1. Informe ENSP começa a circular com layout reformulado

    Os assinantes do boletim Informe ENSP recebem, nesta quarta-feira (1/10), a oitava versão do informativo, que conta com uma reorganização das informações e apresenta um layout mais arejado. As seções não foram alteradas, mas as notícias passam a privilegiar, ainda mais, o ensino, a pesquisa e as atividades de cooperação nacional e internacional, áreas de atuação da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. A alteração foi necessária para que o novo informativo acompanhe o crescimento da ENSP, ampliando sua integração com as redes sociais, como Facebook e Twitter, e o canal de vídeos da instituição no YouTube.

  2. Academias britânicas oferecem oportunidades para brasileiros

    Cientistas brasileiros que querem realizar pesquisas e atividades de intercâmbio com instituições no Reino Unido têm novas oportunidades. As Academias Nacionais do Reino Unido – Royal Society, British Academy, Academy of Medical Sciences e Royal Academy of Engineering –, em colaboração com o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) e as fundações de amparo à pesquisa estaduais (FAPs), oferecem auxílios no âmbito do Newton Fund, fundo do governo britânico de apoio à pesquisa em ciência e inovação.

  3. 56% das famílias brasileiras autorizam doação de órgãos

    O Ministério da Saúde quer aumentar a adesão das famílias brasileiras à doação de órgãos no país. Para tanto, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, lançou na quarta-feira (24/9), em Brasília, nova campanha publicitária de estímulo à doação, com foco na sensibilização das famílias sobre a importância da autorização para a retirada de órgãos, após a confirmação de óbito por uma equipe médica. Atualmente, 56% das famílias entrevistadas em situações de morte encefálica aceitam e autorizam a retirada de órgãos para a doação. Para o ministério, esse percentual pode ser ainda maior, permitindo a realização de mais transplantes.

  4. Iniciativa da ONU incentiva uso de eletroeletrônicos mais eficientes

    O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) anunciou a Parceria para Eletrodomésticos e Equipamentos Eficientes, uma nova iniciativa para auxiliar a popularização de eletrodomésticos e eletrônicos mais eficientes. O objetivo é reduzir a demanda de energia global, mitigar os efeitos negativos das mudanças climáticas e melhorar o acesso à energia elétrica.

  5. Anvisa aprova novo regulamento técnico para anorexígenos

    A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou o novo regulamento técnico referente a anorexígenos no País. A Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) que deverá ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias normatiza o assunto após a publicação do Decreto Legislativo 273/2014, aprovado pelo Congresso Nacional em setembro. O Decreto invalida a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 52/2011, publicada pela Agência em outubro de 2011.

  6. Anvisa amplia monitoramento de medicamentos

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou uma série de ações para modernizar e ampliar o sistema de monitoramento de produtos no âmbito da vigilância sanitária no país. Uma das iniciativas é o Sistema de Gerenciamento de Amostras Versão Web (SGAWeb), que reunirá pela primeira vez, em um único banco de dados, laudos e resultados de análises de 60 laboratórios que fazem parte da Rede Nacional de laboratórios. O Ministro da Saúde, Arthur Chioro, participou da cerimônia de lançamento do novo sistema em Brasília.

  7. Pedestres e ciclistas ainda são excluídos de espaços públicos na América Latina

    Um rápido passeio pelo centro de qualquer grande cidade latino-americana será suficiente para saber quem manda nas ruas. Enquanto cerca de cem milhões de carros – um para cada cinco pessoas – circulam diariamente pelas grandes avenidas e vias mais modestas, o cidadão fica relegado às calçadas estreitas e passagens para pedestres que, por serem pouco respeitadas, podem transformar-se em um autêntico calvário. Na América Latina, o carro é o rei e o pedestre um súdito, que na melhor das hipóteses conta com apenas 4% de espaço para uso exclusivo, em contraste com 96% para o transporte motorizado. Isso, segundo especialistas, impacta o desenvolvimento e bem-estar dos cidadãos.

  8. ONU: Desastres naturais foram responsáveis por 22 milhões de deslocadas em 2013

    Lançado na quinta-feira (17/9), o novo relatório apoiado pelas Nações Unidas revela que 22 milhões de pessoas em todo o mundo foram deslocadas em 2013 – quase três vezes maior do que por conflitos no mesmo ano. Esses deslocamentos foram decorrentes de desastres naturais provocados em grande parte por terremotos ou eventos climáticos.O relatório Estimativas Globais 2014: pessoas deslocadas por desastres, realizado pelo Centro de Monitoramento de Deslocados Internos do Conselho Norueguês de Refugiados (CMDI), mostra que o risco de deslocamento devido a desastres mais do que dobrou nos últimos 40 anos, em grande parte graças ao crescimento e a concentração das populações urbanas, especialmente nos países mais vulneráveis.