1. Brasil oferece treinamento para zika aos países do Mercosul

    O ministro da Saúde, Marcelo Castro, ofereceu aos países do Mercosul e associados treinamento para a realização laboratorial de testes para detecção do vírus zika. A capacitação será feita pelos institutos nacionais do Brasil por meio do exame PCR (Polymerase Chain Reaction). O objetivo é reforçar a capacidade de vigilância epidemiológica da região, acompanhando o comportamento do vírus e propondo ações necessárias para a proteção da população. No mês de janeiro, técnicos do Paraguai, Peru, Uruguai e Equador receberam treinamento do Instituto Evandro Chagas (IEC), órgão vinculado à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde (MS).

  2. ENSP lamenta morte de Marcus Matraga, defensor dos direitos humanos e militante das causas sociais

    A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz) amanhece triste, nesta quinta-feira (11 de fevereiro), com a notícia do assassinato de Marcus Vinicius de Oliveira, professor aposentado da Universidade Federal da Bahia, militante das causas sociais e do movimento da luta antimanicomial no país. Também conhecido como Marcus Matraga, foi vítima de homicídio no município de Salinas das Margaridas, no Recôncavo baiano, em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terras indígenas. A ENSP, através do seu pesquisador e presidente de honra da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme), Paulo Amarante, publica sua nota de pesar contra mais esse crime em nossa sociedade.

  3. Líderes em saúde internacional: Opas abre inscrições em programa

    Diplomacia em saúde, cooperação internacional, saúde universal, desenvolvimento sustentável, migração, saúde nas fronteiras, tensões e conflitos, mudanças climáticas e doenças não transmissíveis. A Organização Pan-Americana da Saúde, da Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) está com inscrições abertas para o Programa de Líderes em Saúde Internacional Edmundo Granda Ugalde (PLSI 2016).

  4. Conselho da Fiocruz aprova orçamento 2016 e reafirma não haver política de demissões

    Após mais um movimento de pressão do coletivo de trabalhadores da Fiocruz - formado por servidores, terceirizados, alunos e bolsistas -, aos gestores da instituição, o Conselho Deliberativo da Fundação ratifica que não haverá política de demissões em decorrência das limitações orçamentárias nos termos do Decreto n. 8.540/2015. Após o CD nos dias 28 e 29/1 para apreciar o orçamento de 2016, a Presidência da Fiocruz reafirmou que "as necessárias economias a serem realizadas não devem recair sobre os trabalhadores terceirizados". No dia 28, os integrantes do coletivo realizaram o enterro simbólico do decreto e, depois, seguiram em marcha até a Residência Oficial da Fiocruz para entregar o abaixo-assinado com mais de mil assinaturas pela suspensão imediata das demissões na Fundação. Além dos cortes, o coletivo pressiona a instituição na busca pela reversão das demissões já implementadas e, ainda, fomenta a criação de espaços institucionais de decisões participativas.

  5. Decisões bem informadas sobre gravidez são essenciais contra vírus zika, destaca ONU

    O vírus zika é um problema de saúde pública que afeta diretamente o exercício dos direitos reprodutivos de mulheres e casais, pois aumenta os riscos à saúde de bebês cujas mães foram infectadas durante a gravidez. Várias ações são necessárias para o controle do mosquito do tipo Aedes, responsável pela transmissão da doença, que dependem do engajamento de todas as pessoas. Além disso, é necessária atenção especial às mulheres em idade fértil, notadamente mulheres grávidas, que estejam planejando engravidar ou que possam engravidar por não terem acesso aos meios contraceptivos necessários para evitar gravidezes indesejadas.

  6. Fiocruz, assim como a ENSP, afirma que não implementará política de demissões relacionada a limitações orçamentárias

    Em consonância com o posicionamento da ENSP em defesa da Saúde Pública, num contexto de emergência sanitária, a Fiocruz também afirma que não implementará política de demissões relacionada a limitações orçamentárias, proposta pelo governo. Para tanto, a Presidência da Fundação lançou nota considerando: “O Conselho Deliberativo e o Congresso Interno da Fiocruz já se manifestaram contra as lógicas de ajuste fiscal, que penalizam a sociedade e que restringem recursos para a saúde e ciência e tecnologia, campos de atuação da instituição. Dentre as prioridades, destaca-se a preservação da sua força de trabalho. Apesar de os cortes terem sido considerados em reunião do CD de dezembro passado, a construção de alternativas foi alcançada”. Um coletivo de trabalhadores da Fiocruz, alicerçado no mesmo propósito, organizou um abaixo-assinado digital pela suspensão imediata das demissões na Fundação - coletivo tal que suscitou uma resposta da instituição contra os cortes.

  7. Em defesa da Saúde Pública num contexto de emergência sanitária, ENSP diz não à restrição orçamentária na Fiocruz

    O Conselho Deliberativo da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, reunido na terça-feira, 12 de janeiro, realizou uma análise conjuntural do cenário atual em que se encontra a Saúde Pública brasileira, à luz de uma possível restrição orçamentária do setor em pleno momento de emergência sanitária, caracterizada pela preocupante evolução dos casos de microcefalia e outras doenças congênitas associadas à exposição materna ao zika vírus. O CD ENSP considerou que qualquer supressão orçamentária na ENSP e na Fiocruz neste momento, levando em conta as restrições orçamentárias impostas nos últimos anos, significa trazer enormes prejuízos para o campo sanitário brasileiro.

  8. Brasil já conta com 16 laboratórios para diagnosticar Zika

    O Ministério da Saúde capacitou mais 11 laboratórios públicos para realizar o diagnóstico de Zika. Contando com as cinco unidades referência no Brasil para este tipo de exame, já são 16 centros com o conhecimento para fazer o teste. Atualmente, a técnica diagnóstica utilizada pelo Ministério da Saúde é o PCR (Biologia Molecular). Nos dois próximos meses, a tecnologia será transferida para mais 11 laboratórios, somando 27 unidades preparadas para analisar 400 amostras por mês de casos suspeitos de Zika em todo o país.

  9. Campanha reforça alerta sobre cesáreas desnecessárias

    Uma nova campanha idealizada pelo Projeto Parto Adequado, que visa à melhoria na prática obstétrica no Brasil, reforça a preocupação quanto à realização de cesáreas desnecessárias e busca sensibilizar gestantes e profissionais de saúde para que evitem o parto agendado. A ação é coordenada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), Hospital Israelita Albert Einstein e Institute for Healthcare Improvemente (IHI). Com o tema Não ao Parto Agendado, as mensagens que serão disseminadas pelas mídias sociais dos integrantes do projeto pedem que se evite a realização de cesáreas antecipadas e desnecessárias, numa época em que, devido às férias, festas de fim de ano e carnaval, é notório o incremento no número de partos cirúrgicos, levando à prematuridade dos bebês.  

  10. Contratação de auxiliar de pesquisa para o Projeto de Expansão e Consolidação do Saúde da Família

    A Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec) contrata, pelo Projeto de Expansão e Consolidação da Saúde da Família (Proesf), auxiliar de pesquisa I para o cuidado e gestão em saúde; auxiliar de pesquisa II para coleta e sistematização de dados; auxiliar de pesquisa I para revisão sistemática;  auxiliar de pesquisa I para custos e economia da saúde; auxiliar de pesquisa I para preços, custos e gastos em saúde; auxiliar de pesquisa I para aprendizagem em economia da saúde aplicada. O prazo para cadastramento do currículo é até o dia 29/12/2015.