1. Tuberculose: ações intersetoriais priorizam populações vulneráveis

    Após atingir as metas dos Objetivos do Milênio (ODM) de combate à tuberculose com três anos de antecedência, o Ministério da Saúde assumiu compromisso de reduzir em 95% os óbitos e em 90% o coeficiente de incidência da doença até 2035. Para o governo brasileiro, além de agir na implementação de testes rápidos, expandir a produção científica na área e incrementar ações de vigilância, é preciso priorizar as populações mais vulneráveis e estimular a articulação com organizações da sociedade civil. E foi com o objetivo de aprimorar esse último quesito e informar a população e os jovens sobre a tuberculose que o Centro de Referência Professor Hélio Fraga e o Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP direcionaram suas atividades durante a Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose. A Escola, por intermédio do Observatório Tuberculose Brasil, também foi representada na sessão do Congresso Nacional que discutiu o tema.

  2. Brasil investe para melhorar controle da tuberculose

    Alcance. Cure. Trate a todos: essas são as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), em conjunto com a estratégia StopTB, para marcar o Dia Mundial da Tuberculose, neste 24 de março. Considerada pela OMS como um dos problemas de saúde mais importantes do mundo, com 9 milhões de novos casos e cerca de 1,5 milhão de mortes a cada ano, a tuberculose no Brasil vem apresentando boas respostas às ações de controle nas duas últimas décadas, apesar de a velocidade de queda anual dos casos ainda não ser a esperada. Na opinião de Margareth Dalcolmo, pesquisadora da ENSP/Fiocruz e consultora da OMS para o tema, a implementação de quatro pilares pelo governo brasileiro vêm contribuindo para essa uma boa resposta: a adoção do teste rápido molecular para diagnóstico; a criação do Sistema de Monitoramento de Vigilância Epidemiológica da Resistência; o estímulo à produção científica e a participação crescente da sociedade civil.

  3. Opas/OMS conscientiza população para reduzir consumo de sódio

    A Opas/OMS está convocando a indústria de alimentos para reduzir o sal em seus produtos, especialmente entre os consumidos por crianças, além de restringir a publicidade de alimentos voltados para o público infantil com elevadas quantidades de sódio. Durante a Semana Mundial pela Conscientização do Sódio, celebrada entre 16 e 22 março, a Organização também alerta às famílias para 'fugirem do sódio escondido', incentivando o preparo de alimentos em casa e com ingredientes frescos. "Não basta que apenas a indústria promova essa redução. É importante que sejam feitas ações educativas para conscientizar a população das consequências do excesso de consumo de sal e, ao mesmo tempo, propor alternativas mais saudáveis como preparações culinárias caseiras, evitando os alimentos processados", alertou a nutricionista do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP Ana Lúcia Fittipaldi.

  4. 15ª Conferência Nacional de Saúde acontecerá em novembro de 2015

    O decreto de convocação da 15ª Conferência Nacional de Saúde, assinado pela presidenta da República, Dilma Rousseff, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) dia 16 de dezembro de 2014. Com o tema Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas e eixo Direito do povo brasileiro, a 15ª Conferência Nacional de Saúde será realizada, em Brasília/DF, de 23 a 26 de novembro de 2015.

  5. Guia Alimentar para a População Brasileira será apresentado em 24/3

    O novo Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde será apresentado, no dia 24 de março, em evento realizado pelo Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC), em parceria com o programa de História das Ciências, das Técnicas e Epistemologia (HCTE), ambos da UFRJ. Denominado Conhecer e comer: caminhos para redescobrir a comida de verdade − perspectiva do Guia Alimentar para a População Brasileira, o encontro tem o objetivo não só de apresentar e debater o Guia, mas também de produzir diálogo sobre o modo de produção, distribuição e consumo de alimentos saudáveis e de qualidade.

  6. Novos estudos mostram avanços na prevenção de infecções do HIV, anuncia Unaids

    Estudos clínicos usando remédios antivirais preventivos mostraram uma alta eficácia na redução de casos de infecção do vírus HIV entre homens que fazem sexo com homens. O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (Unaids) parabenizou, na quarta-feira (25/2), o anúncio dos resultados, apresentados na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas, em Seattle, nos Estados Unidos. O estudo, realizado no Reino Unido, envolvendo 500 homens que fazem sexo com outros homens e com alto risco de infecção, descobriu que aqueles que tomavam uma pílula de tenofovir e emtricitabine eram 86% menos propícios a contraírem o HIV do que os que não participavam do estudo. Os mesmos resultados foram obtidos na França e Canadá, onde os participantes tomaram quatro pílulas, duas antes e duas depois do ato sexual.