1. Sanitarista da ENSP comenta o financiamento das políticas sociais brasileiras

    No seminário Políticas Sociais e Pleno Emprego: A Teoria Moderna da Moeda como alternativa, promovido pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE), especialistas comentaram o financiamento das políticas sociais e a economia vigente atualmente. A sanitarista, pesquisadora da ENSP e atual presidente do Cebes, Lucia Souto, também comentou o tema: "Esse é um debate muito importante para o momento que estamos vivendo no Braisl: uma encruzilhada civilizatória. O exemplo do Chile nos traz esperança, pois eles perderam tudo, até o medo de protestar. Portanto, é possível ter uma outra proposta de sociedade", ouça a fala de Lucia.  Acesse também a lista completa de comentários de especialistas da área que participaram do encontro. 

  2. 'Não existe limite seguro para exposição ao benzeno', aponta parecer técnico

    A ENSP acaba de instituir um grupo de trabalho para acompanhamento e assessoria científica em casos de exposição ocupacional ou ambiental ao benzeno. A decisão, publicada em portaria nesta sexta-feira, 13/12, surgiu a partir de uma demanda da Câmara Municipal do Rio de Janeiro sobre a tentativa de instalação de um posto de gasolina ao lado de uma escola na Barra da Tijuca, que concentra aproximadamente 400 crianças e adolescentes, além de 150 funcionários. O parecer técnico elaborado pelo grupo de trabalho recomenda, de maneira veemente, que postos de revenda de combustível construídos em centro urbanos atendam a uma distância mínima de 300 metros de qualquer edificação.

  3. Financiamento privado e características hospitalares no setor público aumentam chance de cesárea eletiva

    Algumas características hospitalares estão estritamente associadas à ocorrência da cesárea eletiva (quando a mãe faz a escolha pela cirurgia cesariana sem necessidade prévia, como riscos para o bebê ou para a gestante e possíveis complicações na gestação e no parto) na Região Sudeste do Brasil. É o que aponta artigo publicado nos Cadernos de Saúde Pública.

  4. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  5. Pesquisa da ENSP demonstra que acesso a serviços de parto reduzem mortalidade neonatal

    O período neonatal precoce representa cerca de metade dos óbitos em crianças com menos de um ano de idade, e o near miss neonatal é capaz de identificar os fatores identificados por esse número elevado de mortes. Um estudo da ENSP demonstrou que o near miss neonatal está relacionado ao acesso aos serviços de saúde para o parto, complicações gestacionais e idade materna avançada. O conceito de near miss neonatal significa “quase morte, sobrevivência a uma complicação grave, ocorrida durante a gravidez”.
     

  6. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  7. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa. 

  8. ‘Dispositivos eletrônicos para fumar também matam’, alerta Inca

    O Inca acaba de publicar um alerta sobre os riscos do uso dos dispositivos eletrônicos para fumar (DEF), também conhecidos como cigarros eletrônicos. Com a nota, o Inca reafirma seu total apoio à manutenção da RDC, da Anvisa, nº 46 de 2009, que proíbe a comercialização, importação e propaganda de quaisquer DEF para fumar. A cada dia, mais países registram mortes relacionadas ao uso do cigarro eletrônico. O Observatório sobre as Estratégias da Indústria do Tabaco, do Cetab/ENSP, adverte, ainda, que os DEF são um engano das indústrias, uma tática para manter seus produtos no mercado, em especial porque eles são diferentes, coloridos e com vários aditivos que mascaram o sabor e o odor da fumaça, sendo porta de entrada para um público jovens e infantil. Confira a publicação do Inca e algumas pesquisas da ENSP sobre o tema.