1. Publicação denuncia 'múltiplas vozes' da indústria do tabaco

    O cigarro mata, mas seu processo de produção também estrangula uma vultosa cadeia que envolve pequenos produtores rurais em busca da sobrevivência e políticas de saúde pública e controle do tabagismo. Um trabalho investigativo dos jornalistas João Peres e Moriti Neto descortinou a atuação das transnacionais do tabaco e resultou no livro Roucos e Sufocados: a indústria está viva, e matando, no qual os autores retratam o lobby em defesa do cigarro.

  2. Publicação denuncia 'múltiplas vozes' da indústria do tabaco

    O cigarro mata, mas seu processo de produção também estrangula uma vultosa cadeia que envolve pequenos produtores rurais em busca da sobrevivência e políticas de saúde pública e controle do tabagismo. Um trabalho investigativo dos jornalistas João Peres e Moriti Neto descortinou a atuação das transnacionais do tabaco e resultou no livro Roucos e Sufocados: a indústria está viva, e matando, no qual os autores retratam o lobby em defesa do cigarro.

  3. Desigualdades sociais: Cine Saúde tratará da temática em nova exibição nesta quinta-feira

    A quinta edição do Cine Saúde trará o filme Que horas ela volta?, uma história que trata dos conflitos entre uma empregada doméstica e seus patrões de classe alta, criticando as desigualdades da sociedade brasileira. A sessão está marcada para o dia 30/8, às 14h, na sala Mário Sayeg (gaiola), ao lado do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria da ENSP.  

  4. Ministério da Saúde lança serviço de combate à Fake News

    Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério da Saúde, de forma inovadora, abre mais um canal de comunicação com a população. Qualquer cidadão brasileiro poderá adicionar gratuitamente no celular o WhatsApp do Ministério da Saúde - (61) 99289-4640. Ele servirá exclusivamente para verificar com os profissionais de saúde nas áreas técnicas da Pasta se um texto ou imagem que circula nas redes sociais é verdadeiro ou falso. Ou seja, é um canal exclusivo e oficial para desmascarar as notícias falsas e certificar as verdadeiras.

  5. Pesquisador da ENSP lança publicação sobre patologização e medicalização da vida

    Com o objetivo de alertar que a patologização e medicalização da vida trata-se de uma invasão em nosso cotidiano, inescapável, o pesquisador da ENSP e coordenador do Laboratório de Atenção Psicossocial da ENSP, Paulo Amarante, organizou – em parceria com Ana Maria Fernandes Pitta e Walter Ferreira de Oliveira - o livro Patologização e medicalização da vida: epistemologia e política. A publicação, que reúne 11 artigos de diferentes especialistas da área, foi lançada durante o 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva.

  6. Centro de Estudos analisa efeitos da radiação de celulares e antenas na saúde nesta quarta-feira (22/8)

    Segundo dados da Pnad C, divulgada pelo IBGE em fevereiro deste ano, 77,1% dos brasileiros possuem celular. No entanto, as radiações emitidas pelos aparelhos e antenas podem provocar danos à saúde e ao ambiente? O questionamento estará na pauta do próximo Ceensp, a ser realizado na quarta-feira, dia 22 de agosto. Com o tema Efeitos nocivos da radiação não ionizante de celulares e antenas de telefonia na saúde, o evento, aberto ao público, está marcado para as 14h no salão internacional.

  7. Centro de Estudos analisa efeitos da radiação de celulares e antenas na saúde nesta quarta-feira (22/8)

    Segundo dados da Pnad C, divulgada pelo IBGE em fevereiro deste ano, 77,1% dos brasileiros possuem celular. No entanto, as radiações emitidas pelos aparelhos e antenas podem provocar danos à saúde e ao ambiente? O questionamento estará na pauta do próximo Ceensp, a ser realizado na quarta-feira, dia 22 de agosto. Com o tema Efeitos nocivos da radiação não ionizante de celulares e antenas de telefonia na saúde, o evento, aberto ao público, está marcado para as 14h no salão internacional.

  8. Sala de Convidados fala sobre Cannabis Medicinal

    Diversos usos medicinais de substâncias da Cannabis sativa, a planta da maconha, já são comprovados e ajudam a aliviar o sofrimento e proporcionar mais qualidade de vida a pacientes com doenças como dor crônica, câncer, glaucoma e epilepsia. A porta para a utilização legal de medicamentos produzidos a partir da Cannabis no Brasil foi aberta em 2015, a partir de ações judiciais que obrigaram o Ministério da Saúde a importar medicamentos à base de canabidiol.