1. 'Violência no namoro deve entrar na pauta da saúde pública'

    Apesar de passar despercebida entre jovens brasileiros, a violência no namoro pode ter papel importante na prevenção das violências de gênero e doméstica nas relações adultas. O tema, debatido no Centro de Estudos da ENSP (21/11), uniu pesquisadores brasileiros e mexicanos para expressar a universalidade do assunto e as diferentes formas pelas quais as violências física e emocional se manifestam entre jovens dos dois países. No México, com base numa amostra de 742 estudantes (56% de mulheres; 44% de homens), com idade predominante entre 15 e 18 anos, de Guadalajara, 32,5% confessaram ter participado de uma relação violenta. As mulheres foram maioria, 34,9%, contra 29,4% de homens. A violência intrafamiliar foi determinante para a ocorrência desses casos. "O caminho para uma relação violenta é curto. Você não percebe que tem namorado(a) violento(a) e vai naturalizando. Sob outra perspectiva, também é muito difícil os homens assumirem que são maltratados, sobretudo quando se trata da violência sexual. Essas posições contribuem para a invisibilidade desse fenômeno", reconhece a pesquisadora mexicana Maria Guadalupe Vegas Lopez.

  2. Exposição ocupacional ao benzeno e Complexo Industrial da Saúde em debate no Ceensp

    Nesta quarta-feira, 23 de novembro, serão realizadas duas sessões do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP. Pela manhã, a partir das 9 horas, o debate gira em torno do benzenismo, doença ocupacional que acomete trabalhadores dos postos de gasolina devido à exposição ao benzeno, substância presente nos combustíveis e considerada cancerígena. Na parte da tarde, o Complexo Industrial da Saúde  (CIS) será o tema do debate, marcado para as 14 horas. O debate abordará as diversas perspectivas do CIS. Ambas atividades acontecerão no salão internacional da ENSP, abertas aos interessados, e marcadas com o lançamento de publicações. Na parte da manhã, será lançado um dossiê, elaborado pela Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, sobre exposição ao benzeno em postos do Rio Grande do Sul, Bahia, Espírito Santos, Minas, Santa Catarina e São Paulo. À tarde, será a vez do livro Desafios de operação e desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde, importante insumo para estudo e contribuição para o debate complexo para o campo da saúde coletiva. 

  3. Ceensp discute semelhanças da violência entre parceiros no Brasil e México

    A próxima edição do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, marcada para o dia 21 de novembro, receberá os pesquisadores mexicanos Guillermo Julián González-Pérez e Maria Guadalupe Vegas Lopez, da Universidade de Guadalajara, e as pesquisadoras do departamento de Estudos sobre Violência e Saúde (Claves/ENSP) Kathie Njaine e Queiti Batista Oliveira para discutir um fenômeno internacional: a violência no namoro. Coordenado pela pesquisadora Edinilsa Ramos (Claves), o Ceensp abordará as semelhanças entre os dois países no que diz respeito às relações de namoro, ciúme e violência na adolescência. "As agressões entre jovens namorados são expressões da violência de gênero, e devemos estar atentos a isso. Falar sobre a violência entre parceiros íntimos adolescentes é fundamental na discussão sobre a prevenção da violência doméstica nas relações adultas", reforçou a pesquisadora Queiti Oliveira. O evento está marcado para o salão internacional da ENSP, às 14 horas, e é aberto ao público.

  4. Ceensp debaterá o Complexo Industrial da Saúde

    Desafios de operação e desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde será o tema do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP, marcado para o dia 23 de novembro. A atividade contará com a participação do Vice-Presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz, Jorge Bermudez, do Vice-Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Química Fina, Biotecnologia e suas Especialidades (Abifina), Reinaldo Guimarães, do Presidente do Instituto Pereira Passos, Mauro Osorio, e da representante do grupo de pesquisa Saúde, Estado e Sociedade do Instituto de Medicina Social da UERJ, Catalina Kiss. Coordenados pela pesquisadora do Departamento de Política de Medicamentos e Assistência Farmacêutica (NAF/ENSP), Maria Auxiliadora Oliveira, os palestrantes abordarão o Complexo Industrial da Saúde (CIS) em suas diversas perspectivas. Na ocasião haverá também o lançamento do livro que traz como título o tema do Ceensp. O evento, marcado para às 14 horas, no salão internacional da Escola, é aberto a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

  5. Benzenismo: doença ocupacional de frentistas será tema de Centro de Estudos

    Os trabalhadores dos postos de gasolina são uma das categorias profissionais mais expostas ao benzeno, substância presente nos combustíveis e considerada cancerígena. O risco de contaminação se dá em ações comuns no cotidiano dos frentistas, como secar a mão em uma estopa e guardá-la no bolso, encher o tanque dos carros acima do "click" (margem de segurança) ou permanecer sem máscara enquanto os reservatórios dos postos são abastecidos. O benzenismo será tema do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP (Ceensp) na próxima quarta-feira, 23 de novembro. Esse Ceensp será realizado exepcionalmente pela manhã, das 9h às 13h.

     

  6. Ceensp discute semelhanças da violência entre parceiros no Brasil e México

    A próxima edição do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, marcada para o dia 21 de novembro, receberá os pesquisadores mexicanos Guillermo Julián González-Pérez e Maria Guadalupe Vegas Lopez, da Universidade de Guadalajara, e as pesquisadoras do departamento de Estudos sobre Violência e Saúde (Claves/ENSP) Kathie Njaine e Queiti Batista Oliveira para discutir um fenômeno internacional: a violência no namoro. Coordenado pela pesquisadora Edinilsa Ramos (Claves), o Ceensp abordará as semelhanças entre os dois países no que diz respeito às relações de namoro, ciúme e violência na adolescência. "As agressões entre jovens namorados são expressões da violência de gênero, e devemos estar atentos a isso. Falar sobre a violência entre parceiros íntimos adolescentes é fundamental na discussão sobre a prevenção da violência doméstica nas relações adultas", reforçou a pesquisadora Queiti Oliveira. O evento está marcado para o salão internacional da ENSP, às 14 horas, e é aberto ao público.

  7. Tuberculose, Zika, bioética e dignidade humana foram tema de debate na ENSP

    Debatendo o tema Dignidade humana e os Direitos Humanos, o Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP celebrou o Bioethics Day. O encontro, organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), também homenageou dois grandes nomes que se destacam no campo da bioética: os professores Fermin Roland Schramm, da ENSP, e Olinto Pegoraro, da UFRJ, Uerj e PPGBIOS. Os palestrantes do encontro foram a professora da Universidade de Brasília (UnB), Débora Diniz, e o pesquisador do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF), Pablo Dias Fortes. Confira as apresentações, que estão disponíveis, na íntegra, no canal da ENSP, no youtube. 

  8. Ceensp debate dignidade humana e direitos humanos nesta quarta (19/10)

    Nesta quarta-feira, 19 de outubro, o Centro Estudos Miguel Murat de Vansconcelos da ENSP debaterá Dignidade humana e os Direitos Humanos, a partir das 14 horas. O Ceensp marca o Bioethics Day, instituído pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e acontecerá através da parceria entre o Programa Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS) e a unidade do Rio de Janeiro da Chair in Bioethics da Unesco. Na ocasião haverá uma homenagem aos professores Fermin Roland Schramm, do Departamento de Ciências Sociais (DCS/ENSP) e Olinto Pegoraro, (UFRJ e UERJ e PPGBIOS) pela fundamental contribuição no desenvolvimento da Bioética no Brasil e no mundo. Após a homenagem acontecerá a palestra Bioética e Saúde Pública, com a participação do pesquisador do Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF), Pablo Fortes, que abordará a eticidade do tratamento compulsório em tuberculose, e da professora da Universidade de Brasília (UnB), Débora Diniz, que discutirá a questão da zika, direitos humanos e mulheres. Haverá ainda o lançamento do livro Zika: do sertão nordestino à ameaça global, de autoria de Débora e do PPGBIOS.

  9. Centro de Estudos da ENSP discutiu política de comunicação da Fiocruz

    Tratada como área estratégica desde os tempos em que os pioneiros da Fiocruz registravam e publicavam suas expedições científicas, a comunicação da fundação vem passando por uma série de transformações importantes nas últimas décadas, o que fez surgir a necessidade uma política própria para o setor. Em discussão desde junho de 2015, a Política de Comunicação da Fiocruz esteve em consulta pública até o último dia 9 de setembro e agora aguarda que a câmara técnica responsável analise todo conteúdo enviado colaborativamente nesta consulta, para apresentá-lo ao Conselho Deliberativo da Fiocruz. Entre outros eventos em que se discutiu o tema, foi realizado no dia 5 de setembro um debate no Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos da ENSP (Ceensp), com a participação de Rogério Lannes, coordenador do programa Radis e do vice-diretor do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica (Icict/Fiocruz), Rodrigo Murtinho.

  10. Centro de Estudos debate desafios éticos e jurídicos das pessoas com deficiência

    O Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, da Escola Nacional de Saúde Pública, recebeu as professoras Heloisa Helena Barboza, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), e Maria Clara Dias, da Universidade Federal Fluminense (UFRJ), para discutir os desafios éticos e jurídicos das pessoas com deficiência. Apesar de sabermos que a cidadania deveria estar presente em todos os âmbitos da sociedade, na maioria das vezes, não é o que ocorre. Sob a coordenação do pesquisador Sergio Rego, do Programa de Pós-Graduação em Bioética, Ética Aplicada e Saúde Coletiva (PPGBIOS), o debate marcou também o início das atividades letivas do segundo semestre da Pós-Graduação. De acordo com Sergio, a população de pessoas com deficiência foi contemplada no ano passado com a aprovação da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, que traz grandes novidades e afeta profundamente a vida e os direitos desse segmento populacional. Para o coordenador geral do PPGBIOS, é importante discutir os aspectos e desafios éticos e jurídicos dentro do contexto atual de grande preocupação, uma vez que estamos passando por um momento delicado, em que as perspectivas são de um governo que vai contra, cada vez mais, os direitos adquiridos e os direitos conquistados da cidadania.