1. Atividades encerram semana de combate à tuberculose

    Na semana de 20 a 24 de março de 2017, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz) - instituição nacional de referência do SUS para a TB e outras pneumopatias - promove uma série de mobilizações a fim de marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A programação reúne palestras, apresentações e exposições culturais e artísticas. As ações também preveem  a iluminação do Castelo da Fiocruz com a cor vermelha, de 20 a 27 de março, e da estátua do Cristo Redentor, no dia 24, para marcar o dia de combate. Na sexta-feira, no auditório do CRPHF, haverá a divulgação do documento Unidos pelo fim da TB. Cada palavra conta: linguagem e uso sugeridos para comunicações em Tuberculose – Stop TB Partnership/Unops, e a palestra Saúde, linguagem e estigma, a ser proferida pelo pesquisador Caco Xavier. Confira a programação completa.

     
     

  2. Capes lança edital de apoio a eventos no país

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou neste mês de março o edital nº 03/2017, referente à chamada pública no âmbito do Programa de Apoio a Eventos no País (Paep), cujo objetivo é selecionar propostas para apoio financeiro à realização de eventos científicos, tecnológicos e culturais de curta duração no país. Os mesmo devem ter envolvimento de pesquisadores, docentes e discentes dos programas de pós-graduação. A chamada atenderá os eventos previstos para o período de 1º de agosto de 2017 a 31 de janeiro de 2018. Propostas podem ser enviadas até 31 de março.

  3. Capes lança edital de apoio a eventos no país

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou neste mês de março o edital nº 03/2017, referente à chamada pública no âmbito do Programa de Apoio a Eventos no País (Paep), cujo objetivo é selecionar propostas para apoio financeiro à realização de eventos científicos, tecnológicos e culturais de curta duração no país. Os mesmo devem ter envolvimento de pesquisadores, docentes e discentes dos programas de pós-graduação. A chamada atenderá os eventos previstos para o período de 1º de agosto de 2017 a 31 de janeiro de 2018. Propostas podem ser enviadas até 31 de março.

  4. Atividades encerram semana de combate à tuberculose

    Na semana de 20 a 24 de março de 2017, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz) - instituição nacional de referência do SUS para a TB e outras pneumopatias - promove uma série de mobilizações a fim de marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A programação reúne palestras, apresentações e exposições culturais e artísticas. As ações também preveem  a iluminação do Castelo da Fiocruz com a cor vermelha, de 20 a 27 de março, e da estátua do Cristo Redentor, no dia 24, para marcar o dia de combate. Na sexta-feira, no auditório do CRPHF, haverá a divulgação do documento Unidos pelo fim da TB. Cada palavra conta: linguagem e uso sugeridos para comunicações em Tuberculose – Stop TB Partnership/Unops, e a palestra Saúde, linguagem e estigma, a ser proferida pelo pesquisador Caco Xavier. Confira a programação completa.

     
     

  5. Atividades encerram semana de combate à tuberculose

    Na semana de 20 a 24 de março de 2017, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP/Fiocruz) - instituição nacional de referência do SUS para a TB e outras pneumopatias - promove uma série de mobilizações a fim de marcar o Dia Mundial de Combate à Tuberculose. A programação reúne palestras, apresentações e exposições culturais e artísticas. As ações também preveem  a iluminação do Castelo da Fiocruz com a cor vermelha, de 20 a 27 de março, e da estátua do Cristo Redentor, no dia 24, para marcar o dia de combate. Na sexta-feira, no auditório do CRPHF, haverá a divulgação do documento Unidos pelo fim da TB. Cada palavra conta: linguagem e uso sugeridos para comunicações em Tuberculose – Stop TB Partnership/Unops, e a palestra Saúde, linguagem e estigma, a ser proferida pelo pesquisador Caco Xavier. Confira a programação completa.

     
     

  6. Pobreza encurta a vida mais que obesidade, álcool e hipertensão

    A evidência científica é robusta: a pobreza e a desigualdade social prejudicam seriamente a saúde. No entanto, as autoridades de saúde não dão a esses fatores sociais a mesma atenção que dedicam a outros quando tentam melhorar a saúde dos cidadãos. Um estudo sobre 1,7 milhão de pessoas, publicado pela revista médica The Lancet, traz de volta esse problema negligenciado: a pobreza encurta a vida quase tanto quanto o sedentarismo e muito mais do que a obesidade, a hipertensão e o consumo excessivo de álcool. O estudo é uma crítica às políticas da Organização Mundial da Saúde (OMS), que não incluiu em sua agenda este fator determinante da saúde - tão importante ou mais do que outros que fazem parte de seus objetivos e recomendações.

  7. 'Febre amarela preocupa, mas ainda não é o momento de pensar no pior'

    Na opinião do pesquisador Paulo Chagastelles Sabroza, da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, o quadro é preocupante quando o assunto é febre amarela (FA), mas o cenário poderá ser muito pior se "ocorrer a urbanização da febre amarela e a epizootia dos macacos se alastrar pelas matas de galeria dos estados de São Paulo ou Espírito Santo e chegar às matas de litoral dos estados da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo, onde vivem milhões de pessoas, e grandes grupos populacionais de macacos". Ainda assim, ele afirma que ainda não é o momento de pensar nesse "cenário caótico".

  8. Ministério da Saúde tira dúvidas sobre a Febre Amarela

    Os casos de febre amarela em Minas Gerais despertaram na população uma série de dúvidas sobre a doença. O Sistema Único de Saúde oferta uma vacina contra a Febre Amarela altamente segura e eficaz e é essa a melhor forma de prevenção. Para saber se você precisa tomar a vacina ou não, confira as orientações dadas pelo Ministério da Saúde, nos últimos dias, nas redes sociais. Preciso tomar a vacina? Gestantes podem ser vacinadas? E idosos? Crianças devem receber a vacina a partir de que idade? Acesse:

  9. OPAS/OMS divulga alerta epidemiológico sobre febre amarela para as Américas

    A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) divulgou na tarde de segunda-feira (9/1) uma atualização de alerta epidemiológico sobre febre amarela para a Região das Américas. O documento informa que, desde 2016, Brasil, Colômbia e Peru reportaram casos confirmados da doença. A febre amarela é uma enfermidade hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados. Pode ser prevenida por uma vacina eficaz, segura e acessível.

  10. OPAS/OMS divulga alerta epidemiológico sobre febre amarela para as Américas

    A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) divulgou na tarde de segunda-feira (9/1) uma atualização de alerta epidemiológico sobre febre amarela para a Região das Américas. O documento informa que, desde 2016, Brasil, Colômbia e Peru reportaram casos confirmados da doença. A febre amarela é uma enfermidade hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados. Pode ser prevenida por uma vacina eficaz, segura e acessível.