1. Ministério da Saúde lança protocolos clínicos para 12 doenças raras

    Até o final deste ano, pacientes de 12 doenças raras contarão com Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) organizados pelo Ministério da Saúde. O objetivo é reduzir a mortalidade e contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes de doenças raras, com a incorporação de novas tecnologias no Sistema Único de Saúde (SUS). Esta é a primeira fase da ação que tem como objetivo lançar 47 PCDT para doenças raras até 2018.

  2. PNUMA lança guia de produção e consumo sustentáveis

    O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) acaba de lançar o Guia de Produção e Consumo Sustentáveis: tendências e oportunidades para o setor de negócios. A publicação é um projeto fruto de uma parceria entre o Pnuma e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e tem como principal objetivo a sensibilização e o engajamento do setor industrial do Brasil e partes interessadas, na implementação de políticas e práticas de produção e consumo sustentável.

  3. Espaço Aberto: atividades movimentam Escola durante mês do Meio Ambiente

    A Escola promoveu, em comemoração ao Mês do Meio Ambiente, o Espaço aberto: alternativas para o equilíbrio. O acontecimento congregou diversas atividades e buscou oferecer a oportunidade dos trabalhadores e alunos da ENSP conhecerem diferentes formas de produção e consumo, por meio de atividades culturais. Entre elas, foram promovidas a Feira Saberes e Sabores Josué de Castro, o Livro em movimento, a Feira de Trocas: por que acumular se você pode trocar?, a Oficina do imaginário e a apresentação musical de Maya Black e Virgílio dos Santos.

  4. Censo 2014 dos grupos de pesquisa está disponível para consulta

    O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) conclui e divulga o 10º Censo do Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil, um importante inventário dos grupos de pesquisa científica e tecnológica em atividade no País. Uma base de dados capaz de descrever os limites e o perfil geral da atividade científico-tecnológica no Brasil, o Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (DGP) apresenta uma série de informações quantitativas em relação aos recursos humanos constituintes dos grupos (pesquisadores, estudantes e técnicos), linhas de pesquisa em andamento, áreas do conhecimento, setores de aplicação envolvidos, produção científica, tecnológica e artística e parcerias estabelecidas entre os grupos e as instituições, sobretudo com as empresas do setor produtivo.

  5. Tuberculose: 'é preciso pensar nos determinantes sociais'

    O coordenador do Observatório Tuberculose Brasil (CRPHF/ENSP/Fiocruz), Carlos Basilia, conduziu, em maio, reunião do Fórum ONGs Tuberculose do Rio de Janeiro, na qual abordou aspectos importantes na luta pelo combate à doença. Segundo Basilia, para prevenir a TB é preciso diminuir as condições urbanas de disseminação. Os participantes do encontro destacaram a importância de a academia dar visibilidade à doença e aos problemas no Brasil, como o diagnóstico tardio.

  6. Secretários de Saúde manifestam preocupação com desfinanciamento do SUS

    O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou carta pública manifestando preocupação e discordância com a decisão do Governo Federal de contingenciar, por meio do Decreto n. 8.456, de 22 de maio de 2015, em R$11,774 bilhões o orçamento do Ministério da Saúde. Segundo o Conass, a decisão irá agravar ainda mais a situação do Sistema Único de Saúde (SUS) que, reconhecidamente desfinanciado, luta por melhores condições para atender a população brasileira.

  7. RedEscola renovada se fortalece como ator político em defesa da saúde pública e da saúde coletiva

    Três dias de muita troca de experiências e aprendizado, num clima democrático, alegre, de fortalecimento da identidade e, ao mesmo tempo, com uma densidade de discussões em torno de temas ligados à saúde pública e à saúde coletiva. Assim foi o Encontro Nacional 2015 da Rede de Escolas e Centros Formadores em Saúde Pública/Coletiva, agora conhecida como RedEscola, ocorrido no Rio de Janeiro, entre os dias 10 e 12 de junho. O tom de importância dado à Rede foi definido pelo diretor da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), Hermano Castro, logo na abertura do evento. "Essa é uma Rede horizontal, parceira de todas as Escolas e, para a ENSP, ela é estratégica dentro da visão que temos. Queremos que a ENSP continue sendo uma parceira, ajudando as Escolas a implementarem seus próprios projetos pedagógicos", assinalou.

  8. Países vão criar plataforma para aquisição de medicamentos

    Os países do Mercosul criarão uma plataforma de compra conjunta de medicamentos de alto custo. O compromisso foi firmado durante a 37ª Reunião de Ministros da Saúde do Mercosul, realizada na quinta-feira (11/6), em Brasília (DF). A ferramenta tem o objetivo de garantir melhores preços de compra aos respectivos sistemas de saúde. Na ocasião, também foram assinados acordos sobre segurança no trânsito e redução do tabagismo, da obesidade infantil e do sódio nos alimentos, bem como a criação de um banco unificado de informação sobre doação de órgãos.

  9. Abrasco dá início ao processo de eleição de sua nova diretoria

    A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) deu início ao processo que vai eleger sua nova diretoria. Até o dia 15/6, acontecerão as incrições de chapas para concorrerem à Diretoria e de instituições para o Conselho Deliberativo. Nestas duas semanas do prazo para o registro de candidaturas, devem ser apresentados a chapa e seus candidatos mediante requerimento para a Diretoria e para o Conselho Deliberativo, dirigido pelo candidato ao Secretário Executivo da Abrasco. O processo de votação será por voto secreto, e realizado por correspondência ou pela votação direta em urna durante o 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, que acontecerá no período de 28 a 30 de Julho de 2015, em Goiânia. 

  10. Obras de transposição do São Francisco geram violência e incerteza no semiárido nordestino

    O governo federal vem descumprindo compromissos assumidos com o Ibama para diminuir os impactos ambientais da transposição das águas do Rio São Francisco, levando a um cenário de violação aos direitos fundamentais da população local. Está é a conclusão a que se chegou durante uma oficina sobre justiça ambiental no território da tranposição, organizada pela Fiocruz, em abril. Fizeram parte das discussões diversas entidades e movimentos sociais, como a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), o MST, além profissionais da Fundação. Marcelo Firpo, pesquisador do Cesteh/ENSP, é um dos pesquisadores que debatem o tema. Para ele, o início das obras de tranposição, há oito anos, já representou uma derrota para os que lutam contra as injustiças ambientais. Agora, segundo Firpo, é preciso que se retome a mobilização em torno do assunto.