1. PNUD lança concurso para reconhecer as melhores práticas de negócios inclusivos no Brasil

    A trajetória de crescimento e de competitividade do mercado brasileiro só pode ser sustentável no longo prazo se tomadores de decisão no setor privado e na esfera das políticas públicas conseguirem lidar de maneira exitosa com a diminuição das desigualdades”, resumiu a oficial de programa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Jenny Karlsen, ao explicar a ideia inicial para a criação da Iniciativa Incluir. Esta plataforma de diálogo e de troca de conhecimentos permitirá que empresas, associações empresariais, acadêmicos e formuladores de políticas públicas se juntem e desenvolvam laços à favor das melhores práticas de inclusão por meio de seus negócios.

  2. Estudo avalia contaminação de zonas balneáveis

    Os emissários submarinos de esgotos são adotados como destino final de efluentes domésticos em virtude da eficiência oceânica na depuração da matéria orgânica. A avaliação do impacto provocado pelo lançamento desses efluentes pode auxiliar a tomada de decisão quanto ao ponto de lançamento ideal, a delimitação das áreas impactadas, e a probabilidade de contaminação das zonas balneáveis. O pesquisador do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental (DSSA/ENSP) Renato Castiglia Feitosa trabalha na avaliação da contaminação de águas costeiras por emissários submarinos de esgotos. 

  3. Condecoração aos ex-presidentes dos Congressos de Epidemiologia

    Antes do início da conferência da manhã do último dia (10/9), proferida pelo professor Maurício Lima Barreto, a Abrasco e a Comissão Científica de Epidemiologia resolveram abrir um espaço na programação para relembrar grandes nomes centrais na história do evento. “Temos uma longa tradição de congressos, não só os de epidemiologia, mas o nosso grande congresso brasileiro de Saúde Coletiva, o Abrascão, o de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, fora os simpósios de alguns dos grupos temáticos, sempre com o objetivo de incentivar a troca e a difusão do conhecimento.

  4. Epivix debate os temas mais importantes da saúde no Brasil

    O penúltimo dia (9/9) do 9º Congresso Brasileiro de Epidemiologia começou falando de diabetes, Maria Inês Schmidt proferiu, pela manhã, a conferência ‘A epidemia do diabetes – um desastre em câmara lenta?’. Nas Mesas Redondas os temas foram Saúde urbana, Cesáreas e nascimento pre termo, Populações e doenças negligenciadas, Metas do plano para controle das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil e no Mundo, Desigualdades em saúde no Brasil: Métodos e Evidência, Mudanças climáticas, Carga global de morbidade psiquiátrica e ainda Metodologias de pesquisa para HIV-DST em populações de difícil acesso: Impacto destes estudos na política nacional.

  5. A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio, revela novo estudo da OMS

    Mais de 800 mil pessoas cometem suicídio a cada ano: uma pessoa a cada 40 segundos. A informação faz parte do relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), intitulado Prevenindo o suicídio – Um imperativo global. “Este relatório é um apelo à ação para resolver um grande problema de saúde pública que tem sido tratado como tabu por muito tempo”, disse a diretora-geral da OMS, Margaret Chan. O documento, que demorou 10 anos para ser compilado e é o primeiro que aborda este tema, afirma que os métodos mais comuns de suicídio são ingestão de pesticidas, enforcamento e armas de fogo. Dados coletados em diversos países sugerem que a limitação no acesso a estes materiais pode ajudar na diminuição de mortes por suicídio.
     

  6. A epidemiologia encontra a política em mesa sobre 25 anos de SUS

    Explorar as condições de saúde do cotidiano da população na perspectiva do fortalecimento dos serviços e ir além dos números para melhor responder os desafios da Saúde Pública brasileira foram os temas centrais da sessão Epidemiologia nos 25 anos do SUS, uma das mesas redondas realizadas no segundo dia do 9º Congresso Brasileiro de Epidemiologia. A sessão, coordenada por Luis Eugenio de Souza, presidente da Abrasco, contou com a participação de Luiz Augusto Facchini, epidemiologista da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e dos docentes da área da política, planejamento e gestão Gastão Wagner, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Jairnilson Paim, da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

  7. Empoderamento comunitário pode reduzir injustiças

    "Dos atropelamentos com o trem não se vê divulgação. É porque os meio de imprensa estão nas mãos do patrão. É necessário, então, falar, se unir e reivindicar em favor do cidadão. Todos contra o inimigo defendendo o nosso torrão, a vitória será certa contra toda a exploração. Da vida, vale é mantê-la e lutar para defende-la do Pará ao Maranhão", assim diz um trecho do documentário A peleja do povo contra o dragão de ferro - Carajás 30 anos, lançado na ENSP, no âmbito das comemorações dos 60 anos da Escola. A atividade reuniu pesquisadores em torno do tema da violação dos direitos e da injustiça ambiental, em consequência da implementação de grandes empreendimentos no país. O diretor da ENSP, Hermano Castro, assumiu um acordo de cooperação com a Ordem dos Missionários Cambonianos e o Instituto Políticas Alternativas para o Cone Sul (Pacs) para o desenvolvimento de pesquisas. "Temos o papel social de qualificar a informação em saúde", defendeu.
     

  8. TV Abrasco na abertura do Epivix

    Até o dia 10 de setembro, a cidade de Vitória, no Espírito Santo, recebe o IX Congresso Brasileiro de Epidemiologia. A TV Abrasco está acompanhando o evento científico, com a publicação diária de vídeo-reportagens de um dos maiores encontros brasileiros de pesquisadores, professores, estudantes, militantes de movimentos sociais, gestores e trabalhadores da saúde. Confira as entrevistas do primeiro dia com Arthur Chioro Ministro da Saúde; Luis Eugenio de Sousa, presidente da Abrasco; Ethel Maciel, presidente do Epivix e Cesar Victora, professor da UFPel, sobre as fronteiras da epidemiologia contemporânea, seus desafios e perspectivas.

  9. Abertura do EpiVix reúne duas mil pessoas

    Um auditório completamente lotado prestigiou a solenidade de abertura do 9º Congresso Brasileiro de Epidemiologia da Abrasco (Epivix), no dia 7 de setembro de 2014, no Centro de Convenções de Vitória, no Espírito Santo. Mais de duas mil pessoas presenciaram as falas de abertura do evento científico, que mencionaram as contribuições da epidemiologia para a saúde da população. Participaram  Ethel Maciel, presidente do congresso; José Tadeu Marino, secretário de Estado da Saúde do Espírito Santo; Reinaldo Centoducatte, reitor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES); Jarbas Barbosa, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde; Luis Codina, representando a Organização Panamericana de Saúde (Opas); Luis Eugenio de Souza, presidente da Abrasco; e ainda Arthur Chioro, ministro da Saúde. O pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Koifman, falecido em maio, foi homenageado durante a solenidade e, como marco de seu legado cientifico, dará nome às futuras conferências de abertura dos Congressos de Epidemiologia da Abrasco.

  10. Teses, tiros e escorpiões: lá se vão sessenta anos

     
    Jorge Luís Borges imaginava o paraíso como uma espécie de biblioteca. A imagem, já clássica, é de uma beleza inegável, mas tem muito pouco a ver com a trajetória daquela que se tornou a maior biblioteca de saúde pública do Brasil. Na semana em que festejou seus 60 anos, a biblioteca da ENSP recebeu ex-diretores e funcionários para contar a história de um acervo que floresceu em tempos nada paradisíacos e se tornou uma referência internacional.