1. Ministério da Saúde promove vacinação dos povos indígenas a partir de sábado (30/4)

    Todos os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) do país, ao todo 34, receberão, a partir de sábado (30/4), uma força-tarefa para imunizar cerca de 120 mil indígenas aldeados no país. Até o término da ação, 29/5, mais de três mil profissionais terão a disposição 202 mil doses de diferentes vacinas. O objetivo é atualizar a caderneta de vacinação dos índios, incluindo os que vivem em populações isoladas. A cerimônia de abertura do mês de vacinação acontecerá na Aldeia Ypegue, em Aquidauana, no Mato Grosso do Sul. O Mês de Vacinação da População Indígena (MVPI) integra a Semana de Vacinação nas Américas, liderada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) desde 2005, e adotada pelo Ministério da Saúde em conjunto com a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe. Neste ano, a semana envolverá 44 países, alcançando 44 milhões de crianças e adultos.

  2. MS lança campanha voltada à saúde dos homens gays e bissexuais

    O Ministério da Saúde lançou na terça-feira (26/4), durante a 3ª Conferência de Políticas Públicas de Direitos Humanos de LGBT, em Brasília, a campanha “Cuidar bem da saúde de cada um. Faz bem para todos. Faz bem para o Brasil”, com foco na saúde integral, atendimento humanizado e respeito para homens gays e bissexuais. O objetivo é informar e conscientizar toda a sociedade, bem como profissionais de saúde, trabalhadores e gestores do SUS sobre garantias ao atendimento, sem discriminação, considerando as especificidades de saúde dessa população. A campanha foi desenvolvida em parceria com o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, Juventude e dos Direitos Humanos.

  3. Primeiro Encontro Popular de Saúde acontecerá em Manguinhos em 16/4

    No sábado, 16/4, vai acontecer em Manguinhos o 1º Encontro Popular de Saúde do Rio de Janeiro. A reunião tem como proposta promover o diálogo a partir da realidade da comunidade, das unidades de saúde e escolas presentes no território, dos trabalhos, das famílias, e ainda sobre os problemas que mais atrapalham o alcance de uma vida saudável. Ele está marcado para começar às 9h, na Biblioteca Parque Manguinhos e pretende reunir pessoas de diversos territórios e movimentos sociais, para assim promover a trocar de experiências e ideias de organização e de enfrentamento desses problemas.

  4. Saúde confirma 1.113 casos de microcefalia em todo o país

    Até o dia 9 de abril, foram confirmados 1.113 casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso, sugestivos de infecção congênita, em todo o país.  Ao todo, foram notificados 7.015 casos suspeitos desde o início das investigações, em outubro de 2015, sendo que 2.066 foram descartados. Outros 3.836 estão em fase de investigação. As informações são do novo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (12), que reúne as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde.

  5. Diabetes: doença crônica é o tema em destaque no Dia Mundial da Saúde

    Todos os anos, a Organização Mundial da Saúde elege um tema para marcar o dia 7 de abril, conhecido como Dia Mundial da Saúde. Em 2016, em parceria com a Federação Internacional de Diabetes, a OMS voltou sua atenção para o diabetes, que, a cada ano, é responsável por 14,5% do total de todas as mortes que ocorrem no mundo. Conforme o Atlas do Diabetes, elaborado pela Internacional Diabetes Federation (IDF), em 2015, cerca de cinco milhões de pessoas entre 20 e 79 anos foram a óbito por conta dessa doença crônica – número muito maior que todas as guerras, conflitos armados, HIV/Aids e diversas outras enfermidades juntas. Mesmo com o grande alarde sobre o diabetes, boa parte da população não volta sua atenção e nem toma os cuidados necessários para prevenir e combater a doença. A Fiocruz, preocupada com a saúde de seus servidores, realiza o maior estudo de coorte multicêntrico brasileiro, o ELSA-Brasil, coordenado pelas pesquisadoras Rosane Härter Griep, do IOC/Fiocruz, e Maria de Jesus Mendes da Fonseca, da ENSP/Fiocruz. Rosane apresenta alguns dados e informações sobre o diabetes, uma das doenças analisadas nesse estudo.

  6. Fórum de Estudantes ENSP se posiciona contra o atraso nas bolsas Faperj

    A irregularidade e os atrasos no pagamento aos bolsistas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) motivou o Fórum de Estudantes da ENSP a redigir uma carta aberta destacando o descompromisso com a ciência em nosso estado. A instituição não efetiva os pagamentos desde o mês de janeiro - quitados somente no final de março. Já as bolsas de fevereiro estão em aberto. A previsão é que ocorra a mesma situação em março, com pagamento no mês de abril. Segundo o Fórum, como um dos requisitos para o recebimento da bolsa é a dedicação exclusiva, o não pagamento implica, em muitos casos, problemas relacionados ao custeio de pesquisas dos estudantes. Confira, em anexo, a íntegra da carta aberta.

  7. Ministério da Saúde lança série educativa 'Crianças contra Zika'

    A educação e a música são importantes aliadas no desafio de mobilizar a população para o combate ao Aedes aegypti e aos vírus Zika, da dengue e da chikungunya. Pensando nisso, o Ministério da Saúde lançou na quarta-feira (30/3) o projeto Crianças contra Zika, usando a música para ampliar os conhecimentos sobre as doenças e formas de prevenção. A ação faz parte do eixo Mobilização e Combate ao Mosquito do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia.

  8. Brasil adota parâmetro da OMS e reduz medida para microcefalia

    O Ministério da Saúde passa a adotar, a partir desta quarta-feira (09), novos parâmetros para medir o perímetro cefálico e identificar casos suspeitos de bebês com microcefalia. Para menino, a medida será igual ou inferior a 31,9 cm e, para menina, igual ou inferior a 31,5 cm. A mudança está de acordo com a recomendação anunciada recentemente pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e tem como objetivo padronizar as referências para todos os países, valendo para bebês nascidos com 37 ou mais semanas de gestação.

  9. OMS: Chuvas acima da média causadas pelo El Niño aumentarão risco de proliferação do Aedes

    Até maio, nas Américas Central e do Sul, volumes de chuva acima da média associados ao El Niño poderão provocar enchentes e aumentar os riscos de proliferação de mosquitos como o Aedes aegypti, a espécie transmissora do vírus zika, da dengue, da chikungunya e da febre amarela. A previsão é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que publicou um relatório onde avalia as consequências do El Niño para a saúde da população.

  10. OMS divulga guia para profissionais de saúde e boletim sobre zika e síndromes associadas

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou na sexta-feira (26/2) um novo boletim sobre zika, microcefalia e Síndrome de Guillain-Barré. O documento aponta que, entre 1o de janeiro de 2007 e 25 de fevereiro de 2016, um total de 52 países e territórios relataram circulação autóctone (local) do vírus zika, incluindo aqueles onde o surto já terminou e os que forneceram evidências indiretas de transmissão local.