1. Máscaras: seguras e não causam falta de ar

    Da mesma forma como manter o distanciamento social e higienizar frequentemente as mãos, usar máscara ao sair de casa é, hoje, considerado uma das principais formas de evitar a disseminação da COVID-19. Ainda assim, boatos nas redes sociais levantam a dúvida: poderia o uso prolongado de máscaras prejudicar a respiração, causando hipóxia (diminuição das taxas de oxigênio no sangue)? Consultamos dois especialistas sobre o tema, e a resposta foi unânime: não. Utilizar máscara, ainda que por muito tempo, não vai deixar você sem ar!
     

  2. Dia Estadual de Combate à Tuberculose: ações do Centro de Referência Professor Helio Fraga em tempos de Covid-19

    No dia 6 de agosto comemora-se o Dia Estadual de Conscientização, Mobilização e Combate à Tuberculose, no Rio de Janeiro, instituído por meio do Projeto de Lei nº 3.236/2006. A data foi criada para reforçar o combate à doença no Estado do Rio de Janeiro, mas os números ainda preocupam, principalmente em tempos de pandemia do novo coronavírus. No Estado do Rio de Janeiro, em 2019, foram diagnosticados 14.671 casos de TB, destes 11.715 eram casos novos, o que correspondeu à segunda maior taxa de incidência da doença no Brasil, 68,1 casos/100 mil habitantes. O problema ainda se acentua, em 2018, o Estado do Rio de Janeiro foi o campeão em mortalidade por TB no país (4,3 óbitos/ 100 mil habitantes).

  3. Livro digital sobre memória dos saberes tradicionais em território Guarani-Kaiowá será lançado, em 23/7

    O ObservaPICS lança, no dia 23 de julho, o livro digital 'Pohã Ñana (Plantas Medicinais): fortalecimento, território e memória Guarani e Kaiowá', mais um produto da pesquisa Práticas tradicionais de cura e plantas medicinais mais prevalentes entre os indígenas da etnia Guarani-Kaiowá, na região Centro-Oeste coordenada pelos pesquisadores Paulo Basta, da ENSP, e Islândia Carvalho (Fiocruz Pernambuco), coordenadora do observatório. Além dos dois, são organizadores da publicação Aparecida Benites (Kuñatãi mbo`y arandu) e Ananda Meinberg Bevacqua (Kunãtai tucamby).

  4. Redes Sociais ENSP têm aumento expressivo de seguidores

    Com a pandemia da Covid-19, as pessoas buscam, cada vez mais, por informações. Apesar do significativo aumento de fake news que surgem nas redes socias, uma grande parte da população busca por informações corretas e de qualidade, utilizando fontes confiáveis. 
    Essa constatação se dá pelo volumoso aumento de seguidores em todas as Redes Sociais da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) – Instagram, Facebook, Twitter, YouTube e Whatsapp. 

  5. Campanha contra os Agrotóxicos e pela Vida realiza lives para conscientização

    Em meio à pandemia da Covid-19, o governo liberou o registro de 118 agrotóxicos para serem vendidos no Brasil. Destes produtos, 84 são destinados para agricultores e 34 para a indústria. Há ainda 216 produtos sendo avaliados pelo Ministério da Agricultura. No intuito de fazer a contra-hegemonia, a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida tem investido em ações de sensibilização dos riscos dos agrotóxicos. 

  6. Fiocruz participará da Marcha Virtual pela Ciência

    A Fiocruz junta-se a entidades de todo o país que atuam em ciência, tecnologia e inovação para a realização da Marcha Virtual pela Ciência no Brasil, que ocorrerá nesta quinta-feira (7/5). A iniciativa da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) terá diversas atividades nas redes sociais, para chamar a atenção do papel da ciência e das implicações sociais, econômicas e na saúde das pessoas no enfrentamento da pandemia de Covid-19. A Marcha Virtual tem como temas principais os desafios da ciência brasileira para obter os recursos necessários para vencer a pandemia, em pesquisa, educação, saúde e desenvolvimento sustentável.

  7. Dia do Trabalhador: a luta continua

    Saúde, Emprego, Renda: um novo mundo é possível com solidariedade foi o tema escolhido pelas Centrais Sindicais para o Dia do Trabalhador, comemorado em 1° de maio. Os anos se passaram, mas a luta e a resistência se tornaram mais frequentes para proteger os trabalhadores. Desde 2019, os trabalhadores têm tido perdas consideráveis em seus direitos como a Reforma da Previdência e a revisão de NR’s. Além disso, a classe trabalhadora viu seus direitos sendo flexibilizados por algumas medidas provisórias devido à pandemia que o mundo está vivenciando e atinge gravemente o Brasil.

  8. Opas/OMS disponibiliza cursos virtuais sobre Covid-19 para profissionais de saúde

    Com o intuito de apoiar profissionais de saúde do Brasil em meio à pandemia de Covid-19, a Organização Pan-Americana da Saúde, ligada à Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS) lançou quatro cursos virtuais de autoaprendizagem em português sobre doenças por vírus respiratórios emergentes, prevenção e controle de infecções pelo novo coronavírus, projetos para unidades de tratamento de síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e cuidados clínicos na SRAG. Todas as capacitações são abertas e gratuitas, sem prazo para conclusão.

  9. 28 de abril: um dia para reflexão em torno da saúde e segurança do trabalhador

    Um dia para ser lembrado em vez de ser celebrado! O dia foi reconhecido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2003; a data, porém, faz alusão ao mesmo dia no ano de 1969, quando 78 trabalhadores morreram num acidente em uma mina, no estado norte-americano de Virgínia. No Brasil, a data, instituída somente no ano de 2005 pela Lei n°11.121, representa uma homenagem e, também, uma reflexão a respeito da segurança e da saúde do trabalhador. Cabe, assim, perguntar: O que é preciso fazer para dar um basta nas omissões relacionadas à segurança do trabalho? E, neste momento de pandemia, o que é necessário para garantir a proteção desses trabalhadores?