1. O que vem depois da ocupação

    "Se Barros pensa que saúde é plano, saúde não é plano não. Saúde é para todo mundo e plano toma um dinheirão! O Temer quer tirar tudo da gente: saúde, cultura, habitação. O Barros quer cortar o SUS metendo privatização", cantavam os integrantes da ocupação feita no prédio do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. Foi com irreverência e alegria que trabalhadores e estudantes que já estavam no local há 20 dias deixaram o prédio na manhã da última segunda-feira (27). A desocupação foi decidida no fim de semana em resposta ao mandado de reintegração de posse expedido pela Justiça Federal na sexta-feira (24). A avaliação geral, no entanto, é de que o movimento continua, pois os integrantes prometem dar continuidade ao OcupaSUS com a construção de uma agenda de lutas.

  2. Últimos dias de inscrição no curso de especialização em Gestão de Organização de Ciência e Tecnologia em Saúde

    Até o dia 30/6, interessados podem se inscrever no curso de especialização em Gestão de Organizações de Ciência e Tecnologia em Saúde, que faz parte da estratégia da Fiocruz de formação gerencial e de qualificação dos profissionais da área de gestão da instituição. O curso é direcionado aos servidores da Fundação que exercem o cargo de Analista de Gestão em Saúde, lotados nas Unidades do Rio de Janeiro e das regionais, e oferece 40 vagas. As inscrições vão até quinta-feira, 30/6 e devem ser feitas Plataforma Siga Ls. 

  3. Sala de Convidados aborda os 40 anos da Reforma Sanitária

    Há 40 anos era plantada a semente do movimento da Reforma Sanitária, nascido no contexto de luta contra a Ditadura Militar, na década de 1970, envolvendo saúde e democracia. Desde então, o movimento trabalha por mudanças em todo o setor saúde e foi uma das bases para a histórica 8ª Conferência Nacional de Saúde, realizada em 1986; para a construção do Sistema Único de Saúde (SUS) e para o ideal da saúde como um direito no país, previsto na Constituição de 1988.

  4. Coletânea da Editora Fiocruz aborda políticas sociais no estado do Rio

    O contexto concreto do estado do Rio de Janeiro, com sua desigual distribuição de benefícios entre pessoas e municípios, é o cenário da coletânea Saúde e Políticas Sociais no Rio de Janeiro, lançamento da Editora Fiocruz. Com números, entrevistas, análises históricas e institucionais, o objetivo do livro é tratar o tema das políticas sociais no Rio de Janeiro em duas perspectivas. "A primeira é a análise das políticas de saúde segundo a abordagem da gestão política, do papel do Poder Legislativo e da regionaliza­ção estadual. A segunda apresenta os desafios da gestão das políticas territoriais na ótica federativa, destacando o papel do governo estadual", contam as organizadoras da obra, a socióloga/cientista política Silvia Gerschman, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz), e a economista Angela Moulin S. Penalva Santos, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).
     

  5. Concurso 2016: Fiocruz publica segundo edital com 10 vagas para nível superior

    Dando continuidade ao processo seletivo para o preenchimento de 150 vagas de níveis intermediário e superior, a Fundação Oswaldo Cruz publicou, nesta quarta-feira (15/6), o segundo edital público do certame, com oferta de dez vagas para o cargo de Especialista em Ciência e Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública. Pela primeira vez, a Fiocruz oferecerá reserva de cotas para negros e pardos. Além disso, o candidato poderá ser inscrever com seu nome social. O período de inscrição é de 4 de julho até 8 de agosto e o valor da inscrição é de R$ 250,00.
     

  6. Fiocruz lança edital para 21 vagas de nível intermediário

    A Fundação Oswaldo Cruz publicou, na terça-feira (14/6), o primeiro edital do concurso público para preenchimento de 150 vagas de níveis intermediário e superior. O edital publicado oferta 21 vagas para o cargo de Assistente Técnico em Gestão de Saúde. Pela primeira vez, a Fiocruz oferecerá reserva de cotas para negros e pardos. O período de inscrição é de 4/7 até 8/8 e o valor da inscrição é de R$ 70,00. As 21 vagas de nível intermediário serão divididas entre as unidades da Fiocruz no país, sendo 14 para o Rio de Janeiro, duas para Manaus, uma para Belo Horizonte, uma para Brasília, uma para Curitiba, uma para Recife e uma para Salvador.

  7. ENSP compõe comitiva da Fiocruz que participa de fórum sobre ciência da ONU

    Uma comitiva da Fundação Oswaldo Cruz formada pelo presidente da instituição, Paulo Gadelha, pelo diretor do Centro de Relações Internacionais (Cris), Paulo Buss, pelo diretor do Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS), Carlos Morel, e pelo professor da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) e chefe do Programa Especial sobre Desenvolvimento Sustentável e Equidade em Saúde da Organização Panamericana da Saúde (Opas), Luiz Augusto Galvão, participa do primeiro Fórum Multissetorial sobre Ciência, Tecnologia e Inovação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Fórum de ODSs), na sede das Nações Unidas, em Nova York.
     

  8. Pesquisador da ENSP fala sobre saneamento em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente

    Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), a Casa de Oswaldo Cruz (COC) promoverá a palestra Saneamento: promoção da saúde, qualidade de vida e sustentabilidade ambiental, que contará com a apresentação do pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP/Fiocruz) e coordenador do Centro de Estudos e Pesquisas em Emergências e Desastres em Saúde (Cepedes/Fiocruz), Carlos Machado. A atividade acontecerá às 14h30, no auditório do Museu da Vida. 

  9. Debates, filmes e festa junina no mês do meio ambiente na ENSP

    A um primeiro olhar, o mês de junho pode não combinar muito com meio ambiente, afinal, em que pese a lamúria dos saudosistas, os balões que sobem aos céus para os festejos juninos provocam queimadas e destruição. Os festejos de São João, porém, são também ocasião de se celebrar as tradições populares e a cultura dos povos ligados ao cultivo cuidadoso da terra. É por isso que, na ENSP, entre quitudes e ao som da sanfona, também serão promovidos debates sobre os temas ambientais mais urgentes. Além das discussões, a programação, que se estenderá por todo o mês, contará com uma mostra de curta-metragens, feira agroecológica, música e, como ninguém é de ferro, uma festa junina.

  10. Artigo defende manutenção do calendário olímpico, apesar do zika

    Pesquisadores brasileiros publicaram na revista científica Memórias do Instituto Oswaldo Cruz um artigo de opinião que defende a manutenção do calendário dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro. Assinado por cientistas do Programa de Computação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (PROCC/Fiocruz) e da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro (FGV), o artigo apresenta uma série de evidências científicas que apontam para uma expectativa de baixo número de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti em agosto. Os cientistas argumentam que, considerando o período em que ocorrerão as Olimpíadas, não há motivo suficiente para alterar o calendário do evento, conforme proposto em carta aberta recentemente encaminhada à Organização Mundial da Saúde (OMS).