1. Fiocruz pra Você vacina crianças e adolescentes neste sábado (24)

    Menores de 5 anos, crianças e adolescentes, entre 7 e 14 anos, são o público-alvo da 23ª edição do Fiocruz pra Você, evento de vacinação que acontece neste sábado (24/9), de 8h às 17h. Haverá dois postos no campus da Fundação, em Manguinhos. A campanha visa atualizar o cartão de vacinação. O evento integra as ações do Dia D da campanha nacional de vacinação do Ministério da Saúde, que vai até 30 de setembro. Confira a programação completa. 

  2. Voltando ao normal: uma crítica à redução dos espaços de normalidade no mundo

    Os pesquisadores e professores Paulo Amarante e Fernando de Freitas apresentam suas considerações sobre o livro "Voltando ao normal", de Allen Frances, editado em 2014 e que acaba de ser lançado no Brasil. Frances esteve no Rio de Janeiro em 14 e 15/9/2016 para divulgar a obra, na palestra A clínica contemporânea e a medicalização da vida. A partir do que vivenciou como autoridade em diagnóstico psiquiátrico, ele faz no livro uma crítica de como a Psiquiatria vem reduzindo cada vez mais os espaços da normalidade na vida contemporânea.
     

  3. Sala de Convidados debate: Eleições Municipais e Saúde

    Com a eleição para a Prefeitura e a Câmara dos Vereadores se aproximando, os eleitores demonstram indignação diante da corrupção e estão desacreditados da classe política. Este é o cenário refletido no levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), em que 54% dos entrevistados estão inclinados a votar em candidatos que nunca exerceram cargo político. A aposta parece estar na renovação das pessoas que cuidarão do município, sobretudo das áreas que se mantém no topo da lista de prioridades: Saúde, Educação e Segurança. O assunto será debatido pela diretora do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde - Cebes, Lucia Souto; pelo assessor técnico do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do RJ - Cosems RJ, Manoel Santos; e pela pesquisadora do Instituto de Estudos em Saúde Coletiva/UFRJ e da Comissão de Política, Planejamento e Gestão da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - Abrasco, Ligia Bahia. 

  4. Pensar e Construir o Futuro: Saúde Amanhã

    Muitos admitem que tempos de instabilidade não permitem exercícios sobre o longo prazo. Frases que sublinham inescrutabilidade do futuro, tamanhas as incertezas que o cercam, do tipo "apenas sei que amanhã estaremos todos mortos", atribuem a tempos como esses que o Brasil trafega no ano de 2016 a confirmação de suas proposições. Fracassos nas projeções econômicas só fazem forçar essas teses. Entretanto, esquecem-se de que pensar sobre o futuro é radicalmente distinto de prever o futuro, embora para diversas dimensões econômicas, políticas e sociais, graus de maior previsibilidade também possam ser esboçados. Pensar o futuro, na realidade, é construir um programa de ação. E como disse Gramsci, prever pode significar "somente ver bem o presente e o passado enquanto movimento: ver bem, isto é, identificar os pontos fundamentais e permanentes no processo". Talvez possamos afirmar que seja justamente em períodos de alta turbulência que se torne mais necessária a afirmação de horizontes desejáveis, para que, cessada a tormenta, não tenhamos perdido o rumo de nosso destino.

  5. Editora Fiocruz: chamada pública para propostas de livros prorrogada até 23/9

    Foi prorrogado até 23 de setembro o prazo para envio de propostas de livros para a nova coleção Fazer Saúde da Editora Fiocruz. Quem já submeteu sua proposta pode, se assim desejar, enviar nova versão atualizada - será considerado para avaliação o documento recebido por último. A Editora Fiocruz está à disposição para o esclarecimento de quaisquer dúvidas. A coleção Fazer Saúde se destina a um público multiprofissional, atuante em diferentes espaços da atenção à saúde e da gestão do Sistema Único de Saúde (SUS). Com esta coleção, a Editora Fiocruz pretende contribuir para a qualificação dos profissionais de saúde, publicando livros que estimulem o diálogo entre os docentes, os pesquisadores e os trabalhadores que atuam diretamente sobre os problemas e as necessidades de saúde da população brasileira, favorecendo o intercâmbio de conhecimentos e experiências.

  6. 'Paralimpíada: Inclusão ou Exclusão?' é o tema do Sala de Convidados na terça-feira (13/9)

    O Rio de Janeiro está recebendo os Jogos Paralímpicos e o evento ajuda a jogar luz sobre as questões relativas à acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência. Criados em 1960 com a ideia de reabilitar militares feridos na Segunda Guerra Mundial, as Paralimpíadas cresceram e hoje vão além, fazendo refletir sobre os direitos das pessoas com deficiência como um todo.

  7. No rastro da nova direita

    "Aumentou o número de militantes de direita que fazem trabalho de base”. A observação é da doutoranda em Ciência Política na Universidade de São Paulo (USP), Camila Rocha. De fato, até pouco mais de dois anos atrás, pensar em protestos no Brasil remetia a trabalhadores organizados, sindicatos ou movimentos sociais e alguns partidos políticos reivindicando direitos. A esquerda, num sentido amplo, era quase hegemônica na pauta desses grupos. Se a direita tradicional brasileira nos últimos tempos praticamente não deixava seus escritórios para operar a política, os novos grupos que ganharam visibilidade nas mobilizações pelo impeachment tiveram a capacidade de movimentar massas que fizeram das ruas um espaço de pressão e demonstração de forças. Reunidos sob o guarda-chuva da retirada de Dilma Rouseff da presidência, e com os aplausos dos partidos tradicionais da direita, as manifestações deram lugar a uma gama de pleitos em gradações diversas de conservadorismo – da intervenção militar ao Estado mínimo, passando por distorções caricatas do Partido dos Trabalhadores (PT) e da esquerda no país. Mas trata-se de uma nova direita? Seguindo os rastros dos principais grupos e ouvindo pesquisadores, a Poli mostra, nesta reportagem, que a resposta não é tão simples.

  8. Seminário destaca importância da Fiocruz para Agenda 2030

    A Fiocruz, enquanto instituição estratégica de Estado, por sua história e pelas particularidades de sua atuação, tem importância fundamental para o cumprimento da Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável, assim como para assegurar que sua implantação seja participativa, comprometida ao máximo com as causas sociais e orientada por uma visão de desenvolvimento solidária e plural. Foram estas algumas das conclusões do seminário A Fiocruz na Agenda 2030, realizado (1°/9) na Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), no campus da Fundação em Manguinhos. Dando prosseguimento às atividades do Grupo de Trabalho (GT) criado em junho para adotar a agenda das Nações Unidas no âmbito das atividades da Fiocruz, o seminário reuniu pesquisadores e dirigentes da Fundação, uma representante do governo federal e um enviado das Nações Unidas, contando com ampla adesão do público e ocorrendo ao longo de todo o dia.

  9. Seminário discute política de acessibilidade na Fiocruz

    Passo inicial na construção de uma política institucional de acesso da pessoa com deficiência na Fiocruz, o seminário Inclusão e acessibilidade da Pessoa com Deficiência e os desafios para o trabalho digno ultrapassou a lotação máxima de 80 pessoas na plateia do salão internacional da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) em 29/8. O evento foi organizado pelo Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural (Dhis/Ensp), pela Vice-Presidência de Ambiente, Atenção, e Promoção da Saúde (VPAAPS) em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG).

  10. Fiocruz ilumina castelo de amarelo na luta contra o suicídio

    O Castelo da Fiocruz ficará iluminado de amarelo durante todo o mês de setembro. O objetivo é valorizar a vida e chamar a atenção para o suicídio que, apesar de ser responsável por 32 mortes por dia no Brasil, ainda é tratado como tabu pela sociedade. Para a Fiocruz, este é um problema de saúde pública e a estatística somente será reduzida com esclarecimento e prevenção. Confira o Especial Suicídio da Agência Fiocruz de Notícias.