1. Centro de Estudos Miguel Murat sobre absenteísmo está disponível no vídeo

    No dia 13/5, a ENSP promoveu, através do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, o debate Fatores associados ao absenteísmo e possíveis intervenções, tendo como expositoras a professora da Faculdade de Saúde Pública da USP Frida Marina Fischer e a coordenadora do Laboratório de Educação em  Ambiente e Saúde do IOC/Fiocruz, Lúcia Rotenberg. O encontro buscou esclarecer os fatores que levam à ausência do funcionário no ambiente de trabalho, sejam por atrasos ou faltas constantes, muitas vezes associadas a problemas de saúde. As palestras de ambas as convidadas já estão disponíveis no Canal da ENSP no YouTube.

  2. Centro de Estudos da ENSP promove debate sobre absenteísmo

    Todos os dias, milhões de trabalhadores faltam aos seus empregos, no mundo inteiro. O absentísmo é o nome usado para designar esse fenômeno. O assunto, que tem sido estudado por empresas preocupadas com sua produtividade, assume outras proporções quando visto pelas lentes da saúde pública. As causas psicossociais do absenteísmo, como assédio, falta de motivação ou doenças mentais, as contradições nas notificações do INSS e possíveis intervenções foram discutidos no Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, em 13 de maio. Participaram da mesa a professora da Faculdade de Saúde Pública da USP Frida Marina Fischer e a coordenadora do Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde do IOC/Fiocruz, Lúcia Rotenberg.

  3. Centro de Estudos Miguel Murat debate fatores associados ao absenteísmo

    Absenteísmo é a ausência do funcionário no ambiente de trabalho, sejam por atrasos ou faltas constantes, muitas vezes associadas a problemas de saúde. É com este foco que a ENSP promove a quarta atividade de 2015 do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos. Para abordar o tema Fatores associados ao absenteísmo e possíveis intervenções foram convidadas a professora da Faculdade de Saúde Pública da USP Frida Marina Fischer e a coordenadora do Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde do IOC/Fiocruz, Lúcia Rotenberg. O Ceensp está marcado para o dia 13 de maio, a partir das 14 horas, no salão internacional da Escola e é aberto a todos os interessados.

  4. Centro de Estudos Miguel Murat debate fatores associados ao absenteísmo

    Absenteísmo é a ausência do funcionário no ambiente de trabalho, sejam por atrasos ou faltas constantes, muitas vezes associadas a problemas de saúde. É com este foco que a ENSP promove a quarta atividade de 2015 do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos. Para abordar o tema Fatores associados ao absenteísmo e possíveis intervenções foram convidadas a professora da Faculdade de Saúde Pública da USP Frida Marina Fischer e a coordenadora do Laboratório de Educação em Ambiente e Saúde do IOC/Fiocruz, Lúcia Rotenberg. O Ceensp está marcado para o dia 13 de maio, a partir das 14 horas, no salão internacional da Escola e é aberto a todos os interessados.

  5. Indígenas: censos aprimoram descrição da população e expõem desafios

    Com um contingente populacional de 896 mil indígenas (0,4% da população total), 505 terras (12,5% do território brasileiro), 305 etnias e 274 línguas, segundo o Censo Demográfico 2010, é inegável reconhecer o aprimoramento dos instrumentos de coleta nas pesquisas que envolvem a população indígena. No entanto, conforme debateram os palestrantes do Centro de Estudos Miguel Murat, realizado na ENSP, em 8/4, que abordou os Indígenas nas estatísticas nacionais de saúde, ampliar o olhar sobre as questões indígenas também significa expor as iniquidades, os principais problemas de saúde e as vulnerabilidades que acometem essa população. "Nós, demógrafos e pesquisadores, de modo geral, ainda temos muitas perguntas a serem respondidas", admitiu a pesquisadora do IBGE Nilza Pereira, que conduziu o Ceensp na companhia dos pesquisadores da ENSP Andrey Moreira Cardoso, Ricardo Ventura e Carlos Coimbra.

  6. Ceensp debaterá índigenas nas estatísticas de saúde brasileira

    Apesar de contar com uma população muito diversificada e com um crescimento importante nos últimos anos, segundos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os indígenas no Brasil ainda sofrem com desigualdades sociais que acabam afetando a saúde dessa sociedade. É com este foco que a ENSP promoverá a terceira atividade do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, no dia 8 de abril, com o tema Indígenas nas estatísticas nacionais de saúde. Para debater a questão foram convidados os pesquisadores da Escola Andrey Moreira Cardoso e Carlos Coimbra Jr. e a pesquisadora do IBGE Nilza Pereira. O encontro está marcado para 13h30, no salão internacional da ENSP e é aberto a todos os interessados.

  7. Ceensp debate acesso a medicamentos para doenças raras

    Números, equações, fórmulas: basta olhar um prédio bem construído, uma ponte, uma ferrovia, para nos darmos conta da inegável contribuição da matemática em nosso dia a dia. Mas ainda que ela dê conta de boa parte das atividades humanas, a vida se espalha por pontos cegos, buracos negros, regiões fronteiriças em que a lógica tradicional não penetra. Um desses casos é o tratamento medicamentoso para pacientes com doenças raras. Pelo fato delas atingirem, como o próprio nome sugere, um número pequeno de pessoas, os cálculos para que o fornecimento remédios seja incluído no Sistema Único de Saúde não podem seguir os mesmos modelos de outras doenças. Possíveis soluções, avanços legais e científicos, entre outras variáveis desse tema complexo, foram discutidos durante o segundo Ceensp de 2015, no dia 25 de março, que teve por título Medicamentos para doenças raras: eficiência econômica versus equidade social.

  8. Ceensp debaterá índigenas nas estatísticas de saúde brasileira

    Apesar de contar com uma população muito diversificada e com um crescimento importante nos últimos anos, segundos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os indígenas no Brasil ainda sofrem com desigualdades sociais que acabam afetando a saúde dessa sociedade. É com este foco que a ENSP promoverá a terceira atividade do Centro de Estudos Miguel Murat de Vasconcellos, no dia 8 de abril, com o tema Indígenas nas estatísticas nacionais de saúde. Para debater a questão foram convidados os pesquisadores da Escola Andrey Moreira Cardoso e Carlos Coimbra Jr. e a pesquisadora do IBGE Nilza Pereira. O encontro está marcado para 13h30, no salão internacional da ENSP e é aberto a todos os interessados.

  9. Ceensp debaterá medicamentos para doenças raras (alteração de local)

    O Centro de Estudos da ENSP de 25/3 terá como tema Medicamentos para doenças raras, eficiência econômica versus equidade social. São consideradas raras doenças crônicas sérias, degenerativas e que normalmente colocam a vida em risco; doenças incapacitantes, que comprometem a qualidade de vida devido à falta de autonomia; doenças em que o nível de dor e de sofrimento do indivíduo e da sua família é elevado; e doenças para as quais não existe uma cura efetiva, mas os sintomas podem ser tratados para melhorar a qualidade de vida e a esperança de vida. A atividade será coordenada pelo pesquisador da ENSP Claudio Cordovil que recentemente assinou artigo sobre o assunto. Marcado para 13h30, na sala 410 da Escola, o Ceensp contará com a participação dos professores da Faculdade de Medicina da Uerj Denizar Vianna e Fernando Aith e da representante do Instituto Canguru Marlene Sturm. O encontro é aberto a todos os interessados e não necessita inscrição prévia. 

  10. Ceensp debaterá medicamentos para doenças raras (alteração de local)

    O Centro de Estudos da ENSP de 25/3 terá como tema Medicamentos para doenças raras, eficiência econômica versus equidade social. São consideradas raras doenças crônicas sérias, degenerativas e que normalmente colocam a vida em risco; doenças incapacitantes, que comprometem a qualidade de vida devido à falta de autonomia; doenças em que o nível de dor e de sofrimento do indivíduo e da sua família é elevado; e doenças para as quais não existe uma cura efetiva, mas os sintomas podem ser tratados para melhorar a qualidade de vida e a esperança de vida. A atividade será coordenada pelo pesquisador da ENSP Claudio Cordovil que recentemente assinou artigo sobre o assunto. Marcado para 13h30, na sala 410 da Escola, o Ceensp contará com a participação dos professores da Faculdade de Medicina da Uerj Denizar Vianna e Fernando Aith e da representante do Instituto Canguru Marlene Sturm. O encontro é aberto a todos os interessados e não necessita inscrição prévia.