1. Primeira edição do ano do 'Cadernos de Saúde Pública' está no ar

    A primeira edição de 2020 do Cadernos de Saúde Pública está no ar. O editorial destaca o 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (CBCSHS), que abordou o tema “Igualdade nas diferenças: enfrentamentos na construção compartilhada do bem viver e o SUS”. A publicação contempla vários artigos que tratam de consumo de drogas, insegurança alimentar, tratamento de câncer, Estratégia de Saúde da Família, acidentes de trabalho, Conselho de Saúde, entre outros. 
     

  2. Primeira edição do ano do 'Cadernos de Saúde Pública' está no ar

    A primeira edição de 2020 do Cadernos de Saúde Pública está no ar. O editorial destaca o 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (CBCSHS), que abordou o tema “Igualdade nas diferenças: enfrentamentos na construção compartilhada do bem viver e o SUS”. A publicação contempla vários artigos que tratam de consumo de drogas, insegurança alimentar, tratamento de câncer, Estratégia de Saúde da Família, acidentes de trabalho, Conselho de Saúde, entre outros. 
     

  3. Sanitarista da ENSP comenta o financiamento das políticas sociais brasileiras

    No seminário Políticas Sociais e Pleno Emprego: A Teoria Moderna da Moeda como alternativa, promovido pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE), especialistas comentaram o financiamento das políticas sociais e a economia vigente atualmente. A sanitarista, pesquisadora da ENSP e atual presidente do Cebes, Lucia Souto, também comentou o tema: "Esse é um debate muito importante para o momento que estamos vivendo no Braisl: uma encruzilhada civilizatória. O exemplo do Chile nos traz esperança, pois eles perderam tudo, até o medo de protestar. Portanto, é possível ter uma outra proposta de sociedade", ouça a fala de Lucia.  Acesse também a lista completa de comentários de especialistas da área que participaram do encontro. 

  4. Sanitarista da ENSP comenta o financiamento das políticas sociais brasileiras

    No seminário Políticas Sociais e Pleno Emprego: A Teoria Moderna da Moeda como alternativa, promovido pelo Centro de Estudos Estratégicos da Fiocruz (CEE), especialistas comentaram o financiamento das políticas sociais e a economia vigente atualmente. A sanitarista, pesquisadora da ENSP e atual presidente do Cebes, Lucia Souto, também comentou o tema: "Esse é um debate muito importante para o momento que estamos vivendo no Braisl: uma encruzilhada civilizatória. O exemplo do Chile nos traz esperança, pois eles perderam tudo, até o medo de protestar. Portanto, é possível ter uma outra proposta de sociedade", ouça a fala de Lucia.  Acesse também a lista completa de comentários de especialistas da área que participaram do encontro. 

  5. 'Não existe limite seguro para exposição ao benzeno', aponta parecer técnico

    A ENSP acaba de instituir um grupo de trabalho para acompanhamento e assessoria científica em casos de exposição ocupacional ou ambiental ao benzeno. A decisão, publicada em portaria nesta sexta-feira, 13/12, surgiu a partir de uma demanda da Câmara Municipal do Rio de Janeiro sobre a tentativa de instalação de um posto de gasolina ao lado de uma escola na Barra da Tijuca, que concentra aproximadamente 400 crianças e adolescentes, além de 150 funcionários. O parecer técnico elaborado pelo grupo de trabalho recomenda, de maneira veemente, que postos de revenda de combustível construídos em centro urbanos atendam a uma distância mínima de 300 metros de qualquer edificação.

  6. Financiamento privado e características hospitalares no setor público aumentam chance de cesárea eletiva

    Algumas características hospitalares estão estritamente associadas à ocorrência da cesárea eletiva (quando a mãe faz a escolha pela cirurgia cesariana sem necessidade prévia, como riscos para o bebê ou para a gestante e possíveis complicações na gestação e no parto) na Região Sudeste do Brasil. É o que aponta artigo publicado nos Cadernos de Saúde Pública.

  7. 'Despesas com consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram 9,2% do PIB', aponta relatório

    Com dados que permitem traçar um panorama dos recursos e usos da saúde e de sua evolução ao longo do período compreendido entre 2010 e 2017, o IBGE, a ENSP, o Ministério da Saúde, a ANS, e o Ipea acabam de lançar o relatório Conta Satélite de Saúde 2010-2017, fruto de esforços interinstitucionais, cujo objetivo é gerar um conjunto de informações que possibilita conhecer o perfil das atividades de saúde no Brasil e contribui para a sua valoração. A publicação indica que ‘as despesas com o consumo final de bens e serviços de saúde no Brasil atingiram R$ 608,3 bilhões em 2017, correspondendo a 9,2% do PIB. Desse total, R$ 253,7 bilhões (3,9% do PIB) foram despesas de consumo do governo e R$ 354,6 bilhões (5,4% do PIB) despesas de famílias e instituições sem fins de lucro a serviço das famílias’. A pesquisadora da ENSP, Angélica Batista faz parte da pesquisa.