1. Roda de conversa 'Trajetórias negras' chega à quarta edição

    Criar um espaço de troca e escuta sobre o que é ser uma pessoa negra na Fiocruz, amplificando vozes e compartilhando experiências. Esse foi o objetivo da roda de conversa Trajetórias negras na Fiocruz, que chegou à sua quarta edição em 21 de novembro. O evento, promovido pela Fundação, por meio do Comitê Pró-Equidade de Gênero e Raça, foi realizado no auditório térreo da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp) e fez parte das celebrações pelo mês da Consciência Negra. O evento pode ser assistido aqui.

  2. Conselho Nacional de Saúde repudia violência do Estado e do crime organizado no entorno da Fiocruz

    O Conselho Nacional de Saúde (CNS) publicou, nesta terça-feira (26/11), nota de repúdio ao cenário de violência no Rio de Janeiro, em especial, no entorno da Fiocruz. Na nota, é destacado que "a violência do Estado, diante da política de segurança pública implementada pelo governador Wilson Witzel, além do crime organizado, têm tornado os trabalhadores da instituição vítimas constantes deste cenário de barbárie."

  3. Economista norte-americano participa de seminário do CEE - Fiocruz

    O pesquisador do Levy Economics Institute do Bard College, um dos principais autores da Teoria Moderna da Moeda (MMT, na sigla em inglês) e economista norte-americano Randall Wray será um dos convidados do Seminário Políticas Sociais e Pleno Emprego: A Teoria Moderna da Moeda como alternativa, que será realizado pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE/Fiocruz), no dia 26 de novembro, no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro, às 9h. 

  4. Fiocruz realiza roda de conversa para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra

    Para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, a Fundação Oswaldo Cruz realiza a quarta edição da roda de conversa Trajetórias Negras na Fiocruz em 21 de novembro, das 9h às 12h30, no auditório térreo da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). Trata-se de uma iniciativa do Comitê Fiocruz Pró-Equidade de Gênero e Raça que, este ano completa 10 anos e, desde 2018, tem organizado a atividade, a fim de reunir trabalhadores/as da instituição para discutir representatividade de pessoas negras e ações para o enfrentamento ao racismo institucional. 

  5. Fiocruz faz pesquisa on-line para acompanhar a trajetória de seus ex-alunos

    Ei, você já fez pós-graduação na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)? Então, diga por onde tem andado! Afinal, nossa história se completa... Para acompanhar a trajetória de seus ex-alunos, a Fiocruz está fazendo uma pesquisa com quem estudou em seus cursos de mestrado, doutorado, especializações e residências em saúde no período de 2013 a 2019. Alunos com este perfil recebem um link para o questionário, por e-mail, e têm até o dia 30/11 para responder à pesquisa online — o que só leva cerca de 10 minutos.

  6. Bulling será o próximo tema da Sala de Convidados

    Amanhã — 7 de novembro, quinta-feira — o Canal saúde apresentará o tema Bulling na Sala de convidados, ao vivo, às 11h no Canal Saúde. O programa traz para o debate a psicóloga Wanda Quadra, a diretora da Escola Municipal André Urani do Rio de Janeiro, Marcella Oliveira e a socióloga Dayse Miranda.
     

  7. Fiocruz analisa impactos do derrame de petróleo na saúde

    A Fiocruz vai monitorar o impacto na saúde da população atingida pelo derrame de petróleo no litoral do Nordeste. Um dos principais objetivos da ação é rastrear o risco para pescadores, marisqueiras e grávidas. Para isso, a instituição acaba de criar um grupo de trabalho - com a mobilização de pesquisadores e envolvimento das direções dos institutos e unidades técnico-científicas da Fiocruz da região Nordeste - que se reunirá pela primeira vez nesta terça-feira (5/11), para avaliar o problema e propor soluções. 
     

  8. Para além da cobertura universal: Paulo Buss fala sobre garantia de acesso e melhoria das condições de vida

    Saúde universal implica tanto a cobertura quanto o acesso das pessoas aos serviços. O sistema de saúde brasileiro vai nessa direção. No entanto, ainda há um conjunto de barreiras, geográficas, raciais, de gênero, que precisam ser removidas. A análise é do coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Paulo Buss. Ele avaliou as conquistas alcançadas na Atenção Primária no Brasil e, em nível global, os avanços do conceito de cobertura universal, em direção à proposta de saúde universal, inspirada na Declaração de Alma-Ata.