1. Mortalidade infantil em municípios de médio e pequeno porte das regiões Norte e Nordeste do Brasil e Vale do Jequitinhonha - Minas Gerais: um estudo de caso-controle

    No dia 15 de julho, apresentação da dissertação de mestrado acadêmico em Epidemiologia em Saúde Pública Mortalidade infantil em municípios de médio e pequeno porte das regiões Norte e Nordeste do Brasil e Vale do Jequitinhonha – Minas Gerais: um estudo de caso-controle, por Barbara Vasques da Silva Ayres, na sala 823 da ENSP, a partir das 13h30.

  2. Estudo atenta para obesidade de indígenas Xavante

    A obesidade é um problema de saúde entre adultos indígenas Xavante do Mato Grosso, sendo associada a fatores socioeconômicos e padrões de subsistência e consumo alimentar. A informação vem da pesquisa do aluno do doutorado em Epidemiologia em Saúde Pública, Felipe Guimarães Tavares. Dela, participaram 479 indígenas (homens e mulheres), sendo que mais da metade da população apresentava excesso de peso (sobrepeso: 43,0%; obesidade 20,9%), correspondendo a 92,4% da população alvo. "Entre os povos indígenas no Brasil, a emergência de obesidade tem sido associada a mudanças nos padrões de alimentação, de atividade física e de exposição a determinantes sociais da saúde, em geral relacionados à história de contato com sociedades não indígenas", observa Tavares.

  3. Pesquisa aborda o cuidado em situações-limite

    O trabalho humanitário da organização não governamental Médicos Sem Fronteiras e a emergência de um hospital público no município do Rio de Janeiro foram os campos de pesquisa da aluna do doutorado em Saúde Pública da ENSP Luciana Bicalho Cavanellas. Para ela, os desafios impostos por contextos críticos e complexos, onde limites e riscos são permanentemente confrontados, tornam o trabalho mais exigente, expondo a vulnerabilidade dos pacientes, dos trabalhadores e das organizações, mas também sua capacidade de superação, enfrentamento e criação. A tese foi orientada pela pesquisadora da Escola Jussara Cruz de Brito.

  4. Estudo defende Bioética de proteção do paciente idoso

    "Os procedimentos em relação aos pacientes idosos no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) tendem a ser executados, sem discussão, com os enfermos e com os responsáveis, os quais têm estado alheios à maioria das decisões e acolhem aquelas tomadas pelos médicos de forma autoritária." A observação é da aluna do doutorado em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva, Edna Estelita Costa Freitas. De acordo com ela, vem aumentando rapidamente o número de pacientes idosos com demência - inclusive em grau avançado - necessitando, com isso, de cuidados no Centro de Tratamento Intensivo. A partir disso, seu estudo buscou desenvolver a Bioética de Proteção (BP) como modelo de tomada de decisão moral na medicina clínica em relação ao paciente idoso vulnerado.

  5. Alemão e Maré têm alto risco de doenças infecciosas

    "Jacarezinho, Complexo do Alemão e Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, podem ser considerados como potenciais áreas de alto risco para o desenvolvimento de doenças infecciosas de veiculação hídrica. Isto se deve, principalmente, às condições socioeconômicas precárias em que as populações se encontram, a fragilidade destas áreas diante de eventos climatológicos extremos e a falta de equidade social no âmbito da saúde." Os dados são da aluna do mestrado acadêmico em Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP Juliana Viana. O estudo analisou 11 Regiões Administrativas (RAs) inseridas na área de influência da Estação de Tratamento de Esgoto Alegria (ETE/Alegria).