1. Estudo aborda perfil de saúde dos moradores de Manguinhos

    Famílias com menor renda per capita, residindo em imóvel próprio e com idosos em sua composição têm mais chance de estar cadastradas na Estratégia de Saúde da Família (ESF). Esse é um dos resultados da tese de Renata dos Santos Rabello, aluna do doutorado em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP sob orientação do pesquisador Cláudio José Struchiner. O trabalho teve como objetivo descrever o perfil social e de saúde dos moradores de Manguinhos, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, participantes do Inquérito sobre Condições de Vida e Utilização dos Serviços de Saúde, realizado em 2012, coordenado pela pesquisadora Marília Sá Carvalho e financiado pelo Programa de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Saúde Pública (PDTSP/Fiocruz). “Ao comparar os dados do inquérito com o banco do Sistema de Informação da Atenção Básica (Siab), constatou-se não estarem cadastrados 18% dos domicílios”, apontou a aluna.
     

  2. Cuidado centrado no paciente nos serviços de saúde é tema de pesquisa da ENSP

    Identificar e descrever as estratégias dos governos e organizações não governamentais de alguns países para alcançar o cuidado centrado no paciente nos serviços de saúde. Esse foi o objetivo da pesquisa da aluna do mestrado em Saúde Pública da ENSP, Patricia Helena Goulart Gomes, desenvolvida por meio de revisão documental, em portais de governo e organizações não governamentais, de países onde existe estratégia definida para melhoria da qualidade do cuidado em saúde. Austrália, Canadá, Estados Unidos, Inglaterra e Brasil foram os países estudados. O monitoramento do cuidado centrado no paciente é realizado, nesses países, aplicando-se pesquisas de satisfação do paciente com o cuidado. Patrícia explicou que a capacitação dos profissionais, a facilitação do acesso dos pacientes às informações a respeito de sua saúde (letramento em saúde) foram as estratégias mais comuns para colocar o paciente no centro do cuidado nos países estudados. "A partir do início do século XXI, a inclusão do cuidado centrado no paciente tornou-se item fundamental nas reformas dos sistemas de saúde dos países selecionados."