1. Mestrado profissional em Epidemiologia e Controle da Tuberculose encerra primeira turma

    Na sexta-feira, 9 de dezembro, será realizada a cerimônia de encerramento do Mestrado Profissional em Epidemiologia e Controle da Tuberculose (MPTB), curso oferecido na modalidade de consórcio entre o Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP e o Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM). O curso foi uma iniciativa da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC) por intermédio de um termo de cooperação entre a Presidência da Fundação e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e contou com apoio da Direção da ENSP e do CPqAM. O curso teve início em dezembro de 2014, com a aula inaugural proferida pelo professor Maurício Barreto (Fiocruz/BA), e teve o objetivo de formar gestores e profissionais de saúde para desenvolver atividades de pesquisa, ensino e desenvolvimento tecnológico, visando à vigilância e controle da tuberculose e de outras micobacterioses de interesse sanitário.

  2. Novo curso da ENSP sobre gestão urbana e saúde abre inscrições

    Estão abertas as inscrições para o curso de especialização em Gestão Urbana e Saúde, oferecido pelo Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP (DSSA). A formação visa qualificar profissionais para o desenvolvimento de práticas de formulação e execução de políticas, programas e projetos de intervenções urbanas e territoriais na sua relação com a saúde coletiva. Esse curso tem como objetivo desenvolver uma visão crítica e estratégica sobre as políticas, planos e programas que têm determinado, historicamente, a expansão territorial urbana de uma cidade ou metrópole, fortalecendo e ampliando a pauta da saúde coletiva. As inscrições vão até o dia 2 de fevereiro de 2017 e devem ser feitas pela Plataforma Siga.

  3. Novo curso da ENSP sobre gestão urbana e saúde abre inscrições

    Estão abertas as inscrições para o curso de especialização em Gestão Urbana e Saúde, oferecido pelo Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da ENSP (DSSA). A formação visa qualificar profissionais para o desenvolvimento de práticas de formulação e execução de políticas, programas e projetos de intervenções urbanas e territoriais na sua relação com a saúde coletiva. Esse curso tem como objetivo desenvolver uma visão crítica e estratégica sobre as políticas, planos e programas que têm determinado, historicamente, a expansão territorial urbana de uma cidade ou metrópole, fortalecendo e ampliando a pauta da saúde coletiva. As inscrições vão até o dia 2 de fevereiro de 2017 e devem ser feitas pela Plataforma Siga.

  4. Inscrições abertas para Especialização em Saúde Pública da ENSP

    Estão abertas, até 18 de janeiro, as inscrições para o curso mais tradicional da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP), a Especialização em Saúde Pública. O curso, que está na grade curricular da Escola há sessenta anos, pretende introduzir o aluno no campo da saúde coletiva e gerar competências para sua atuação como sanitarista. Ao todo, 30 vagas estão disponíveis para profissionais graduados ligados à área da saúde ou áreas afins. Os interessados devem se inscrever por meio da Plataforma Siga LS, onde está disponível o edital. Coordenado pelas pesquisadoras Gíssia Gomes Galvão e Célia Regina de Andrade, o curso traz, ainda, a proposta de capacitar o aluno para identificar problemas prioritários na área da saúde, buscando soluções criativas para eles, além da aplicação de técnicas e instrumentos adequados às características da situação de saúde e do sistema de saúde brasileiro.

  5. Imprensa destaca dados de pesquisa sobre aborto clandestino

    Em entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, a antropóloga e docente do Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva, Debora Diniz falou sobre a Pesquisa Nacional de Aborto, realizada pela UnB. A pesquisa, que entrevistou 2 mil mulheres, entre 18 e 39 anos, nas áreas urbanas do país, fez a seguinte pergunta: Você ou alguém da sua família já fez um aborto clandestino? Segundo Debora, os números são alarmantes. Só no ano passado, meio milhão de brasileiras passaram por um aborto ilegal e apresentam histórias parecidas de riscos e de traumas. A pesquisa indicou que, ao final da vida reprodutiva, mais de uma em cada cinco mulheres já fizeram aborto, ocorrendo os abortos em geral entre 18 e 29 anos. Além disso, não foi observada diferenciação relevante na prática em função de crença religiosa, mas o aborto se mostrou mais comum entre mulheres de menor escolaridade. O uso de medicamentos para a indução do último aborto ocorreu em metade dos casos e a internação pós-aborto foi observada em cerca de metade dos casos. 

  6. Especialização em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos oferece 20 vagas

    Promover a discussão crítica das questões relativas às desigualdades sociais marcadas especificamente pelo viés de gênero e sexualidade, abrangendo recortes de raça e classe social. Esses são os principais objetivos do curso de Especialização em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos, oferecido pelo Departamento Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da ENSP (Dihs), e que está com inscrições abertas até 5 de janeiro de 2017. Coordenado pelos pesquisadores Marcos Besserman Vianna e Nair Teles, do Dihs/ENSP, o curso é destinado a profissionais de nível superior das mais diversas áreas de atuação, entre elas: Ciências Sociais, Direito, Saúde, Gestão Pública, inclusive Movimentos Sociais, que em suas atividades necessitem ampliar sua compreensão sobre as questões relativas a Gênero e Sexualidade. São oferecidas 20 vagas. As inscrições devem ser feitas na Plataforma Sigals Fiocruz.

  7. Mestrado profissional em Epidemiologia e Controle da Tuberculose encerra primeira turma

    Na sexta-feira, 9 de dezembro, será realizada a cerimônia de encerramento do Mestrado Profissional em Epidemiologia e Controle da Tuberculose (MPTB), curso oferecido na modalidade de consórcio entre o Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia em Saúde Pública da ENSP e o Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (CPqAM). O curso foi uma iniciativa da Vice-Presidência de Ensino, Informação e Comunicação (VPEIC) por intermédio de um termo de cooperação entre a Presidência da Fundação e a Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e contou com apoio da Direção da ENSP e do CPqAM. O curso teve início em dezembro de 2014, com a aula inaugural proferida pelo professor Maurício Barreto (Fiocruz/BA), e teve o objetivo de formar gestores e profissionais de saúde para desenvolver atividades de pesquisa, ensino e desenvolvimento tecnológico, visando à vigilância e controle da tuberculose e de outras micobacterioses de interesse sanitário.

  8. Especialização em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos oferece 20 vagas

    Promover a discussão crítica das questões relativas às desigualdades sociais marcadas especificamente pelo viés de gênero e sexualidade, abrangendo recortes de raça e classe social. Esses são os principais objetivos do curso de Especialização em Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos, oferecido pelo Departamento Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da ENSP (Dihs), e que está com inscrições abertas até 5 de janeiro de 2017. Coordenado pelos pesquisadores Marcos Besserman Vianna e Nair Teles, do Dihs/ENSP, o curso é destinado a profissionais de nível superior das mais diversas áreas de atuação, entre elas: Ciências Sociais, Direito, Saúde, Gestão Pública, inclusive Movimentos Sociais, que em suas atividades necessitem ampliar sua compreensão sobre as questões relativas a Gênero e Sexualidade. São oferecidas 20 vagas. As inscrições devem ser feitas na Plataforma Sigals Fiocruz.

  9. Inscrições abertas para curso de Especialização em Direitos Humanos e Saúde

    O Departamento de Direitos Humanos, Saúde e Diversidade Cultural da Escola Nacional de Saúde Pública (Dihs/ENSP) está com inscrições abertas para o curso de Especialização em Direitos Humanos e Saúde, na modalidade presencial. O curso busca promover a construção do conhecimento no campo do Direito e Saúde desenvolvendo competências gerais e específicas através da compreensão dos conteúdos programáticos, além de promover o processo de educação, formação e aperfeiçoamento dos profissionais das Ciências da Saúde e Ciências Jurídicas visando criar no aluno uma compreensão geral sobre a área do Direito e Saúde, facilitando a aplicação destes conhecimentos em sua atuação profissional. Os interessados devem se inscrever na Plataforma SIGALS, até 5 de novembro.