1. Fiocruz realiza roda de conversa para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra

    Para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, a Fundação Oswaldo Cruz realiza a quarta edição da roda de conversa Trajetórias Negras na Fiocruz em 21 de novembro, das 9h às 12h30, no auditório térreo da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). Trata-se de uma iniciativa do Comitê Fiocruz Pró-Equidade de Gênero e Raça que, este ano completa 10 anos e, desde 2018, tem organizado a atividade, a fim de reunir trabalhadores/as da instituição para discutir representatividade de pessoas negras e ações para o enfrentamento ao racismo institucional. 

  2. Fiocruz faz pesquisa on-line para acompanhar a trajetória de seus ex-alunos

    Ei, você já fez pós-graduação na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)? Então, diga por onde tem andado! Afinal, nossa história se completa... Para acompanhar a trajetória de seus ex-alunos, a Fiocruz está fazendo uma pesquisa com quem estudou em seus cursos de mestrado, doutorado, especializações e residências em saúde no período de 2013 a 2019. Alunos com este perfil recebem um link para o questionário, por e-mail, e têm até o dia 30/11 para responder à pesquisa online — o que só leva cerca de 10 minutos.

  3. Bulling será o próximo tema da Sala de Convidados

    Amanhã — 7 de novembro, quinta-feira — o Canal saúde apresentará o tema Bulling na Sala de convidados, ao vivo, às 11h no Canal Saúde. O programa traz para o debate a psicóloga Wanda Quadra, a diretora da Escola Municipal André Urani do Rio de Janeiro, Marcella Oliveira e a socióloga Dayse Miranda.
     

  4. Fiocruz analisa impactos do derrame de petróleo na saúde

    A Fiocruz vai monitorar o impacto na saúde da população atingida pelo derrame de petróleo no litoral do Nordeste. Um dos principais objetivos da ação é rastrear o risco para pescadores, marisqueiras e grávidas. Para isso, a instituição acaba de criar um grupo de trabalho - com a mobilização de pesquisadores e envolvimento das direções dos institutos e unidades técnico-científicas da Fiocruz da região Nordeste - que se reunirá pela primeira vez nesta terça-feira (5/11), para avaliar o problema e propor soluções. 
     

  5. Para além da cobertura universal: Paulo Buss fala sobre garantia de acesso e melhoria das condições de vida

    Saúde universal implica tanto a cobertura quanto o acesso das pessoas aos serviços. O sistema de saúde brasileiro vai nessa direção. No entanto, ainda há um conjunto de barreiras, geográficas, raciais, de gênero, que precisam ser removidas. A análise é do coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Paulo Buss. Ele avaliou as conquistas alcançadas na Atenção Primária no Brasil e, em nível global, os avanços do conceito de cobertura universal, em direção à proposta de saúde universal, inspirada na Declaração de Alma-Ata. 

  6. Vacinação, avanços e desafios é o tema do Sala de Convidados

    O Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Brasil existe há 45 anos (desde 1973) e é considerado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) referência internacional de política pública de saúde. A população tem acesso gratuitamente a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o país já erradicou doenças, por meio de vacinação, como varíola, febre amarela, sarampo, rubéola e poliomielite.