1. Em busca de novas estratégias de vigilância para dengue, Zika e chikungunya

    Desafios para a saúde pública, o controle e a vigilância das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti são prioridades do Projeto ArboAlvo, liderado pelo Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) e pelo Programa de Computação Científica da Fiocruz (PROCC). A iniciativa busca o desenvolvimento de uma metodologia para estratificação do território em áreas de risco de transmissão dos vírus dengue, Zika e chikungunya, com base em parâmetros epidemiológicos, entomológicos, ambientais e sociodemográficos em cidades endêmicas para essas arboviroses. 
     

  2. Como e Por que as Desigualdades Fazem Mal à Saúde

    Aliando praticidade a novos formatos literários, a Editora Fiocruz lançou seu segundo e-book interativo: Como e Por Que as Desigualdades Sociais Fazem Mal à Saúde. O livro de autoria de Rita Barradas Barata, que teve sua primeira edição impressa em 2009, apresenta breves considerações teóricas sobre a temáticadas desigualdades sociais em saúde, apontando correntes e tendências existentes na pesquisa epidemiológica sobre o assunto.
     

  3. 'A Saúde no Brasil em 2030': livro da Fiocruz alcança mais de 300 mil downloads

    O interesse sobre o futuro do Sistema Único de Saúde (SUS) tem levado pesquisadores, professores, estudantes e a população em geral a buscar fontes de informação relevantes e confiáveis sobre o tema. Prova disso são os mais de 300 mil downloads do livro "A Saúde no Brasil em 2030: Diretrizes para a Prospecção Estratégica do Sistema de Saúde Brasileiro", que de acordo com o último levantamento da plataforma Scielo Livros chegou a marca de 333.363 downloads, em acesso aberto e comercial, até novembro de 2018.

  4. Fiocruz lança coleção temática sobre saúde e meio ambiente

    A Fiocruz lançou uma série de coleções temáticas, chamada Documentos Institucionais, em evento realizado na área do Castelo Mourisco, no dia 12 de dezembro. A primeira coleção tem como tema Saúde, Ambiente e Sustentabilidade e conta com a participação de diversos pesquisadoras da Escola Nacional de Saúde Publica Sergio Arouca (ENSP). Organizador da obra, o pesquisador da Fiocruz Guilherme Franco Netto, destaca que o processo de organização do material foi um trabalho de várias instituições e envolveu cerca de 400 pessoas.

  5. Fiocruz ganha Prêmio ODS Brasil 2018

    A Plataforma Tecnológica para o Monitoramento Participativo de Emergência de Zoonoses, coordenada pela pesquisadora Márcia Chame, foi uma das iniciativas vencedoras do Prêmio ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) Brasil 2018 na categoria Ensino, Pesquisa e Extensão, conferido pela Secretaria de Governo da Presidência da República. A cerimônia foi realizada na última quinta-feira, 13/12, no Palácio do Planalto, em Brasília.

  6. Paulo Amarante: Nova Política Nacional de Saúde mental é 'retorno à política de mercantilização da vida'

    O coordenador do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Saúde Mental e Atenção Psicossocial da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Laps/ENSP/Fiocruz), o sanitarista Paulo Amarante, analisa os prejuízos à democracia com a instalação da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Nova Política Nacional de Saúde Mental. A frente foi criada em novembro de 2018, inicialmente composta por 228 deputados e 4 senadores.

  7. ‘Como eliminar a Malária?’ é o tema do Sala de Convidados

    A incidência do número de casos de malária vinha caindo de 2010 a 2015. O relatório anual das Organizações das Nações Unidas (OMS), divulgado esse mês, mostra que a doença voltou a crescer, principalmente em países africanos. De acordo com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, as ações de combate estão estagnadas por falta de investimento em programas de prevenção e tratamento.
     

  8. Pesquisadora da ENSP participa de evento global sobre clima e seus impactos na saúde

    No momento em que líderes mundiais se reúnem na Polônia, para discutir as mudanças climáticas, na COP 24, cientistas, organizações e pessoas em todo mundo se mobilizaram para alertar sobre os impactos do aquecimento global na saúde durante as "24 horas de realidade". "A crise climática é uma crise de saúde. Onde há população humana, os impactos das mudanças climáticas são sentidos na vida e na saúde das pessoas", explica Sandra Hacon, pesquisadora da ENSP/Fiocruz, que participou do encontro durante a 18ª hora, dedicada ao Brasil e à América do Sul.