1. Publicação recebe artigos sobre questões ambientais para número especial

    A Revista Ciência & Saúde Coletiva está recebendo artigos para seu número temático sobre questões ambientais relacionadas à água e aos efeitos sobre a saúde. A água é um recurso fundamental para todas as ações humanas e para a saúde ambiental do planeta. Em várias partes do mundo há casos de escassez, entendida pela relação desigual entre a oferta e a demanda por água de qualidade adequada para o cumprimento de determinada função. Inclui, portanto, elementos sobre a quantidade e a qualidade do recurso.

  2. Estudo analisa tendências da mortalidade por câncer de mama no RJ

    O câncer de mama merece especial atenção entre as neoplasias, pois se destaca como a segunda localização mais frequente em mulheres em todo o mundo e a primeira em mulheres ocidentais. Segundo estimativas do projeto Globocan (OMS), o câncer de mama é responsável por 25% dos 14,1 milhões de novos casos de câncer no mundo. No Brasil, estima-se que 57.120 novos casos de câncer de mama foram diagnosticados em 2014. Com o objetivo de analisar as taxas de mortalidade por câncer de mama em mulheres com menos de 60 anos ou mais de 60 anos, nas diferentes regiões do estado do Rio de Janeiro, as pesquisadoras do Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos da ENSP Inês Echenique Mattos e Daniele Bittencourt Ferreira desenvolveram o artigo Tendência da mortalidade por câncer de mama em mulheres no estado do Rio de Janeiro, Brasil, 1996-2011. O estudo aponta uma discreta redução nas taxas de mortalidade para câncer de mama e destaca que as taxas das idosas foram bem mais altas que as das mais jovens, nas diferentes localidades analisadas.

  3. 2° DSSA Debate discutirá limpeza das praias e emissário submarino

    O Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP promove, no próximo dia 28/4, o debate Praias limpas e emissario submarino de esgotos, problema ou solução? O evento, segundo de uma série de discussões que o departamento realiza na Escola, contará com a palestra dos pesquisadores Renato Castiglia Feitosa, da ENSP, Marize Pereira Miagostovich, do IOC e Julio César F.A Wasserman, da UFF. Paulo Rubens Guimarães Barrocas, da ENSP, coordenará a mesa. Clementina dos Santos Feltmann, também da Escola, é a coordenadora do evento. A atividade é aberta a todos os interessados e as vagas são limitadas.

     

  4. Chamada pública para número temático da revista Visa em Debate: até 30 de agosto

    Está aberta a chamada pública para número temático da Revista Visa em Debate. Como o risco sanitário é percebido e os instrumentos de regulação são exercidos nos diferentes contextos culturais? Esta questão abre um novo campo de debates, significativo para a vigilância sanitária. Com tema Diversidades culturais e riscos sanitários, a data final para submissão dos trabalhos é 30 de agosto de 2015.

  5. Dengue e Chikungunya são a pauta do próximo Sala de Convidados

    O Sala de Convidados vai falar sobre a dengue e a febre chikungunya na terça-feira (14/4), ao vivo, às 11h, no Canal Saúde. O número de casos de dengue no país, que havia caído em 2014, voltou a subir com intensidade no primeiro bimestre de 2015. Segundo dados do Ministério da Saúde, houve um aumento de 139% nas notificações de casos da doença. Já a chikungunya, que tem sintomas semelhantes e é transmitida pelo mesmo vetor da dengue, o mosquito Aedes aegypti, teve um registro de 1.049 casos até 7 de março do mês passado.

  6. Cecovisa alerta para redução do uso de agrotóxicos para evitar câncer

    O novo boletim do Centro Colaborador em Vigilância Sanitária da ENSP alerta para a recomendação do Instituto Nacional do Câncer (Inca) para a redução do uso de agrotóxicos para previnir câncer. Em documento, o instituto ressaltou os riscos dessas substâncias para a saúde e para a incidência da doença. A publicação aborda ainda as novas advertências nas embalagens de produtos derivados do tabaco e a questão da segurança alimentar, tema escolhido para o Dia Mundial da Saúde em 2015. 

  7. Publicação recebe artigos sobre questões ambientais para número especial

    A Revista Ciência & Saúde Coletiva está recebendo artigos para seu número temático sobre questões ambientais relacionadas à água e aos efeitos sobre a saúde. A água é um recurso fundamental para todas as ações humanas e para a saúde ambiental do planeta. Em várias partes do mundo há casos de escassez, entendida pela relação desigual entre a oferta e a demanda por água de qualidade adequada para o cumprimento de determinada função. Inclui, portanto, elementos sobre a quantidade e a qualidade do recurso.

  8. Nanomateriais: abrangência da tecnologia gera diversos produtos

    Reconhecida como o estudo de manipulação da matéria numa escala atômica e molecular, a nanotecnologia vem causando uma revolução tecnológica no mundo. As inúmeras potencialidades de produtos e serviços que podem ser desenvolvidos por meio da escala nanométrica têm alertado pesquisadores a respeito das relações entre a saúde e os nanomateriais, além das implicações que esse campo pode trazer para o meio ambiente e a sociedade. O pesquisador do Centro de Estudos em Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh) William Waissmann, atento ao assunto, coordenou uma pesquisa que gerou diversos materiais de divulgação, com ênfase nas aplicações da nanotecnologia em alimentos, biocombustíveis, medicamentos, cosméticos e outros produtos ligados à saúde. Entre eles, estão livro, vídeo, site e uma revista em quadrinhos sobre as aplicações da tecnologia que, para ele, depois da idade do bronze, do ferro e do silício, representa uma nova era.

  9. Ciência e Saúde Coletiva fala de vigilância de doenças crônicas

    O volume 20, número 3, da revista Ciência e Saúde Coletiva já está disponível on-line. A edição tem como tema a vigilância de doenças crônicas e violências, encarado como um dos grandes desafios contemporâneos no campo da saúde. Os artigos abordam a necessidade de se investir nesse tipo de vigilância em um contexto de envelhecimento populacional, males causados pelas mudanças climáticas e aumento nos fatores de risco para doenças crônicas e violências.