1. Ministério usa aplicativo para esclarecer dúvidas

    Há um ano o Ministério da Saúde mantém uma página eletrônica em seu site em que esclarece dúvidas e desmente boatos que se disseminam rapidamente nas redes sociais e grupos de mensagens. Além da página, o Ministério também disponibiliza um número de WhatsApp para elucidar questões trazidas pela população. Essa forma inovadora de comunicação visa combater as fake news sobre saúde, em especial em momentos como o que estamos vivendo com a aparição do novo Coronavírus. Somente dissemine o que for verdade! Acesse! Informe-se!

  2. Visibilidade trans: dia de luta por dignidade e cidadania

    Viver escondida dentro de outro nome ou corpo ainda é a realidade de muitos transgêneros. Fato perverso e limitante, mas que vem se transformando, principalmente ao longo da última década. No Dia Nacional da Visibilidade Trans, celebrado em 29 de janeiro, o Informe ENSP conversou com pessoas transgêneras que utilizam o projeto Justiça Itinerante para não somente retificar seus nomes nos documentos, como também mudar suas vidas inteiras. A ENSP trabalha nessa causa e apoia essa luta. 

  3. Toma posse nova diretoria do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde - Cebes

    Nesta terça-feira (28/01), tomou posse a nova diretoria do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes)  – Gestão 2020/2021. A presidente reeleita, Lucia Souto, reafirma o compromisso da entidade com um projeto civilizatório de inclusão de toda população brasileira e contra a barbárie responsável pela inadmissível desigualdade que afronta o país. O evento ocorreu no Clube de Engenharia, Rio de Janeiro. Durante o evento foi veiculado um depoimento do ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão. 
     

  4. Fiocruz divulga relato da primeira expedição Fioantar

    Na Antártica, a primeira oportunidade pode ser a última. A frase, ouvida de veteranos, foi repetida pelos pesquisadores da Fiocruz que retornaram após sua primeira expedição ao continente gelado. Para fazer pesquisas na Antártica, é necessário muita preparação e planejamento. O grupo passou por uma preparação de um ano, que incluiu a definição de metodologia, logística, pontos de coletas e até mesmo um treinamento de oito dias conduzido pela Marinha na restinga da Marambaia. 

  5. Febre hemorrágica reaparece no Brasil após 20 anos

    Considerada uma doença rara e de alta letalidade, a febre hemorrágica ressurgiu no Brasil após 20 anos sem registro de novos casos. O Ministério da Saúde confirmou, na segunda-feira (20/1), um caso de febre hemorrágica brasileira. O paciente, morador de Sorocaba, no interior de São Paulo, morreu por complicações da doença no dia 11/1, menos de duas semanas após apresentar os primeiros sintomas. O Ministério afirmou que o caso representa um risco significativo para a saúde pública, ainda que nenhum caso secundário tenha sido identificado até este momento da investigação.
     

  6. Febre hemorrágica reaparece no Brasil após 20 anos

    Considerada uma doença rara e de alta letalidade, a febre hemorrágica ressurgiu no Brasil após 20 anos sem registro de novos casos. O Ministério da Saúde confirmou, na segunda-feira (20/1), um caso de febre hemorrágica brasileira. O paciente, morador de Sorocaba, no interior de São Paulo, morreu por complicações da doença no dia 11/1, menos de duas semanas após apresentar os primeiros sintomas. O Ministério afirmou que o caso representa um risco significativo para a saúde pública, ainda que nenhum caso secundário tenha sido identificado até este momento da investigação.
     

  7. ENSP consolida Núcleo de Segurança do Paciente

    Considerando a prioridade dada à segurança do paciente em serviços de saúde na agenda política dos Estados-Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) e na Resolução aprovada durante a 57ª Assembleia Mundial da Saúde - que recomendou aos países atenção ao tema “Segurança do Paciente” - e, ainda, dada a relevância e magnitude dos eventos adversos no Brasil, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP - Portaria MS/GM nº 529, de 1° de abril de 2013), cujo objetivo é contribuir para a qualificação do cuidado em saúde, em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional. Em conformidade com a determinação do MS, a ENSP implantou o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) nos seus três serviços ambulatoriais: Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF); Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF); e Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh). 

  8. ENSP consolida Núcleo de Segurança do Paciente

    Considerando a prioridade dada à segurança do paciente em serviços de saúde na agenda política dos Estados-Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) e na Resolução aprovada durante a 57ª Assembleia Mundial da Saúde - que recomendou aos países atenção ao tema “Segurança do Paciente” - e, ainda, dada a relevância e magnitude dos eventos adversos no Brasil, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP - Portaria MS/GM nº 529, de 1° de abril de 2013), cujo objetivo é contribuir para a qualificação do cuidado em saúde, em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional. Em conformidade com a determinação do MS, a ENSP implantou o Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) nos seus três serviços ambulatoriais: Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF); Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF); e Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh). 

  9. Sala de Convidados vai debater impacto do vazamento de óleo no Nordeste na saúde da população

    O Sala de Convidados, do Canal Saúde, vai debater o impacto do recente vazamento de óleo no Nordeste na saúde da população local. O programa será exibido na quinta-feira (05/12), às 11h, e contará com a participação do professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Paulo Pena; do coordenador do Centro de Estudos para Emergências e Desastres em Saúde (Cepedes/Fiocruz), Carlos Machado; e da professora titular de Epidemiologia do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, Maria Glória Teixeira.