1. Exposição a agrotóxicos pode causar distúrbios reprodutivos

    Um estudo elaborado pelo aluno de doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP Cleber Cremonese observou que grande parte dos agrotóxicos apresenta capacidade de desregulação do sistema endócrino humano, o que altera os níveis de hormônios sexuais e causa efeitos adversos, principalmente sobre o sistema reprodutor. Câncer de mama e ovário, desregulação de ciclo menstrual, câncer de testículo e próstata, infertilidade, declínio da qualidade seminal e malformação de órgãos reprodutivos são alguns dos exemplos dessas complicações. Segundo Cleber, com o aumento do consumo nacional de agrotóxicos, tanto no agronegócio como na agricultura familiar, crescem as evidências de que a utilização destas substâncias não está apenas relacionada especificamente à produção agrícola, mas se transforma em um problema de saúde pública.
     
     

  2. Mestrado aborda debate político-ideológico no campo da saúde global

    No dia 30 de outubro, apresentação da dissertação de mestrado profissional em Saúde Pública UHC - Universal Health Coverage - Avanço ou retrocesso na luta pelo direito humano à saúde? Uma contribuição ao debate político-ideológico da guerra de posições entre comunidades epistêmicas no campo da saúde global, por Armando Antonio De Negri Filho, na sala 901 do prédio da Expansão da Fiocruz, a partir das 14 horas.