1. Idosos são mais insatisfeitos com o corpo

    "Os homens idosos apresentaram elevada insatisfação com a sua imagem corporal (IC) por excesso de peso, apesar de mais baixa que a apresentada pelas mulheres idosas, e prevalência mais alta de insatisfação com a IC por baixo peso foi observada entre os idosos quando comparados às idosas". Essa é uma das conclusões a que chegou a aluna de mestrado em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP, Liliane da Silva Albuquerque, em sua pesquisa realizada com a população de base do Estudo ELSA-Brasil, que avaliou 15.105 funcionários públicos de seis instituições, distribuídas pelas regiões Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil. O objetivo do trabalho foi analisar a associação entre a insatisfação com a IC e variáveis sociodemográficas, hábitos e comportamentos relacionados à saúde, segundo estratificação por sexo e por idade (adultos entre 35 e 59 anos e idosos entre 60 e 75 anos de idade). A orientação ficou a cargo da pesquisadora Maria de Jesus Mendes da Fonseca.

  2. Dissertação analisa trajetória da CNDSS

    No dia 12 de dezembro, apresentação de dissertação de mestrado profissionalizante em Saúde Pública A trajetória da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde, por Virgínia Valiate Gonzalez, na sala 408 do prédio da ENSP, a partir das 10 horas. 

  3. Unasul-Saúde propicia cooperação e integração regional

    A saúde integrada à União das Ações Sul-americanas (Unasul), conforme explicou o aluno do mestrado profissional em Saúde Pública da ENSP Wilson Neves, se apresenta como uma possibilidade de organização do bloco no sentido de melhorar o acesso da população aos serviços de saúde, à vigilância epidemiológica, à medicamentos e ao desenvolvimento de recursos humanos pautados pelos determinantes sociais. De acordo com ele, a institucionalidade elaborada pelos dirigentes da Unasul e da Unasul-Saúde contribuiu para que fossem criados meios, instâncias e equipes técnicas que proporcionassem um diálogo crescente, integrado e permanente, sendo possível, assim, difundir um sentimento de cooperação e de integração entre os Estados sul-americanos. 

  4. Tese da ENSP ganha menção honrosa em premiação do SUS

    A tese O arranjo público-privado no Brasil e a qualidade da assistência hospitalar em São Paulo e no Rio Grande do Sul, da aluna de doutorado em Saúde Pública da ENSP Juliana Pires Machado, ganhou menção honrosa na categoria 'doutorado' do Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS do Ministério da Saúde 2014. A pesquisa, orientada pelos pesquisadores Mônica Martins e Iuri da Costa Leite, tem como pressuposto que os indicadores de resultado, mensurado pela mortalidade hospitalar ajustada, variam conforme fonte de pagamento das internações e arranjo de financiamento adotado por cada hospital. O estudo observou maior chance de morte entre pacientes internados em hospitais de natureza pública, de arranjo de financiamento somente SUS e de maior porte.

  5. Financiamento em saúde pela ABC é tema de mestrado na Escola

    No dia 28 de novembro, apresentação da dissertação de mestrado profissional em Saúde Pública O financiamento da Cooperação Técnica em Saúde pela Agência Brasileira de Cooperação: tendências no período 2003-2013, por Isaac José Barbosa Vergne, na Fiocruz Brasília, a partir das 10 horas.

  6. Mestrado aborda negociação internacional sobre mudanças climáticas

    No dia 25 de novembro, apresentação da dissertação de mestrado profissional em Saúde Pública As negociações internacionais no âmbito da Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima: inserção do Ministério da Saúde e implicações para a política externa brasileira, por Rodolfo Milhomem de Sousa, na Fiocruz Brasília, a partir das 10 horas.