1. Presidente da Fiocruz recebe título de doutor honoris causa

    O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, foi nomeado doutor honoris causa da Universidade de York (Reino Unido). Os títulos foram entregues a 16 cientistas, humanitaristas e membros influentes da comunidade científica durante cerimônia realizada em 18 de julho, no Reino Unido. Todo ano, a universidade concede o título a pessoas que deram uma contribuição significativa à sociedade. Gadelha foi eleito em função do importante papel que desempenhou na pesquisa, na advocacia em saúde e na formulação de políticas da saúde na América Latina e em outros continentes.

  2. Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente realiza oficinas pedagógicas durante a Reunião da SBPC

    A Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente (OBSMA), projeto educativo da Fiocruz, participa da 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), oferecendo oficinas pedagógicas para professores do ensino básico de Rio Branco. Na capital do Acre os minicursos terão duração total de oito horas e serão oferecidos para duas turmas, no período de 23 a 26 de julho de 2014 na Universidade Federal do Acre (UFAC).

  3. Fiocruz lamenta acidente com avião na Ucrânia

    A Fiocruz lamenta profundamente a morte das 298 pessoas que estavam no avião que caiu na Ucrânia, nesta quinta-feira (17/7). Dos passageiros, 108 eram pesquisadores, ativistas e membros de ONGs que participariam da 20ª Conferência Mundial de Aids, em Melbourne, na Austrália, neste fim de semana. Suspeita-se que o avião tenha sido abatido por um míssil.

  4. Universidade de York e Fiocruz promovem workshop na Inglaterra sobre saúde pública

    A vice-diretora de Pesquisa, Educação e Divulgação Científica da Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), Magali Romero Sá, e o editor científico da revista História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Jaime Benchimol, participam nos dias 18 e 19 de julho do workshop Public Health in the Caribbean and Latin America: a past perspective, na Universidade de York, na Inglaterra. O evento é promovido em conjunto pela instituição britânica e pela Fiocruz.

  5. Fiocruz recebe doações para a biblioteca da comunidade do Morro do Querosene

    O Comitê das Entidades contra Fome e Pela Vida (Coep), que tem a Fiocruz como sócio-fundadora, solicita aos funcionários, alunos, visitantes e colaboradores da Fiocruz, a contribuição de livros infantis e juvenis para formação de uma biblioteca na Comunidade do Morro do Querosene. Além de livros, a Coep, também solicita apoio para a aquisição de lápis de cor, lápis de cera e papel para o início de uma escolinha de artes no local. Instrumentos musicais, mesmo quebrados, também podem ser doados.

  6. Fiocruz e Instituto Pasteur lançam chamada de projetos 2014

    Foi lançado o edital de chamada para proposta de projetos 2014 do programa do Instituto Pasteur em conjunto com a Fiocruz. O objetivo principal do programa é facilitar o início e o desenvolvimento de colaborações em áreas prioritárias de pesquisa translacional e saúde pública. As áreas prioritárias para esta chamada são: neurociência; biologia integrada; e doenças crônicas relacionadas com doenças infecciosas. As inscrições vão até 30 de setembro de 2014.

  7. Artigo destaca relevância da experimentação animal em pesquisas

    O presidente da Fundação Oswaldo Cruz, Paulo Gadelha, e o diretor do Instituto Oswaldo Cruz, Wilson Savino, publicaram artigo no jornal O Globo, na segunda-feira (14/7). Com o título, Em benefício da vida, o texto aborda a experimentação animal em pesquisas, destacando a falta de informação que ainda vigora em relação ao tema e a importância do uso de animais para a elucidação de processos biológicos, a descoberta de novos medicamentos, vacinas e tratamentos. “Parar a experimentação animal em pesquisas significaria um retrocesso para a ciência e uma perda para a saúde da população e para o próprio campo da veterinária. Cabe aos pesquisadores e às instituições manterem o compromisso de responsabilidade e ética com os animais”, diz o texto.

  8. Saúde das mulheres: movimentos sociais apontam avanços e retrocessos

    O Censo Demográfico de 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que, dos aproximadamente 190 milhões de brasileiros, mais da metade são mulheres (cerca de 97 milhões ao todo). Em que medida as especificidades dessa expressiva parcela da população do país são levadas em consideração quando tratamos das ações e políticas públicas na área da saúde? Analisar esta questão ganha ainda mais relevância por conta do Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher, celebrado em 28 de maio e instituído há 30 anos, durante o 4º Encontro Internacional da Mulher e Saúde, na Holanda. Na ocasião, o Tribunal Internacional de Denúncia e Violação dos Direitos Reprodutivos revelou que a mortalidade materna era um grave problema de saúde pública em quase todo o mundo. Por isso, a data foi definida com o objetivo de chamar a atenção globalmente para entraves à saúde feminina e defender os direitos sexuais e reprodutivos das mulheres.

  9. Reciis celebra sete anos abordando 'Acesso Livre e Repositórios Institucionais'

    Já está no ar a Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis/Icict). Para comemorar os sete anos do periódico científico do Icict, o tema escolhido foi “Acesso Livre e Repositórios Institucionais”. A edição binacional tem como editoras convidadas Cícera Henrique da Silva, professora e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde (PPGICS/Icict), e Maria Manuel Borges, pesquisadora do Departamento de Filosofia, Comunicação e Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, Portugal.

  10. Portal indica cenários futuros para saúde no Brasil

    Em 2012, a Fiocruz, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE) e o Ministério da Saúde se reuniram em um esforço conjunto para tornar públicos estudos de especialistas em diversas áreas, que apresentam uma prospecção sobre o sistema de saúde no país para os próximos anos. Esse trabalho resultou no livro A Saúde no Brasil em 2030: diretrizes para a prospecção estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro, que traçou diretrizes possíveis a partir das óticas “Otimista e Possível”, “Pessimista e Plausível” e “Inercial e Provável”. A iniciativa agora alcança uma nova etapa de mapeamento e divulgação dos rumos da saúde no Brasil. As instituições parceiras lançaram o portal Saúde Amanhã, um instrumento de apoio à gestão estratégica do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir do acompanhamento das transformações do setor.