princípios e valores do Sistema Único de Saúde.

  7. 'A Saúde no Brasil em 2030': livro da Fiocruz alcança mais de 300 mil downloads

    O interesse sobre o futuro do Sistema Único de Saúde (SUS) tem levado pesquisadores, professores, estudantes e a população em geral a buscar fontes de informação relevantes e confiáveis sobre o tema. Prova disso são os mais de 300 mil downloads do livro "A Saúde no Brasil em 2030: Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro", que de acordo com o último levantamento da plataforma Scielo Livros chegou a marca de 333.363 downloads, em acesso aberto e comercial, até novembro de 2018.

  8. SUS passa a oferecer novos tratamentos para sintomas do HPV

    O HPV, infecção transmitida sexualmente ou por contato pele a pele é uma doença que causa vários problemas à pessoa infectada. Um deles é o aparecimento verrugas nas genitais e no ânus. Para estes casos, a partir do ano que vem, o SUS passa a oferecer duas novas opções de tratamento: os cremes podofilotoxina e imiquimode. A incorporação pelo MS foi realizada no final de novembro deste ano, com o respaldo da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. A pasta tem até 180 dias para disponibilizar os fármacos à população.